-Publicidade-

Guedes decide enfrentar Maia ao agilizar envio do imposto digital

Objetivo de Guedes é evitar que a proposta de imposto sobre transações digitais se desidrate por pressão de Maia sem o debate no Congresso
O ministro da Economia Paulo Guedes entrega a primeira parte da reforma tributaria Após entrega da proposta de reforma tributária do governo federal, o presidente do Senado Federal, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), concede entrevista coletiva | Foto: Pedro França/Agência Senado
O ministro da Economia Paulo Guedes entrega a primeira parte da reforma tributaria Após entrega da proposta de reforma tributária do governo federal, o presidente do Senado Federal, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), concede entrevista coletiva | Foto: Pedro França/Agência Senado | rodrigo maia, davi alcolumbre, paulo guedes, congresso nacional, Câmara dos Deputados, Ministério da Economia, reforma tributária

Objetivo de Guedes é evitar que a proposta de imposto sobre transações digitais se desidrate por pressão de Maia sem nem ainda ter sido debatida no Congresso

rodrigo maia, davi alcolumbre, paulo guedes, congresso nacional, Câmara dos Deputados, Ministério da Economia, reforma tributária
O ministro da Economia, Paulo Guedes, entregou a primeira parte da reforma tributária aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre  
Foto: Pedro França/Agência Senado

A decisão do governo de encaminhar logo as propostas restantes de reforma tributária é simples e direta. A intenção da equipe econômica é pôr em discussão quanto antes o tributo sobre transações digitais para evitar que a proposta se desidrate sem nem ter sido amplamente discutida de forma oficial no Congresso.

Na prática, admitem interlocutores governistas, a decisão é não deixar que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), enterre o debate monocraticamente. O demista vem emitindo a todo momento opinião contrária ao tributo defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. A arrecadação do imposto seria destinada a desonerar a folha de pagamento das empresas, ou seja, reduzir os gastos com a contribuição previdenciária patronal.

O problema é que, ao se opor ao tributo sobre transações digitais, Maia usa sua força e influência política para tentar obstruir o debate no Parlamento, analisam governistas. “Esse debate [da reforma tributária] não pode ser mais fragmentado, tem que ter visão mais ampla. Principalmente quando se tem o Maia querendo interditar o debate. Ele tem o direito de ser contra, mas de não falar e dar sinais de que é contra e, portanto, a pauta não avança”, critica um interlocutor.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

10 comentários

  1. Parte pra cima desses cânceres! Guedes e Bolsonaro têm muito mais apoio popular do que eles. Deixem que eles se expliquem . E se forem contra os projetos, perderão votos.

  2. Imposto de 0,2 sobre consumo digital é uma grande sacada .vc tem uma compra de cem reais ,o imposto é vinte centavos ,não tem sonegação ,desonera a folha e diminui o desemprego.esse Botafogo tá afim de atrapalhar.e um vagabundo sem votos.

    1. Eduardo há alguns anos atrás eu li um comentário em uma reportagem em que uma pessoa denunciava que grandes correntistas cooptavam funcionários dos bancos pra não pagar a então cpmf. Não sei se é verdade,mas se for, vai sobrar pra nós e a grande sacada já era.

  3. Essa proposta de nova CPMF gera um desgaste desnecessário para o governo e outras pautas não avançam ou são tratadas com má vontade.
    Essa proposta não tem o apoio da população.
    #CPMFNão
    #ITFNão

  4. Maia, Alcolumbre e partidos de esquerda, entre outros, não têm capacidade e competência para se estabelecerem num país livre e democrático.
    Faltam-lhes o essencial para alçarem um assento ao sol por mérito: Competência e lisura de caráter; sem isso, só lhes restam a sabotagem, a chantagem e a destruição do que lhes aflige!

  5. Excelente sugestão do Guedes. Parabéns! O alcance deste imposto será amplo e atingira movimentações “obscuras” que atualmente se escondem sobre as organizações criminosas bem como no emaranhado de leis desenvolvidas para proteger grupos de pressão. Além disso, com a desoneração da folha de pagamento, teremos injeção direta de renda e emprego nas classes menos favorecidas. Bem, frente a isso, claro que o botafogo é contra……..a ideia não foi dele

  6. Entenda gente, o imposto é por TRANSAÇÕES DIGITAIS e é um sacrifício que tem que ser feito pra melhorar o ambiente de negócios. Ou vocês não querem empresas investindo e consequentemente mais empregos? Acordem! Não sejam egoístas e pensem NO TODO. No futuro pode ser que possamos abaixar ou extinguir o imposto, então colaborem se quiserem realmente um país melhor.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês