De olho em 2022, Mandetta triplica aposta contra Bolsonaro

Em conversa com jornalistas, o ministro da Saúde voltou a se insurgir contra o presidente e tenta se firmar no cenário político
-Publicidade-
Mandetta é considerado carta fora do governo | Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República
Mandetta é considerado carta fora do governo | Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República

Em conversa com jornalistas, o ministro da Saúde voltou a se insurgir contra o presidente e tenta se firmar no cenário político

Mandetta é considerado carta fora do governo | Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República

Durante entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira, 15, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, triplicou a aposta contra Jair Bolsonaro na disputa pelo protocolo de combate ao coronavírus. Mais do que isso. Ao adotar mais uma vez o confronto direto com a hierarquia presidencial, Mandetta busca pavimentar um caminho solo rumo ao ano de 2022.

-Publicidade-

MAISGoverno procura substituto para Mandetta

O dia foi tenso tanto dentro quanto fora do Ministério da Saúde. A possibilidade de demissão do secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, auxiliar direto de Mandetta e o homem por trás da política de isolamento social recomendada pela pasta, acirrou de vez os ânimos entre o Palácio do Planalto e integrantes do ministério. Wanderson entregou o cargo; Mandetta não aceitou. Na coletiva, o ministro foi incisivo e disse: “Estamos aqui eu, Wanderson e Gabbardo [secretário-executivo do ministério]. Entramos juntos, estamos juntos e sairemos do ministério juntos”. Mandetta ainda externou um descompasso entre o que pensa o Ministério da Saúde e o que prega o presidente da República sobre as formas de condução da crise. “Ele [Bolsonaro] claramente externa que quer outro tipo de posição do Ministério da Saúde, mas eu, baseado em ciência, tenho esse caminho para oferecer”, destacou o ministro.

A mensagem do ministro foi clara. Integrantes do Palácio viram nela mais uma tentativa de jogar o presidente contra a parede. Mandetta tem consciência de que está fora do ministério e foi avisado por colegas médicos de que o mandatário busca uma alternativa para substituí-lo. A questão é que, neste momento, o ministro tenta forçar uma exoneração antes de a crise do coronavírus atingir seu ápice nos próximos meses. Não quer passar a imagem de covarde; de homem que “abandona paciente”, como ele mesmo tem dito nas coletivas. Nas palavras de um interlocutor do presidente, “Mandetta não quer abandonar o paciente, mas trabalha para que o paciente troque de médico”.

Mandetta sabe que sua exoneração antes de a pandemia atingir seu ápice o fortalece para alçar voos mais altos nas próximas eleições. Especula-se que seu caminho seja ou o Senado ou o governo do Estado de Mato Grosso do Sul. Integrantes do DEM, por outro lado, já especulam outro rumo: uma candidatura à Presidência da República. Qualquer um deles é factível. Mas tudo depende da forma como Mandetta sairá da crise do coronavírus.

Em política, time é tudo. Bolsonaro aguarda o melhor time para exonerar seu auxiliar; Mandetta quer ser exonerado hoje, consciente de que o pior ainda está por vir e não ser quer ser responsabilizado por isso. Agora resta aguardar quem dará o xeque-mate nesse jogo de xadrez.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

15 comentários Ver comentários

  1. O povo tem que lembrar dos partidos que só tem corruptos, ladrões e comunistas na hora de votar.
    Não votem NUNCA mais: DEM, PT, PSOL, PCdoBE, PSDB, MDB, e todos que tenham P na sigla, pois são todos filiados a um único partido: PCC

  2. Mais um querendo lucrar politicamente nesse momento tão difícil para o país … com essa classe política oportunista nosso país não tem o mínimo perigo de dar certo …

  3. Mandeta cheio de denúncias em seu estado ele é mau caráter e vai desaparecer logo do cenário político,o povo não é mais guiado pela política de políticos corruptos e desleais.

  4. O ex-ministro, declamando:
    Eu bato o portão sem fazer alarde… Eu levo a carteira de identidade… Uma saideira, muita saudade… E a leve (???) impressão de que já vou tarde!!!

  5. O isolamento horizontal não é ciência, é imitação do que alguns países fizeram. Outros fizeram o vertical e não alterou em nada o curso da doença. O que o Mandetta quer mesmo é quebrar o país para inviabilizar o governo do Presidente. Ele não está pensando no paciente, ele está sendo demagogo como os seus pares da velha política. Só não vê quem não quer! Mandetta é da mesma laia do Maia, Alcolumbre, Caiado, etc.

  6. Aqui no Brasil qualquer um que tem seus 15 minutos de fama, têm a pretensão de virar presidente da República ; ora ainda faltam 2 anos e meio para as próximas eleições até lá pode surgir um novo Tiririca , um jogador de futebol , uma Mariele da vida (Que agora parece que morreu mesmo) , um integrante do Judiciário e até um presidiário perdoado.

  7. Sr. Mandetta esta com medo de sair sozinho e quer toda sua equipe juntos. Não seja por isto, saiam todos abraçados então.
    #FicaEmCasaMandetta ou caia fora, pois esta você vai perder feio e vai levar muitos juntos.

    1. Sabe aquela “Conversa pra boi dormir”
      Mandeta é especialista nisso. Mas não vai longe não, quero ver o povo votar num sujeito que permitiu o avanço da doença se negando a realizar o uso da Hidroxicloroquina, indo contra a opinião de especialistas na área de infectologia ao custo de várias vidas humanas. Vá pro inferno Mandeta.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.