O plano de Lula contra as fake news

Presidente quer pôr a AGU para combater 'conteúdos falsos'
-Publicidade-
Lula quer dar novas atribuições à AGU | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Lula quer dar novas atribuições à AGU | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende dar à Advocacia-Geral da União (AGU) a incumbência de combater “fake news”. O órgão passaria a ingressar com representações judiciais contra aqueles que os petistas vejam como autores de conteúdos falsos.

Essa ideia está de acordo com as medidas anunciadas em 2 de janeiro pelo procurador-geral da União, Jorge Messias. Na ocasião, o governo criou as chamadas “Procuradorias Nacionais de Defesa da Democracia e do Meio Ambiente e do Clima”. O objetivo seria “contribuir com os esforços da democracia defensiva e promover pronta resposta a medidas de desinformação e atentado à eficácia das políticas públicas”.

O decreto que criou as novas atribuições da AGU entra em vigor em 24 de janeiro. Depois de vigente, será apresentada uma regulamentação interna, que ainda passará por uma consulta pública.

-Publicidade-

Segundo a AGU, a regulamentação da Procuradoria passará pelo crivo de especialistas, de órgãos e instituições que defendem a “democracia”. A parceria com agências de checagem não está descartada.

“Essa regulamentação deverá ser submetida à consulta pública, para permitir que diferentes setores da sociedade, incluindo especialistas e representantes de outros órgãos e instituições imbuídos da defesa da democracia, como a própria imprensa profissional, possam opinar e sugerir aprimoramentos”, informou a AGU, em nota.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

18 comentários Ver comentários

  1. Deus que me perdoe, jamais um Ladrão e Bandido me representará em alguma coisa. O dia quê isso acontecer, passo uma faca no meu pescoço. Bandido bom é bandido morto.

  2. Depois que for implantado, só ganhadores da Mega Sena podem abrir a boca, pois precisará de muita grana para enfrentar o batalhão de advogados do governo. Mesmo assim, a chance de vencer é zero, pois apelam pro Xandão e acabou a festa. Nem Luciano Hang, com toda sua grana, vai ter justiça.

  3. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI), comandado pelo general Marco Edson Gonçalves Dias, sabia do risco dos atos de vandalismo praticados em 8 de janeiro na Praça dos Três Poderes, em Brasília. O general Dias já chefiou anteriormente o esquema de segurança pessoal do presidente Lula. A informação é da revista Veja, que teve acesso a um conjunto de mensagens que revelariam ter ocorrido “no mínimo negligência, imprudência e omissão de autoridades lotadas no próprio Palácio do Planalto, particularmente no GSI”.

    As mensagens foram trocadas em um grupo de WhatsApp utilizado pelo GSI e pelo Comando Militar do Planalto (CMP) para combinar procedimentos operacionais. Em 6 de janeiro, aconteceu uma reunião de representantes de segurança do Distrito Federal (DF), do governo Federal, do Congresso e do Supremo Tribunal Federal. O encontro serviu para montar um plano de segurança para o protesto que estava sendo convocado para o fim de semana.

    A decisão unânime foi contra a autorização de manifestantes na Esplanada dos Ministérios. Para o GSI, no entanto, a situação poderia ser tratada como “normalidade”. A segurança foi deixada para apenas 15 homens. https://revistaoeste.com/politica/general-dispensou-pelotao-de-choque-no-dia-8-de-janeiro-diz-veja/

  4. Consulta pública? Melhor que seja mesmo um amplo plebiscito entre os lacradores.
    Os verdadeiros responsáveis por apoiarem a farsa, o conluio.

  5. Este indivíduo ter sido recolocado de volta no Planalto, isto não só é fruto de algumas das maiores fake news já emitidas na história de toda a humanidade, como também um insulto e uma ignomínia da qual jamais nos esqueceremos.
    FFAA, vocês ainda nos pagarão bem caro por esta traição.

  6. Revista Oeste, é simplesmente repugnante vocês se referirem ao ex-presidiário descondenado como presidente. Isto não é de forma alguma necessário ou mandatório. Coloquem apenas Lula, que todos já entenderão. Não reconhecemos este criminoso como nosso presidente e sabemos que vocês tampouco. Portanto, parem de colocar o “presidente” na frente do codinome do bandido.
    Obrigada.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.