Moraes dá 10 dias para PF ouvir Bolsonaro sobre ‘vazamento de dados’

Presidente divulgou um inquérito sobre ataque hacker aos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral
-Publicidade-
A determinação à PF foi dada no âmbito do inquérito inconstitucional que apura supostos ataques ao TSE
A determinação à PF foi dada no âmbito do inquérito inconstitucional que apura supostos ataques ao TSE | Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nesta terça-feira, 18, que a Polícia Federal (PF) tem até 28 de janeiro para ouvir o presidente Jair Bolsonaro sobre o vazamento de dados.

A determinação à PF foi dada no âmbito do inquérito inconstitucional que apura supostos ataques ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), noticiou o jornal Folha de S.Paulo, que obteve acesso a documentos expedidos por Moraes.

Em agosto do ano passado, Bolsonaro divulgou nas redes sociais o link com a íntegra de um inquérito da PF. O procedimento apura um ataque hacker ao sistema interno do TSE, em 2018, que violou as urnas eletrônicas.

-Publicidade-

Conforme os investigadores da PF, os criminosos obtiveram o código-fonte das máquinas. Intimado a prestar depoimento presencial, Bolsonaro terá de dar explicações. Trata-se de uma das últimas etapas da investigação.

Especialista levanta dúvidas sobre as urnas

Amílcar Brunazo, engenheiro especialista em segurança de dados e voto eletrônico, afirmou que a confiabilidade das urnas eleitorais é duvidosa. De acordo com ele, o equipamento pode ser objeto de fraude. “O software é desenvolvido no TSE seis meses antes das eleições, compilado com 15 dias de antecedência, transmitido por internet pelos tribunais regionais e por cartórios e gravado num flashcard”, explicou Brunazo, durante audiência pública em comissão especial da Câmara dos Deputados, em 2021.

“A equipe do professor Diego Aranha, dentro do TSE, mostrou ser possível pegar esse cartão, inserir nele um código espúrio, que não foi feito pelo TSE, e colocar na urna eletrônica”, salientou o especialista, ao mencionar que os brasileiros acabam tendo de confiar no servidor que vai pôr o dispositivo na máquina. “Muitas vezes é um profissional terceirizado. Realmente, o processo eleitoral brasileiro depende da confiança de todos os funcionários envolvidos. Isso é um equívoco”, lamentou Brunazo.

Leia também: “É proibido modernizar a urna eletrônica?”, reportagem publicada na Edição 69 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

16 comentários Ver comentários

  1. Que moral tem esse Xandão, ditador, apátrida, fora da lei, pra intimar nosso presidente? Deveria ser o contrário, ele que deveria ser intimado pra explicar as merdas que faz…

  2. A investigação do TSE sobre o hacker de 2018, q ficou dentro do sistema por mais de 6 meses, estava ainda em sigilo em 2021, pois a intenção do tribunal era fazer o tema morrer caindo no esquecimento. Lembrem q aquele deputado federal e o PR divulgaram q pessoas do TSE acabaram (eles disseram inadvertidamente) apagando os logs do programa q poderiam revelar por onde o hacker passeou dentro do sistema. Numa clara inversão de valores, os caras q devem uma completa explicação para a sociedade (STF e TSE) acusam quem trouxe à luz de todos um tema que jamais poderia se desenvolver sob segredo, sigilo, ou seja, debaixo dos panos e sem qualquer transparência.

  3. Alguém precisa frear esses elementos do stf, talvez a extinção dessa corte seria interessante para a harmonia no Brasil, eles provocam instabilidade..

    1. O Bostonaro, um pária presidente, um estúpido, em breve teremos um presidente digno para o Brasil. Como pode vazar inquérito sob sigilo, que tipo de cidadão comanda o país, ele deveria ser o primeiro a manter a ética processual, como pode confiar neste indivíduo, que pretendia explodir quartel e represa.

  4. Os milhoes de cidadãos pagadores de impostos brasileiros dão 24 horas a Alexandre de Moraes, que é um mero empregado desses, a explicar por que está se reservando ao direito de ter a conduta de um déspota facínora, extrapolando completamente as suas atribuições e sapateando na constituição que jurou defender ao assumir essa cadeira, para o qual obviamente não está preparado e da qual será ejetado na próxima legislatura do Senado. Canalha vagabundo mau carater.

  5. A verdade censurada e a mentira nadando de braçada e AI, (ai no sentido de DOR mesmo) de quem tentar explicar que a PF mostrou que o hacker entrou lá no TSE. Mas essa verdade não vale, não pode. O que PODE é apenas Barroso delicadamente dizer que sistema é o mais seguro do MUNDO. Até onde vai isso?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.