Folha faz mea-culpa e cobra ‘nova atitude’ de Bolsonaro

Depois de polêmica, jornal garante que torce pela pronta recuperação do presidente, mas não pediu desculpas em editorial
-Publicidade-
Sede do jornal Folha de S.Paulo, na capital paulista | Foto: DIVULGAÇÃO
Sede do jornal Folha de S.Paulo, na capital paulista | Foto: DIVULGAÇÃO | Sede do jornal Folha de S.Paulo, na capital paulista | Foto: DIVULGAÇÃO

Depois de polêmica, jornal garante que torce pela pronta recuperação do presidente, mas não pediu desculpas em editorial

folha
Sede do jornal Folha de S.Paulo, na capital paulista | Foto: DIVULGAÇÃO

Depois de publicar ontem o artigo do colunista Hélio Schwartsman em apologia da morte de Jair Bolsonaro, o jornal Folha de S.Paulo garantiu, na manhã desta quarta-feira, 8, que torce pela pronta recuperação do presidente. Cobrou, porém, mudança de postura do chefe do Executivo.

-Publicidade-

“Esta Folha […] deseja também que, assim como ocorreu com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, depois de infectado, o presidente mude de atitude em relação à maior crise sanitária enfrentada pelo Brasil ao longo de muitas gerações”, informou em editorial.

Além disso, o jornal teceu críticas ao fato de o presidente ter usado a hidroxicloroquina para tratar a covid-19: “Em vídeo divulgado posteriormente, tomou um medicamento de eficácia não comprovada nem recomendada para doentes no estágio em que ele se encontra”.

O jornal também afirmou que a eficácia da droga não encontra respaldo científico. Contudo, conforme noticiou Oeste, vários pacientes que utilizaram o remédio se recuperaram da doença provocada pelo vírus chinês. A Folha também destacou as mortes provocadas pelo patógeno.

No entanto, segundo reportagens de Oeste, a contaminação vem caindo no Brasil. Ainda, o número de recuperados já ultrapassou 1 milhão.

Leia também: “A solução que venceu a ideologia”, reportagem publicada na Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

28 comentários Ver comentários

  1. Jornaleco Folha de São Paulo, ele tomou hidroxicloroquina por indicação de seu médico conforme afirmou na Jovem Pan (Panico), e não porque é doce e gostoso. É de se esperar que os responsáveis por esse jornal, se necessário não aceitem tomar esse medicamento mesmo com indicação de seus médicos.

  2. A Folha de São Paulo tem uma utilidade imensa, principalmente durante a pandemia. Na falta de papel higiênico, tem muita gente recorrendo a ela.

  3. A Folha não fez retratação nenhuma, simplesmente aliviou convenientemente para evitar um estrago maior a sua imagem, cada dia pior, realizando um jornalismo antiético e voltado exclusivamente para sua tribo de radicais delirantes. Virou um jornaleco de luxo a muito tempo.

  4. Não serve de absolutamente nada esse pseudo pedido de desculpas…na verdade, como sabemos todos, esse pasquim de esquerda está “cxgxndo e xndxndo” para a saúde do Presidente. Isso se deve apenas ao instinto de sobrevivência, dado que sabem que boa parte de seus leitores “aquela categoria de isentolandia, do não é bem assim” não deve ter gostado e estão com medo de perder ainda mais assinantes do que já devem ter perdido nos últimos tempos…
    Esse pedido de desculpas é tão verdadeiro quanto nota de 3 reais e obviamente não deve ser levado em consideração. Além disso, o texto tenta jogar a culpa para o Presidente…como se a culpa do texto ter sido escrito fosse do Presidente…e a medicação que ele toma ou não toma, agora, também é da conta do pasquim…
    Como se vê…agora sabemos onde está o tal do gabinete do ódio…!

  5. Fui assinante da Folha de São Paulo por quase 25 anos e como outros milhares de assinantes cancelei a minha assinatura em 2018 durante a campanha presidencial, pois causava asco e revolta ver o viés ideológico do pasquim em que se tornou. Creio que damos muita atenção ao que publicam e a FSP somente tem que ser colocada em seu devido lugar de jornaleco da “resistência”.

  6. A Folha é assim por existirem cretinos suficientes para sustentá-la. Quem gosta que faça bom proveito, mas depois não reclame da próprio cretinice.

