-Publicidade-

Petista quer proibir o uso de expressões estrangeiras no nome de estabelecimentos

Deputado federal Airton Cirilo diz que prática é prejudicial aos consumidores
Airton Cirilo é deputado federal eleito pelo PT-CE
Airton Cirilo é deputado federal eleito pelo PT-CE | Foto: Reprodução/Câmara

O deputado federal José Airton Cirilo (PT-CE) quer proibir o uso de expressões de línguas estrangeiras no nome de estabelecimentos.

Segundo o petista, autor do Projeto de Lei 5632/2020, a prática é prejudicial aos consumidores, pois causa constrangimento a pessoas que não sabem do que se trata o negócio e acabam por não comprar.

“Atualmente, vemos muitas empresas com nomes estrangeiros, nomes estes de difícil pronúncia e que pessoas leigas não sabem seus significados, o que acaba por gerar certo tipo de constrangimento entre clientes, vendedores e acaba coibindo pessoas de entrar em determinados estabelecimentos por não saber do que se trata o nome da empresa, que é o ‘cartão de visitas’ para o cliente”, diz o texto.

Leia também: “Reeleito, prefeito petista aumenta o próprio salário”

Com informações do Ranking dos Políticos

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

15 comentários

    1. Pede os meus dados todas as vezes que entro no site. E, no meu caso, não aceita a minha data de nascimento. Um saco isto. Inaceitável nos dias de hoje. Invistam em gente competente.

      1. Tem razão, o acesso está impossível. Vamos dar um jeito nisso, ou pelo menos nos informe.

  1. Nada como um imbecil analfabeto desses para propor o retorno ao início do século XX, quando se assumia que o Brasil precisa de reserva de mercado para tudo, e que sua população é burra e incapaz de aprender outros idiomas. Mas esperar o que de quem é do PT?

    1. Imaginem só: uma empresa como a Apple teria de se chamar “Maçã” no Brasil, já que “ninguém” a conhece por seu nome original por aqui, fora todas as desastrosas implicações em termos de propriedade intelectual. Só um acéfalo para propor tal absurdo mesmo.

  2. Esse é o DNA da esquerda.
    Ou prejudica de alguma maneira o povo, ou trata do inócuo, do desnecessário, do supérfluo e do inoperante!
    Mas seja lá como for, mantêm seus idiotizados adeptos ativos e os recursos públicos para compensar suas faltas de capacidade produtiva.

  3. Realmente, mudar o nomes das empresas, esta fora de cogitação. Porem as promoções das lojas, feitas em inglês, deveria ser reestudada. Antigamente nas agencias do Banco do Brasil havia nos caixas automáticos a designação geral em inglês (tipo “Personal Banking”) que depois foi alterada. Nos países latinos os termos estrangeiros são nacionalizados (inclusive no cardápio do McDonald’s).

    1. Fodam-se os países latinos; não falamos espanhol nem fazemos parte desse grupelho. Em qualquer outro país civilizado do mundo, expressões estrangeiras de uso rotineiro no mundo comercial são usadas sem qualquer complexo de nacionalismo analfabeto. Não entendeu? Vá estudar mais.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.