Justiça mantém decisão de pôr tornozeleira eletrônica em Flordelis

Deputada havia entrado com recurso para não ser obrigada a utilizar equipamento.
-Publicidade-
Desembargador não permitiu que Flordelis fique sem tornozeleira eletrônica e saia à noite de casa | Foto: Reprodução/Instagram
Desembargador não permitiu que Flordelis fique sem tornozeleira eletrônica e saia à noite de casa | Foto: Reprodução/Instagram | flordelis, tornozeleira eletrônica, justiça

Deputada havia entrado com recurso para não ser obrigada a utilizar equipamento

flordelis, tornozeleira eletrônica, justiça
Desembargador não permitiu que Flordelis fique sem tornozeleira eletrônica nem que saia à noite de casa | Foto: Reprodução/Instagram

O desembargador Celso Ferreira Filho, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), indeferiu pedido da deputada federal Flordelis para que não use tornozeleira eletrônica. Ele ainda exigiu que a parlamentar permaneça em recolhimento domiciliar noturno.

-Publicidade-

O magistrado também não aceitou o pedido para que as medidas cautelares fossem apreciadas pela Câmara dos Deputados.

Na decisão, o desembargador alegou que, ainda que argumentasse no pedido de habeas corpus que Flordelis não pretendia se furtar à instrução penal, a deputada não se apresentou espontaneamente para a colocar a tornozeleira. Para Ferreira Filho, isso prova a necessidade de monitoramento.

A Justiça nem sequer conseguiu intimar a deputada a instalar o equipamento desde quando a ordem foi expedida, no último dia 18.

“Apesar das alegações defensivas que a paciente não pretende furtar-se à instrução processual, informando a entrega de passaportes e relembrando do cumprimento escorreito da intimação em local e hora aprazados pela assessoria da paciente, pontuando a lisura de seu comportamento, não se tem qualquer evidência processual ou notícia jornalística, qual seja, que a ré tenha se apresentado espontaneamente para a colocação do equipamento, como determinado pela Autoridade Coatora, denotando tal comportamento recalcitrante que o monitoramento eletrônico decretado é realmente necessário”, observou na decisão o desembargador.

Os advogados de Flordelis também entraram com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal, mas ainda não obtiveram resposta.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Essa assassina safada deveria ser levada para um outro planeta a 1 milhao de anos luz daqui e
    parar de encher o saco. Ja deu! Esse planeta deveria tambem servir para mandar esses trastes, arremedos de ser humano daqui. Uma ilha nao sera o bastante.
    Nao passam de bestas.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.