  7. Não vejo razão para a polêmica sobre a cloroquina. Ora, na falta de medicamentos para tratar do covid, o que fazer? Para mim vale tudo, inclusive benzedeira. Quem que pendurado no penhasco não se socorre de qualquer galho? Quem vai perguntar se o galho é seguro? Será a resposta da vida do indivíduo. Aí vale tudo. Parabéns Bolsonaro. O que importa é a esperança de que o medicamento de certo.

    1. Primeiro, a folha deveria, se fosse um jornal decente, não publicar o artigo violento e repugnante se seu suposto jornaliata.incentiva a violência e deseja a morte do presidente. Segundo, deveria pedir desculpas e se portar como algo digno. E terceiro,mente ao dizer que o medicamento não age na fase em que se encontra o presidente. Ao contrário,nesta fase é que ele é eficiente. A Folha permanece manipulando e negando informações. Bolsonaro há de sair maia forte de mais está onda de ódio movida a partir da imprensa , a frente a folha e fede Globo. A cultura do medo não supera nem trata uma pandemia. Olhe a quantidade de médicos hj em quase todos os Estados brasileiros pedindo para utilizarem o protocolo da hidroxicloroquina. Folha não falou a verdade, portanto, sobre o medicamento

  8. Ainda tem quem leia esse pasquim horroroso ? Folha do Foro de São Paulo, antro petista, em estado pré-falimentar, faz proselitismo, não faz jornalismo.

    1. Quando tinha 15 anos, sob forte influência de professores esquerdistas, achei que era certo o marxismo. Depois de três meses, tendo náuseas quando lia “tribuna operária” e outros lixos, abandonei essa idiotice. Após a queda do muro e extinção da antiga União Soviética achei que o marxismo morreria de inanição. Taí a Folha mostrando que o marxismo cultural está vitaminado!

      1. Folhetim de propaganda de esquerda!
        A Foice agora perdeu a serventia, antes ainda servia como papel higiênico, agora nem isso!
        Muita hipocrisia, está agonizando em razão da crise de abstinência!
        A mídia prostituida, que se vendeu ao longo das últimas décadas está em seus estertores!
        Avante, Capitão!

      2. Esse pasquim é um lixo. Quanto ao “blogueiro” parabéns pelo seu minuto de fama, agora a volta ao ostracismo.

    2. Em toda essa polêmica, uma conclusão salta aos olhos de leitor sério e independente, que por infelicidade tenha lido o redigido: tanto o jornal quanto o autor, de forma pouco velada, estimulam que um outro Adélio volte a atentar contra a vida do presidente.

    3. Louvável a coerência. Esperar o contrário é querer do Lula um pedido de desculpas por usar a morte da esposa e do irmão pra fazer politica de má qualidade ou esperar do Partido Comunista Chinês um pedido de desculpas pelo massacre na praça da Paz Celestial.

    4. Engraçado cobram de Bolsonaro o problema da atual situação. E se fazem de desentendidos mesmo sanendo que os culpados são os governadores, precritos e stf.

    5. Muito engraçado políticos e a mídia exigindo comprovação científica para um vírus que acabou de sofrer uma mutação. Isso não existe! O que deveria ter sido feito desde o início, era o exame em massa da população, para posteriormente ter sido adotada uma ação.
      Ao invés disso, se locupletarem com o dinheiro público e não tomaram as devidas medidas, nem reestruturar a rede pública de saúde.
      A quarentena imposta, também foi sem comprovação científica. Tanto é que vimos pessoas infectadas que nem sequer saíram de suas casas. E até o presente, não nos deram nada de concreto.
      Não respeitaram o decreto do presidente, politizaram um vírus , e o que existe, e é o que está sendo feito, endossado pelo Conselho Federal de Medicina, sendo copiado por outros Países, é o uso da hidroxicloroquina na fase inicial, que vem apresentando ótimos resultados, medicamento que esses políticos escusos vem impedindo de chegar à população, pelo fato de ter sido defendido pelo presidente, ocasionando várias mortes.
      O vírus está aí, é um fato! Com ou sem máscara, ficando ou não em casa, nos defrontaremos com ele. Temos que aguardar a vacina, (que não seja a da China).
      A máscara de nada protege.
      A questão é ter hábitos saudáveis de vida, uma boa alimentação e uma boa higiene.
      De resto é especulação de políticos corruptos e de uma mídia hipócrita!

    6. E agora que a China defende o uso da Cloroquina, o que a Foice vai fazer? Criticar a “pátria mãe” para continuar sua empreitada de ser contra o Presidente independente do que seja, ou concordar com ela e amargar ter que dar razão ao PR?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.