O ‘não voto’ foi o grande campeão na eleição em São Paulo

Cerca de 3,6 milhões de eleitores não votaram nos candidatos disponíveis
-Publicidade-
Bruno Covas, prefeito de São Paulo | Foto: Gilberto Marques/fotospublicas.com
Bruno Covas, prefeito de São Paulo | Foto: Gilberto Marques/fotospublicas.com

Cerca de 3,6 milhões de eleitores não votaram nos candidatos disponíveis

Bruno Covas, prefeito de São Paulo | Foto: Gilberto Marques/fotospublicas.com
-Publicidade-

Não votar em nenhum candidato foi a opção mais escolhida pelos paulistanos para o cargo de prefeito nos dois turnos da eleição municipal de 2020. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, a cidade de São Paulo tem quase 9 milhões de eleitores e cerca de 3,6 milhões deles resolveram votar em branco, anular o voto ou simplesmente não comparecer ao local de votação em cada um dos turnos da disputa eleitoral.

No primeiro turno, o prefeito Bruno Covas (PSDB) recebeu cerca de 1,7 milhão de votos e Guilherme Boulos (Psol), pouco mais de um milhão. Ao mesmo tempo, 1.015.314 eleitores foram até a urna para anular o voto ou votar em branco e 2,6 milhões nem sequer compareceram. O “não voto”, portanto, foi a opção escolhida por 3.647.901 cidadãos. No segundo turno, Covas conseguiu 3.169.121 votos, Boulos 2.168.109 e o “não voto” atingiu 3.649.457.

Leia também: “Um dia antes de ampliar restrições, Doria esteve em aglomeração”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.