Lava Jato: Ministério Público quer recuperar R$ 230 milhões de doleiro

Dinheiro e bens estão ligados a Dario Messer, afirmam procuradores
-Publicidade-
O doleiro Dario Messer | Foto: Reprodução/Facebook
O doleiro Dario Messer | Foto: Reprodução/Facebook | dario messer - doleiro - devolução de milhões - mpf - lava jato

Dinheiro e bens estão ligados a Dario Messer, afirmam procuradores

dario messer - doleiro - devolução de milhões - mpf - lava jato
O doleiro Dario Messer | Foto: Reprodução/Facebook

O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ) quer ver o quanto antes nos cofres públicos dinheiro obtido a partir de operações financeiras ilegais. Dessa forma, o órgão informou na manhã de hoje que pediu à Justiça a transferência de mais de R$ 230 milhões em bens ligados a Dario Messer, conhecido como o “doleiro dos doleiros” e que já tinha prometido a devolução R$ 1 bilhão às autoridades brasileiras.

-Publicidade-

Leia mais: “Lava Jato denuncia ex-diretores da Dersa em São Paulo”

Os responsáveis pelo MPF-RJ afirmam que a quantia na casa da centena de milhão foi levantada pela força-tarefa fluminense da Operação Lava Jato. De acordo com as informações oficiais divulgadas por ora, o total em bens é composto por dinheiro em espécie e depósitos bancários de cerca de R$ 137,5 milhões. Os outros R$ 92,8 milhões são frutos de apartamentos, casas e terrenos em São Paulo e no Rio de Janeiro.

A força-tarefa da Lava Jato afirma que entre os itens levantados estão em “bairros valorizados”. São os casos, por exemplo, de uma cobertura & duas salas comerciais no Leblon, uma mansão na Lagoa, duas salas comerciais sete apartamentos na Barra da Tijuca e outros dois apartamentos no Itaim Bibi. Além dos imóveis, as autoridades garantem que ainda há obras de arte para entrarem na conta, assim como bens em países como Paraguai e Estados Unidos.

“As instituições estão trabalhando de forma eficiente e rápida na prevenção e na repressão a crimes”

“A restituição de todo esse patrimônio aos cofres públicos demonstra que as instituições estão trabalhando de forma eficiente e rápida na prevenção e na repressão a crimes, em especial de lavagem de dinheiro”, afirmam os procuradores da Lava Jato no Rio de Janeiro sobre os bens ligados a Messer, parentes e doleiros ligados a ele. “A perda do produto dos crimes por parte de quem os praticou também revela cada vez mais que o crime não compensa”, prosseguem os integrantes do MPF-RJ.

Delator da Globo

Condenado em agosto a 13 anos de prisão, Dario Messer recorre em prisão domiciliar. Em delação premiada, ele afirmou que o esquema operado por ele tinha executivos do Grupo Globo como clientes. De acordo com o doleiro, dois integrantes da família Marinho seriam os destinatários de repasses mensais de lotes de dinheiro. Em nota, os irmãos João Roberto e Roberto Irineu Marinho negaram as acusações, conforme noticiou Oeste.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro