Kassab vira réu por corrupção, lavagem de dinheiro e caixa 2

A acusação diz que o ex-prefeito recebeu quantia superior a R$ 16 milhões indevidamente do frigorífico JBS
-Publicidade-
Kassab é ex-prefeito da cidade de São Paulo
Kassab é ex-prefeito da cidade de São Paulo | Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A Justiça Eleitoral de São Paulo aceitou a denúncia do Ministério Público e tornou réu o ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD) pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, caixa 2 eleitoral e associação criminosa. Kassab foi denunciado pelos crimes em fevereiro e negou, na ocasião, ilicitudes, afirmando que iria provar que os recursos eram de origem lícita. Em nota, a defesa do ex-prefeito afirmou que “irá demonstrar, com farta documentação processual e de forma cabal e inequívoca”, os valores recebidos por ele que foram para “real e efetiva prestação dos serviços dos contratos”, que se referem a atividades lícitas e que “não guarda relação com eventuais funções públicas, nem com atividade político partidária exercidas”.

A acusação diz que Kassab recebeu, entre janeiro de 2014 e dezembro de 2016, quantia superior a R$ 16 milhões indevidamente do frigorífico JBS em razão de sua função de ministro, “antes e depois de assumi-la”. Na decisão que aceitou a denúncia, o juiz Marco Antonio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral de SP, afirmou haver “indícios da ocorrência dos crimes”, “bem como da autoria”. O juiz afirmou ainda que, apesar de ser o recebimento da denúncia uma análise inicial, não teria como aceitar os argumentos da defesa de Kassab para o processo. Segundo Martin Vargas, além da delação premiada de executivos da JBS, há muitas provas no inquérito da Polícia Federal que enfatizam a importância de se analisar com mais profundidade o caso. As informações são do G1.

-Publicidade-

Leia também: “Caixa 2, corrupção e lavagem de dinheiro: Kassab está na mira do MP”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.