CPI aprova acareação entre Onyx Lorenzoni e Luis Miranda

Ministro do Trabalho e deputado ficarão frente a frente para esclarecer dúvidas sobre negociação para compra da Covaxin
-Publicidade-
Onyx Lorenzoni, ministro do Trabalho e da Previdência, participará de acareação com o deputado Luis Miranda
Onyx Lorenzoni, ministro do Trabalho e da Previdência, participará de acareação com o deputado Luis Miranda | Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

A CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira, 11, uma acareação entre o atual ministro do Trabalho e da Previdência, Onyx Lorenzoni, e o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) — que diz ter alertado o presidente Jair Bolsonaro sobre supostas irregularidades em negociações do Ministério da Saúde para a compra de vacinas.

Lorenzoni e Miranda terão de falar sobre a negociação em torno da aquisição da vacina indiana Covaxin. A compra foi suspensa pelo governo federal, em meio a suspeitas de irregularidades apontadas pela comissão. A data da acareação ainda não está definida.

Leia mais: “CPI da Covid determina quebra de sigilos do deputado Luis Miranda”

-Publicidade-

Depois das declarações de Miranda à CPI, Onyx, que ainda ocupava a Secretaria-Geral da Presidência, convocou uma entrevista coletiva em que rebateu o que disse o parlamentar. Onyx chegou a colocar em dúvida a autenticidade de documentos apresentados pelo deputado.

“Após as manifestações dos senhores Onyx Lorenzoni e Luis Miranda, ficaram evidentes diversas contradições em suas versões sobre os fatos, notadamente os relacionados às ‘invoices’ [documentos de importação] do caso Covaxin”, diz o requerimento apresentado pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Na semana passada, como Oeste noticiou, a CPI determinou a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático de Miranda.

Leia também: “Queiroga: contrato com a Precisa Medicamentos ‘já perdeu o objeto’”

Apesar da suspensão da compra da Covaxin pelo Ministério da Saúde, a Controladoria-Geral da União (CGU) concluiu que não houve sobrepreço nas ofertas para a compra do imunizante indiano.

Leia também: “Ministro da CGU confirma que não houve sobrepreço em negociação pela Covaxin”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro