STF arquiva notícia-crime contra Augusto Heleno

Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República foi alvo de parlamentares
-Publicidade-
O ministro Celso de Mello, responsável pelo arquivamento da notícia-crime contra Augusto Heleno | Foto: ASCOM/STF
O ministro Celso de Mello, responsável pelo arquivamento da notícia-crime contra Augusto Heleno | Foto: ASCOM/STF | notícia-crime - augusto heleno - celso de mello

Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República foi alvo de parlamentares

notícia-crime - augusto heleno - celso de mello
O ministro Celso de Mello, responsável pelo arquivamento da notícia-crime contra Augusto Heleno | Foto: ASCOM/STF

Em decisão monocrática, o decano do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, arquivou notícia-crime contra o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno. Para isso, ele acatou a manifestação do procurador-geral da República, Augusto Aras.

-Publicidade-

Leia mais: “Toffoli nega recurso de Sara Winter para afastar Moraes de inquérito

Apesar de decidir pelo arquivamento da notícia-crime, Mello criticou o conteúdo assinado por Heleno e que gerou a notícia-crime apresentada por três parlamentares da esquerda. O titular da GSI havia publicado em maio, por meio de seu perfil no Twitter, material denominado “Nota à Nação Brasileira”. Com o texto no ar, o senador Ranfolfe Rodrigues (Rede-AP) e os deputados Alessandro Molon (PSB-RJ) e André Figueiredo (PDT-CE) afirmaram que o ministro palaciano havia praticado dois crimes: de responsabilidade e contra a segurança nacional.

Parecer

“O pronunciamento veiculou declaração impregnada de insólito (e inadmissível) conteúdo admonitório claramente infringente do princípio da separação de poderes”, definiu o integrante do STF em seu parecer., criticando o conteúdo exposto por Heleno. “A nossa própria experiência histórica revela-nos – e também nos adverte – que insurgências de natureza pretoriana culminam por afetar e minimizar a legitimidade do poder civil e fragilizar as instituições democráticas”, prosseguiu o ministro.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.