Senadores facilitam compra de vacinas pelo setor privado

Além disso, ficou estabelecido que Estados e municípios assumirão a responsabilidade por eventuais efeitos adversos
-Publicidade-
Texto passou na Casa na quarta-feira 24
Texto passou na Casa na quarta-feira 24 | Foto: Arquivo/Divulgação/Agência Senado

O Senado aprovou o projeto de lei que facilita a compra de vacinas contra a covid-19 pela iniciativa privada — o texto foi encaminhado à Câmara dos Deputados. Na quarta-feira 24, a Casa entendeu que as empresas terão que doar ao Sistema Único de Saúde (SUS) todos os imunizantes que adquirirem, enquanto os grupos prioritários não forem protegidos. Depois dessa etapa, as companhias serão obrigadas a doar ao SUS 50% das doses que comprarem. Elas podem ficar com as 50% restantes, porém, esses imunizantes precisam ser administrados de forma gratuita, sem comercialização. Além disso, ficou estabelecido que Estados e municípios assumirão a responsabilidade por eventuais efeitos adversos — a vacina da Pfizer, por exemplo, não foi comprada pelo governo federal por uma cláusula que isenta a farmacêutica.

Leia também: “O que falta para o SUS funcionar direito?”, reportagem publicada na Edição 47 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.