Por covid-19, H1N1 e chuvas, o Maranhão decreta calamidade

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), decretou nesta quinta-feira, 19, situação de calamidade pública no estado. Agora, bens e serviços podem ser requisitados com mais facilidade.
-Publicidade-
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Flávio Dino suspendeu as férias de profissionais da saúde e de bombeiros

Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), decretou ontem, quinta-feira 19, situação de calamidade pública no Estado

-Publicidade-

Agora, bens e serviços podem ser requisitados com mais facilidade.

A decisão foi motivada por três fatores: número de infectados pelo vírus H1N1, aumento de casos suspeitos de coronavírus e as fortes chuvas.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o Maranhão contabiliza 22 pacientes infectados pelo vírus H1N1.

Até o momento, o Estado não possui casos confirmados do novo coronavírus, mas já monitora 205 pacientes em 18 municípios.

Além disso, mais de 3 mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas devido às chuvas.

Por causa da situação, o governo suspendeu as férias de profissionais da saúde e de membros do Corpo de Bombeiros.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.