STF retoma hoje julgamento que pode implicar Lira

Presidente da Câmara dos Deputados supostamente integra o chamado "quadrilhão do PP"
-Publicidade-
Arthur Lira garante que é inocente
Arthur Lira garante que é inocente | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), pode se tornar réu nesta terça-feira, 2. Isso porque a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) vai analisar os recursos dele e de parlamentares da sigla contra uma denúncia — Lira, Aguinaldo Ribeiro, Eduardo Fonte e Ciro Nogueira teriam prejudicado a Petrobras em cerca de R$ 30 bilhões. O grupo pertence ao chamado “quadrilhão do PP”, de acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR). As denúncias garantem que os envolvidos compõem uma “organização criminosa”.

Em junho de 2019, por três votos a dois, a Segunda Turma do STF recebeu o processo formulado pela PGR contra os congressistas. Edson Fachin, Cármen Lúcia e Celso de Mello votaram para tornar réu o quarteto. Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski foram contrários e acabaram vencidos. Ambos entenderam que a denúncia era baseada somente nas “palavras de delatores” e votaram com a finalidade de arquivar a ação do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. O futuro de Lira, agora, está nas mãos do juiz Kassio Nunes, substituto de Celso de Mello.

-Publicidade-

Leia também: “Arthur Lira, o Sombra”, reportagem publicada na Edição 4 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

11 comentários

    1. O Maia, vulgo Botafogo, passou 4 anos na Presidência da Câmara e o processos contra ele ficaram bem guardados no STF. Agora com o Lira, já botaram a tropa de choque para agir. E ainda dizem que processo não tem capa. Tem sim.

  1. Continuidade das ações da quadrilha de chantagistas que compõe o atual STF!
    Uns atuam, outros se calam coniventemente, mais tarde, invertem os papéis, mas todos ao bem comum de seus interesses espúrios e a desfavor do povo e do País!

  2. Não consigo me expressar porque o robô da Reviste Oeste não permite algumas palavras, naturalmente, já que não tem qualquer sentido o referido aplicativo interpretar o que digo.
    Não escrevo palavras chulas, não agrido e não invento; apenas opinião com base na matéria e dita de maneira urbana, já que não se ganha nada apenas com agressões.
    Lamentável essa conduta, reforça o cabresto que nos tentam impor.
    Tento me comunicar com alguém dessa Revista, mas sequer encontro um telefone à disposição; já mandei e-mail e também nada!
    Gosto da Revista, mas já estou ficando desestimulado com a manutenção da assinatura!

    Talvez não interesse à Revista eleitor do meu perfil.
    Até domingo decidirei se continuo ou não assinante; pois o que tudo indica que tanto faz como tanto fez minha manifestação como cidadão; e é exatamente isso que me motiva a ser assinante dessa Revista!

  3. Quando é do PT absolvição. Contrário co ndenação. O STF é um colegiado que estuda o primário. Acha que dinheiro é poder é tudo. Una velharada caduca.

  4. Impossivel o Congresso ter autonomia quando boa parte de deputados e senadores têm contas a ajustar com a Justiça. O Sistema de freios e contrapesos, simplesmente virou um Sistema de Impunidade. Isso explica o desastre que se tornou o STF, interferindo nos outros 2 poderes e não sendo limitado na sua ação

    1. Talvez alguma providência CONSTITUCIONAL que afaste todo o CONGRESSO, um tribunal acima do STF mais horizontal, que apanha todo mundo e reconduz apenas aqueles sem qualquer passado lúgubre.
      Gente do nipe do Rodrigo Pacheco, pelo que assistí ontem no Roda Viva, perante aquele tribunal de inquisição montado pelo Dória, pode ser “gente” que vai continuar nos ajudando!!!
      Mas nunca condenados por esse STF, monocraticamente ou em agrupamentos.

  5. Basta ser aparentemente aliado do governo Bolsonaro, nossa Suprema Corte de notáveis começa a mexer os pauzinhos. Essa corte tem um medo enorme de Bolsonaro continuar com popularidade e conquistar a vitória em 2022, com o VOTO IMPRESSO.
    Até agora não entendi por que futilmente declararam inconstitucional a Lei aprovada em 2015 pelo Congresso Nacional que estabelecia o VOTO IMPRESSO acoplado à urna eletrônica, blindado e apenas visualizado pelo eleitor que após ser confirmado segue automaticamente para urna lacrada. É a única forma de AUDITAR urnas eletrônicas ou se necessário e solicitado por qualquer partido, RECONTAR os votos.
    Esses notáveis, além de outras baboseiras como, “é um retrocesso”, “custa muito caro”, “o bilhete pode engasgar na impressora”, alegaram inconstitucionalidade porque “viola o sigilo e a liberdade do voto”. Dá para entender??
    Pior ainda foi um Congresso presidido por Maia e Alcolumbre não terem questionado tão fajuto argumento para CANCELAR uma Lei.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.