-Publicidade-

Ex-ministros do Meio Ambiente fazem apelo a líderes europeus

Pelo Twitter, o jornalista Leonardo Coutinho resumiu a atitude em uma palavra: "Indigno"
"Nem os governos locais possuem todos os meios indispensáveis para socorrer as populações mais frágeis e vulneráveis da região", garantem os signatários da peça
"Nem os governos locais possuem todos os meios indispensáveis para socorrer as populações mais frágeis e vulneráveis da região", garantem os signatários da peça | Foto: Arquivo/Agência Brasil

Contra a “devastação” da Floresta Amazônica e os efeitos do surto de coronavírus na região, nove ex-ministros do Meio Ambiente enviaram uma carta a líderes europeus pedindo ajuda. No documento, José Goldemberg, Rubens Ricupero, Gustavo Krause, Izabella Teixeira, José Sarney Filho, José Carlos Carvalho, Marina Silva, Carlos Minc e Edson Duarte fazem um apelo por doações de remédios e equipamentos de saúde, como cilindros de oxigênio. Além disso, solicitaram que os governantes estrangeiros intercedam pelo Brasil perante países desenvolvidos.

Saiba por que a Amazônia não está em chamas

“Um urgente pedido de socorro que lhes dirigem os necessitados habitantes das nossas florestas, tão severamente assolados pela pandemia”, informa trecho da carta. Também os autores da peça desacreditam as gestões dos Estados e do presidente Jair Bolsonaro. “Consta que, conhecendo de perto a realidade amazônica, os signatários desta carta, ex-ministros do Meio Ambiente do Brasil, sabem por experiência que nem o governo federal, nem os governos locais possuem todos os meios indispensáveis para socorrer as populações mais frágeis e vulneráveis da região”.

Pelo Twitter, o jornalista Leonardo Coutinho resumiu em uma palavra a atitude dos ex-ministros: “Indigno”.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

12 comentários

  1. Esses canalhas sabem muito bem que esses líderes europeus estão enfrentando situação semelhante em seus países e sabem também que não terão as mínimas condições de ajudar em algo. Querem apenas colocar o governo do Bolsonaro em uma situação mais difícil ainda do que já está e que esses inúteis são incapazes de organizarem uma campanha interna de ajuda aos ribeirinhos, como o fez de forma solitária um artista sertanejo.

  2. Caro Leonardo Coutinho, vou discordar quanto ao INDIGNO, prefiro CANALHAS concordando com o Paulo Renato Versiani Velloso. Os nove canalhas, sabem que os lideres europeus, que tentaram contato não vão dar a mínima. Como burrice tem limite, muita burrice passa a ser outra coisa, os nove canalhas estão querendo aparecer e desestabilizar o governo do P. Bolsonaro perante a opinião pública, não vão conseguir. Eu nunca vi nenhum dos nove canalhas, que se dizem Ex-ministros do Meio Ambiente, fazer qualquer comentário sobre um ESGOTO A CEU ABERTO, chamado de Rio Tiete, que corta ao meio a maior metrópole brasileira.

    1. “Diploma universitário (e títulos acadêmicos) não ajuda a encurtar o tamanho das orelhas dos burros”. Barão de Itararé (1895 – 1971), jornalista, escritor e pioneiro no humorismo político brasileiro.

  3. não sei deixem enganar: as pessoas que assinaram essa carta (esqueceram de incluir Greta Thumberg, Bono, GreenPeace, etc.) são membros do obscuro Grupo Renascença – mais detalhes sobre esses maus brasileiros nessa matéria indicada abaixo.

    Rádio CBN – 09.Set.2020
    Miriam Leitão – Dia a Dia da Economia
    A diplomacia não pertence a um governo, ela tem que refletir os anseios do país como um todo
    https://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/314831/diplomacia-nao-pertence-um-governo-ela-pertence-ao.htm

    Míriam Leitão fala da reportagem que mostra movimento dentro do próprio Itamaraty para tentar resgatar a política externa depois de Bolsonaro. O programa Renascença une diplomatas da ativa e grandes expoentes da diplomacia brasileira, que já estão aposentados. ”

    “É preciso pensar em uma política externa pós-Bolsonaro porque essa tem errado e feito escolhas muito erradas”.

  4. Creio que monitorados pelo meu grande ex idolo FHC. Ressuscitaram essa múmia que pensávamos não mais incomodar após seus desabafos sinceros nos “diários da presidência” em seus 8 anos de conchavos políticos, ao velho estilo que Bolsonaro tentou acabar, mas está difícil. O que fizeram essas inutilidades em 30 anos para o meio ambiente que Bolsonaro destruiu em 1 ano de governo? Velha podridão do fica em casa com muitos recursos públicos para sustentá-los.

  5. Esses caras entregam o país de bandeja para os países desenvolvidos, são indignos para serem chamados de brasileiros, aínda estão remoendo a derrota nas eleições.

  6. Não vejo outro caminho a não ser eles admitirem que o Brasil domina o agro negócio cada vez mais, vamos dominar esse setor. Sem o agronegócio do Brasil passarão fome; eles sabem muito bem disso! O resto é choracão. 😥😥😥😥

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês