Moraes pede que PGR se manifeste sobre pedido de indiciamento de Bolsonaro

PF enviou relatório ao STF em que afirma que há indícios de que o presidente cometeu incitação ao crime
-Publicidade-
Alexandre de Moraes, ministro do STF | Foto: Agencia Brasil/Marcelo Camargo
Alexandre de Moraes, ministro do STF | Foto: Agencia Brasil/Marcelo Camargo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou nesta sexta-feira, 19, para manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR), pedido da Polícia Federal (PF) de indiciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). Na última quarta 17, a PF enviou um relatório ao STF em que afirma que há indícios de que o presidente da República e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro, cometeu incitação ao crime ao relacionar a vacina contra a covid-19 ao vírus da aids.

De acordo com o Supremo, o pedido de manifestação da PGR é medida de praxe e faz parte do trâmite processual, uma vez que cabe ao órgão apresentar eventual acusação contra autoridades com prerrogativa de foro no STF. 

A PF pede que seja autorizada a tomada de depoimento de Bolsonaro e pediu autorização do STF para indiciar Bolsonaro e o tenente-coronel Mauro Cid, ajudante de ordens do presidente, que ajudou a produzir o material divulgado na live.

-Publicidade-

A investigação foi aberta pelo ministro no dia 3 de dezembro de 2021. Na época, a Procuradoria-Geral da República se manifestou contra a abertura do inquérito, afirmando ao Supremo que já havia instaurado uma apuração preliminar sobre o caso. No entanto, Moraes afirmou que “não basta” à PGR apenas informar que foi aberta uma apuração preliminar. Segundo ele, é preciso haver supervisão judicial sobre o andamento do caso.

A transmissão de Bolsonaro

Na transmissão, Bolsonaro leu uma notícia de que pessoas vacinadas contra a covid-19 estariam desenvolvendo a síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids) e de que um estudo médico norte-americano teria comprovado que a maioria das vítimas da gripe espanhola teria morrido, na verdade, de pneumonia bacteriana causada pelo uso de máscara.

No documento, a Polícia Federal pede ainda, como último ato do inquérito, autorização para colher depoimento do presidente, presencialmente ou por escrito.

O inquérito foi aberto a partir de uma representação do senador Omar Aziz (PSD-AM), que foi presidente da CPI da Covid e atribuiu a Bolsonaro os crimes de delito de epidemia, infração de medida sanitária preventiva e incitação ao crime.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

15 comentários Ver comentários

  1. PARABÉNS À EQUIPE DOS COMENTARISTAS DA JOVEM PAN, POR TEREM RESPEITO À INTELIGÊNCIA DO DO CIDADÃO CONTRIBUINTE! TODAVIA, ENGOLIR FÁBIO PIPERNO, AMANDA KLEIN, GUGA NOBLAT E DIOGO SHELP NÃO É FÁCIL. HAJA
    ANTIÁCIDOS!

  2. Gostaria demais se Bolsonaro fosse impedido de se candidatar e mais ainda, fosse preso sem motivo. Aí o país ficaria em cheque e o judiciário mais ainda. Gostaria de saber o que os políticos fariam além das Forças Armadas. Gostaria de ver Fux ou Moraes empossado como presidente da República. Ou talvez um “moderado” como Gilmar Mendes, o chorão, sob o comando do Luladrao. Será que o povo carneirinho iria se prostrar ou se levantar? E as FFAAs? Quando é que Soros mandaria seu exército de ONGs invadirem a Amazônia para começarem a coordenar os saques? E a ONU e EUA? Seria interessante ver isso.

  3. Assunto requentado… Estão dizendo por aí que a procuradora Lindora Araújo está a acusar o “nobre” ministro de contaminar provas do inquérito das “fakes news”. Crime gravíssimo e que, se comprovado, alguém aí vai se ferrar. Parodiando Shakespeare, “há algo de podre no Olimpo do planalto central do Brasil”.

  4. Tentei rever uma cena do ministro no interior de SP sendo indiscreto no celular e com amigos.
    Virou Conceição, ninguém sabe ninguém viu; o google faz a história, quem lembrou lembrou, quem não lembrou não existiu.
    Não será assim, eu lembro!

    1. Tem que ser muito inseguro da própria competência para ficar colocando em celular que vai ser ministro do STF (NUNCA JUIZ) por indicação do Temer.
      Mas faz muito sentido.

  5. O desespero da petralhada é a minha alegria.

    Essas tentativas inúteis de incriminar o mito são aprova de sua vitória vai ser esmagadora.

    Depois da vitória, ART 142 da CF neles !

  6. Arrombaram minha morada mais uma vez.
    Eu não votei em nada disto aí!!!
    Será que conseguirão minar-me?
    EM NOME DO CAPITÃO QUE ABRAÇOU MINHAS PAUTAS MAIS PRIORITÁRIAS, DESDE 2016/17, DIGO AOS MEUS COMPATRIOTAS, QUE ESTOU A POSTOS
    A morada arrombada, está em reforma

    1. Perdão, mas tenho que discordar. Pendo ser temerário generalizar essa afirmação. A maioria dos profissionais da PF é composta por cidadãos de bem e comprometidos com a lei. Mas está claro também que, após o escandaloso aparelhamento do Estado por essa esquerda criminosa, há bandas podres minoritárias em quase todas as instituições de Estado: TCU, MPF, MPE, e PF. Todos nós, enquanto sociedade civil, estamos tendo que enfrentar esse embate diário contra o mal. Mesmo após a reeleição de JB e limpeza no CN, a luta vai continuar até punir os principais conspiradores e incapacitar seus séquitos de espertalhões oportunistas. Ainda vai demorar alguns anos.

      1. Obrigado à Jovem Pan, por ter um jornal como OS PINGOS NOS IS, para deixar esse esquerdista Diogo Schelp, não tem conhecimento jurídico do sistema de apuração dos votos auditáveis, que na verdade o TSE, quer o controle total das apuração, mas que natural dependendo do eleito o presidente do Brasil, pode-se provocar uma insurreição civil.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.