Justiça manda YouTube reativar canais do Terça Livre

Plataforma de vídeos do Google terá de pagar diária de R$ 5 mil em caso de descumprimento da ordem
-Publicidade-
Allan dos Santos, um dos integrantes do Terça Livre
Allan dos Santos, um dos integrantes do Terça Livre | Foto: Reprodução/Jovem Pan

Os canais do Terça Livre no YouTube deverão voltar ao ar em breve. Em decisão divulgada nesta sexta-feira, 12, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) derrubou a censura imposta pela plataforma de vídeos pertencente ao Google contra o projeto de conteúdo.

No TJ-SP, a decisão favorável ao Terça Livre também incluiu a possibilidade de multar o YouTube. De acordo com o site do projeto de conteúdo político, a rede social audiovisual terá de arcar com multa de R$ 5 mil por dia em caso de descumprimento da decisão judicial.

-Publicidade-

“Derrubou dizendo que nós violamos as políticas do YouTube”

Um dos criadores do projeto Terça Livre, o jornalista Allan dos Santos falou sobre o caso em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan. Ele garantiu que até hoje não sabe o motivo da suspensão dos canais. “Derrubou dizendo que nós violamos as políticas do YouTube. Só que não disseram em qual momento”, afirmou ao participar da atração, que conta com três colunistas da Revista Oeste: Ana Paula Henkel, Augusto Nunes e Guilherme Fiuza.

Censura

Os dois canais mantidos pelo Terça Livre no YouTube foram derrubados em 3 de fevereiro. Conforme registrado por Oeste na ocasião, a plataforma de vídeo pertencente ao Google limitou-se a dizer que se reserva o “direito de restringir a criação de conteúdo de acordo com os próprios critérios”.

Leia também: “Liberdade para mim, censura para você”, artigo de Márcio Ramos, presidente do Instituto de Formação de Líderes de São Paulo (IFL)

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários

  1. O Tribunal de Justiça de SP acertou na decisão, mas errou de forma grotesca na estipulação da multa. Tinha que ser no mínimo dez vezes maior. R$5 mil para o YouTube é troco de pinga.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro