Dono do Coco Bambu responde a Ciro Gomes depois de ofensas

Ex-ministro de Lula afirmou que o proprietário do restaurante é 'sonegador' e 'inescrupuloso'
-Publicidade-
Ciro Gomes é pré-candidato à Presidência da República pelo PDT | Foto: Mário Miranda/Amcham/Divulgação
Ciro Gomes é pré-candidato à Presidência da República pelo PDT | Foto: Mário Miranda/Amcham/Divulgação

O empresário Afrânio Barreira, dono da rede de restaurantes Coco Bambu, rebateu na quinta-feira 5 o pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT), depois de ser chamado de “vagabundo”. O pedetista xingou o empresário durante uma entrevista na segunda-feira 2 ao canal Dois Dedos de Teologia, do youtuber Yago Martins.

O ex-ministro falava sobre comércio ambulante, quando disse:

[Há] exploração por empresários inescrupulosos, sonegadores de impostos, que estão aqui em Fortaleza fazendo política bolsonarista. Esse vagabundo do Coco Bambu tem 50 restaurantes no Brasil e no mundo, cada um deles tem uma razão social diferente para não pagar imposto, para estar no Super Simples. Por isso que são tudo bolsonaristas, porque é tudo marginal”, disse Ciro.

-Publicidade-

Em resposta, o empresário Afrânio Barreira disse que Ciro “não falou uma única verdade. Caluniou, difamou e injuriou todos os sócios do Coco Bambu, que pagaram, em 2021, mais de R$ 100 milhões em impostos”. Segundo o texto, não há nenhum restaurante da rede no Simples Nacional.

E acrescentou: “Ele difama e calunia o Coco Bambu, falando de sonegação. O Coco Bambu, principalmente no Ceará, é ostensivamente fiscalizado há muitos anos. Nunca existiu sonegação fiscal no Coco Bambu, crescemos organicamente durante 30 anos através do trabalho.”

Leia a nota na íntegra

“Ele não falou uma única verdade! Caluniou, difamou e injuriou todos os sócios do Coco Bambu, que pagaram, em 2021, mais de 100 milhões em impostos! Não há nenhum Coco Bambu no Simples Nacional!

“Ele atacou não só o Coco Bambu, mas a todos os empreendedores do Ceará e do Brasil, que nas últimas 24 horas têm se manifestado fortemente contra essas declarações.

“O Coco Bambu é auditado pela maior empresa de auditoria do mundo, a PwC, e nunca teve ressalvas. Recentemente, o Coco Bambu também recebeu o prêmio internacional de ‘Empresas com Melhor Gestão’, da Deloitte, maior empresa de consultoria do mundo. Somente cinco empresas no Brasil conseguiram esse prêmio.

“Somos sistematicamente fiscalizados no Ceará. Temos zero processos tanto no município, como no estado e na União. Somos uma empresa séria que cresceu pelo trabalho.

Ele diz 50 restaurantes, são 64;

Não há nenhum Coco Bambu no Simples Nacional;

Ele difama e calunia o Coco Bambu, falando de sonegação. O Coco Bambu, principalmente no Ceará, é ostensivamente fiscalizado há muitos anos. Nunca existiu sonegação fiscal no Coco Bambu, crescemos organicamente durante 30 anos através do trabalho.

“Não somos tributados pelo Simples, já que as 64 lojas possuem faturamento acima do limite máximo permitido pelo Simples.

“Em 2021, pagamos entre impostos federais e estaduais aproximadamente R$ 100 milhões, gerando 7.200 empregos diretos no Brasil. Por fim, é lamentável que um candidato à Presidência da República utilize desses meios, denegrindo pessoas de bem e espalhando inverdades para aparecer na mídia.”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.