MPF processa Pazuello por responsabilidade na crise de oxigênio no Amazonas

Ministério Público Federal afirma que foram identificados cinco atos de improbidade administrativa
-Publicidade-
Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello | Foto: Pedro França/Agência Senado
Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello | Foto: Pedro França/Agência Senado

O Ministério Público Federal ajuizou ação de improbidade administrativa contra o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o secretário estadual de Saúde do Amazonas, Marcellus Campelo, por omissões que teriam contribuído para a crise no fornecimento de oxigênio e o aumento no número de mortes por covid-19 no Estado.

A ação, apresentada na terça-feira 13 à Justiça Federal no Amazonas, inclui ainda três secretários do Ministério da Saúde e o coordenador do Comitê de Crise do Amazonas, Francisco Ferreira Máximo Filho.

-Publicidade-

Leia mais: “CPI da Covid deve ser presencial, mas Pacheco abre possibilidade para atividades remotas”

O MPF afirma que foram identificados cinco atos de improbidade administrativa, incluindo “atraso e lentidão do Ministério da Saúde no envio de equipe para diagnosticar e minorar nova onda de covid-19 no Amazonas e omissão no monitoramento da demanda de oxigênio medicinal”.

Segundo o Ministério Público, as omissões dos agentes públicos ocorreram entre dezembro de 2020 e janeiro deste ano na segunda onda da pandemia.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 comentários

  1. É só a família brasileira confiar no general, que logo querem maltratar o distinto.
    Mais sério foi aquela dosagem cavalar maldosamente ministrada criminosamente nos cobaias “cloroquinas”, mortes que certamente não serão apuradas.

  2. MP é “isentopata”.
    Não se manifesta contra as arbitrariedades inconstitucionais de prefeitos e governadores e agora se presta a mais um serviço de sabotagem que visa derrubar o presidente.

  3. O povo não entende uma coisa: por que o MPF só abre processo no caso de Manaus? Todo o mês de março vimos e assistimos o colapso dos hospitais e abastecimento de insumos em vários municípios. Ou o MPF é cego ou militante político.

  4. O MP, seja federal ou estadual, é um paraíso de privilégios imorais. Não bastasse são militantes políticos partidários. Sempre me pergunto a razão do Brasil ter essa “elite” tão desqualificada. Será algo na água daqui?

  5. PERGUNTAR NÃO OFENDE: Um produto , essencial ou não, deixa de faltar em um estoque de repente???? Quem controla estoque é o consumidor ou o fornecedor??? Quem controla a dispensa de uma casa são os donos ou o supermercado???? Quem controla um estoque não sabe calcular sua duração???? Realmente, parece que há algo de podre no reino de Pindorama!!!

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site