Bolsonaro critica CPI e afirma que Renan e Aziz têm ‘recorde de inquéritos e passagens pela polícia’

'Não vão achar nada. Nada fizemos pensando em ganhar dinheiro em cima de quem estava apavorado', disse o presidente
-Publicidade-
'Não vou discutir uma historinha de fantasia desses caras', disse Jair Bolsonaro sobre CPI
'Não vou discutir uma historinha de fantasia desses caras', disse Jair Bolsonaro sobre CPI | Foto: Reprodução/YouTube

O presidente Jair Bolsonaro aproveitou sua live semanal nas redes sociais, na noite desta quinta-feira, 21, para criticar o comando da CPI da Covid, em especial o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), que nesta semana leu seu parecer final sobre as investigações do colegiado. O presidente da República está entre os alvos de pedidos de indiciamento por parte do relator.

Segundo Bolsonaro, os trabalhos da CPI “não ajudaram em nada”. “Tomaram o tempo, tomaram dois dias integrais do ministro [Marcelo] Queiroga. Não foram buscar onde existia corrupção, o Consórcio do Nordeste”, afirmou Bolsonaro. “Renan tem que defender os seus. Omar Aziz [presidente da CPI] também. Essa dupla tem recorde de inquéritos e passagens pela polícia desviando recurso público.”  

-Publicidade-

Bolsonaro voltou a dizer que, depois de mais de dois anos e meio, seu governo não tem escândalos de corrupção, que predominavam nas gestões do PT. “Não é que não acharam. Não vão achar nada. Nada fizemos pensando em corrupção, em ganhar dinheiro em cima de quem estava apavorado com a covid”, afirmou Bolsonaro. 

“Me acusam de 11 crimes. Não vou discutir uma historinha de fantasia desses caras. Parece até a Comissão da Verdade do PT no passado. Um festival de baboseiras desses três ‘irmãos’: Renan Calheiros, Omar Aziz e Randolfe Rodrigues”, completou o presidente. 

Em seu relatório, na verdade, Renan acusou Bolsonaro de ter cometido dez crimes: epidemia com resultado de morte, infração de medida sanitária, incitação ao crime, falsificação de documento particular, emprego irregular de verbas públicas, prevaricação, crimes contra a humanidade, crimes de responsabilidade, violação de direito social e incompatibilidade com o decoro do cargo.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. O tal Azia esta com a familia inteira presa a mulher dele foi detida dentro do avião, por desvio na saúde do Amazonas, onde se “investigou” na CPI cirque de solei o colapso no Amazonas kkkk parece piada, mas não é , não seria culpa dele e da familia então, será que se o dinheiro não tivesse sido desviado não teria salvo muitas vidas lá, ai querem incriminar quem enviou os recursos, tudo invertido é uma coisa meio diabólica mesmo.

  2. Se Sarney, lobão, Jucá, Barbalho, Cunha, Renan, Collor, Temer, FHC, esse omar azis, e todos os quadrilheiros tivessem o mínimo de sensibilidade, caráter e amor ao próximo, teriam a oportunidade de morrerem fazendo o “mea culpa” pela vergonha de terem roubado tanto o país, enfileirando uma legião de famintos desesperados e sem oportunidades.
    A família Bolsonaro é um exemplo que temos. Eu com 67 anos estou esperançoso de que o Messias nos ajude ainda mais nos próximos 5 anos, e que esse aparelhamento sórdido que estamos enfrentando, ainda que não na velocidade que esperávamos, ocorra a médio prazo afastando corruptos, principalmente instalados no senado federal.
    Vejam que Alcolumbre esteve à frente daquela corja, e bem confere o que pensamos de 99% daqueles crápulas.
    Gente envolvida com orcrims, narcotráfico em família e todo o tipo de degradação.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.