‘Eles não têm provas para me condenar’, afirma José Dirceu

Depois de condenado no Mensalão, em 2018 o ex-ministro foi preso por participar do escândalo envolvendo o saque à Petrobras
-Publicidade-
O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu após assinar na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal o termo que autoriza a cumprir prisão no regime aberto | FÁBIO POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL
O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu após assinar na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal o termo que autoriza a cumprir prisão no regime aberto | FÁBIO POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

Depois de condenado no Mensalão, em 2018 o ex-ministro foi preso por participar do escândalo envolvendo o saque à Petrobras

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu após assinar na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal o termo que autoriza a cumprir prisão no regime aberto | FÁBIO POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

O ex-ministro da Casa Civil do governo Lula José Dirceu (PT) garante que não volta à cadeia. Segundo ele, há falta de evidências que o levem de volta para trás das grades, de onde saiu graças à ajuda de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

-Publicidade-

“Eles não têm provas para me condenar por corrupção e lavagem de dinheiro nas relações com a Petrobras”, afirmou Dirceu ao programa Poder em Foco. O petista se refere à Operação Lava Jato — em um dos processos, ele foi condenado a mais de 30 anos de prisão.

Dirceu responde a seis processos na Justiça.

Em 2012, ele foi condenado pelo STF a 7 anos e 11 meses de cadeia em regime semiaberto por participar do Mensalão. Além disso, teve de pagar R$ 971,1 mil por corrupção ativa e formação de quadrilha, quando foi apontado como “chefe da quadrilha” do esquema.

Ao prender Dirceu em 2015, a Lava Jato, portanto, o apontou como “um dos instituidores do Petrolão”. Naquele ano, o ex-ministro foi condenado a 23 anos por corrupção passiva, recebimento de vantagem indevida e lavagem de dinheiro.

No entanto, conseguiu a liberdade graças aos ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes em 26 de junho de 2018, ao conseguir um habeas corpus.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. 30 anos de cadeia não vai resolver o problema dos brasileiros porque o dinheiro que pagam em impostos é que irá sustentar esse canalha na cadeia. Muito melhor que isso seria a pena de morte.

  2. A própria declaração já indica o fato: “Eles não tem provas para me condenar”, quando correto, caso fosse inocente, seria: Eu não cometi nenhuma ilegalidade ou as acusações são falsas… Chega a ser patético. Agora vejam quem foi que o liberou no STF. Precisa dizer mais alguma coisa?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.