Desmatadores da Amazônia têm R$ 570 milhões bloqueados pela AGU

Força-Tarefa Em Defesa da Amazônia criada pelo órgão federal entrou com 45 ações civis públicas em um ano.
-Publicidade-
Força-tarefa da AGU já bloqueou R$ 570 milhões de desmatadores da Amazônia | Foto: Wilson Dias/Wikimedia Commons
Força-tarefa da AGU já bloqueou R$ 570 milhões de desmatadores da Amazônia | Foto: Wilson Dias/Wikimedia Commons | agu, amazônia, desmatamento, bloqueio financeiro, ação civil pública

Força-Tarefa Em Defesa da Amazônia criada pelo órgão federal entrou com 45 ações civis públicas em um ano

agu, amazônia, desmatamento, bloqueio financeiro, ação civil pública
Força-tarefa da AGU já bloqueou R$ 570 milhões de desmatadores da Amazônia
Foto: Wilson Dias/Wikimedia Commons
-Publicidade-

Em um ano de atividades, a Força-Tarefa em Defesa da Amazônia, criada pela Advocacia-Geral da União (AGU), conseguiu o bloqueio de R$ 570 milhões de grandes desmatadores. Até o momento, o órgão já entrou com 45 ações civis públicas contra infratores ambientais em Estados da Amazônia Legal.

As ações pedem reparação pelo dano ambiental em cerca de 34 mil hectares na Amazônia. O custo correspondente à reparação ultrapassa R$ 1,3 bilhão, segundo a AGU.

Em apenas um caso, a força-tarefa conseguiu que o Tribunal Regional Federal (TRF-1) da 1ª Região bloqueasse R$ 39,9 milhões de um grande desmatador e suspendesse o acesso dele a linhas de financiamento e a incentivos fiscais. A ação estabeleceu um precedente importante, porque foi a primeira decisão em segundo grau a determinar o tratamento especializado para grandes infratores pedido pelo órgão.

De acordo com a AGU, a jurisprudência do TRF-1 mostrava-se anteriormente reticente em relação ao pedido de bloqueio de bens e valores, mas a força-tarefa demonstrou a legitimidade do pedido com base no Artigo 225 da Constituição, que garante a preservação do meio ambiente como um direito.

Até agora, não foram proferidas sentenças nas ações da força-tarefa. Os bloqueios foram decididos por meio de liminares. No entanto, para a AGU, as decisões indicam que o aperfeiçoamento das ações civis públicas ambientais tem provocado resultados no acolhimento dos pedidos pelo TRF-1.

Com informações da Agência Brasil

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comments

  1. Se foram pegos descumprindo a lei de proteção ambiental, têm que ser processados, julgados e presos. Multas e bloqueios de patrimônio são ações intimidadoras apenas, e com a lentidão da justiça, não os assustam muito.

  2. Concordo com o Eric. As leis precisam avançar para que penas mais severas sejam aplicadas. Também há necessidade de Delegacias e Promotorias dedicadas exclusivamente a este tema. Como bem disse o Eric, se cair na malha da justiça irão para um “buraco negro” e os responsáveis nunca serão punidos ou seus crimes acabaram prescrevendo, como outros tantos. Se cair no tal STF então, GM manda soltar todo mundo. Leis mais duras. Órgão dedicados exclusivamente ao tema. Uma espécie de Lava Jato ambiental, já que estão acabando com a outra Lava jato.

  3. Esse é o real motivo da esquerda, dessa vez a frente o Partido Verde, acionar sua bancada oficial de advogados, capitaneados por Carmem Lúcia, para questionar o trabalho do Exército Brasileiro nos interesses da Pátria, e não aos interesses dos bandidos.
    É muito triste termos deixado chegar a esse ponto!

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site