Alesp aprova abono salarial para professores

Valor vai de R$ 3 mil a R$ 16 mil, a depender da quantidade de horas trabalhadas por semana do profissional
-Publicidade-
João Doria está em Nova Iorque
João Doria está em Nova Iorque | Foto: Suamy Beydoun/Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou na última quarta-feira, 1º de dezembro, o projeto de lei que autoriza o governo João Doria (PSDB) a pagar um abono salarial aos professores da rede estadual de ensino ainda em 2021. Calcula-se que 190 mil pessoas devem receber o abono, que será destinado apenas aos profissionais do quadro do magistério, como professores, coordenadores, diretores de escola, supervisores e dirigentes de ensino.

De acordo com o texto, docentes com contrato temporário que tiverem atuado na rede estadual durante o ano inteiro também serão beneficiados. A proposta aprovada estabelece que o abono salarial seja pago proporcionalmente à carga horária semanal de trabalho de cada profissional da educação contemplado. O benefício vai de R$ 3 mil, para quem trabalha até 12 horas por semana, a R$ 16,2 mil, para os profissionais que atuam mais de 65 horas semanais.

Ainda segundo a matéria, o valor do abono não poderá ser superior a 50% da remuneração bruta do servidor contemplado.

-Publicidade-

Para entrar em vigor, o projeto aprovado pela Alesp precisa ser sancionado pelo governador, que está em Nova Iorque. Depois da publicação da sanção no Diário Oficial, o Executivo estadual deve divulgar o calendário de pagamentos.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.