PEC da Imunidade foi tratada de forma injusta, diz Lira

Na semana passada, presidente da Câmara articulou-se com os deputados para que proposta fosse aprovada no plenário da Câmara
-Publicidade-
Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira
Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse nesta segunda-feira, 1º, que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que visa a regulamentar a imunidade parlamentar “foi tratada de maneira injusta”.

Na semana passada, Lira articulou-se com os deputados para que a PEC fosse aprovada na Casa como uma resposta à prisão do deputado Daniel Silveira. Houve sessão até na sexta-feira 28, mas, por falta de consenso, ele decidiu criar uma comissão especial para tratar do tema antes que o texto seja submetido ao plenário.

-Publicidade-

Leia mais: “Líder de advogados conservadores garante que a OAB tenta ‘intimidar’”

“Essa regulamentação, a meu ver, foi tratada de maneira injusta por alguns parlamentares”, disse o presidente da Câmara à Record TV.

Na entrevista, Lira negou que a PEC seja uma forma de blindar o Parlamento. Segundo ele, o objetivo é garantir ao Judiciário um regramento claro para poder agir e garantir a imunidade de voz e voto do parlamentar.

Ele voltou a afirmar que a proposta não representa imunidade absoluta e destacou que o deputado Daniel Silveira foi preso por extrapolar preceitos constitucionais.

Vacinas

O presidente da Câmara se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro e outras autoridades no domingo 28. Ele disse que o governo se comprometeu a entregar 140 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até maio.

Auxílio

Arthur Lira também afirmou que ficou acertado o valor de R$ 250 para uma nova rodada do auxílio emergencial pelo período de quatro meses, de março a junho. De acordo com ele, durante esse período, o Parlamento vai buscar aprovar um novo programa social que seja permanente.

Impeachment e CPI

Lira disse que ainda não teve tempo de se debruçar sobre os mais de 60 pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Para ele, trata-se de um tema que deve ser abordado com responsabilidade e seriedade. Lira voltou a afirmar que é contrário a uma Comissão Parlamentar de Inquérito neste momento para apurar eventuais responsabilidades na condução do combate à pandemia.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.