TCU forma maioria para aprovar privatização da Eletrobras

Trata-se da segunda e última etapa de análise da capitalização da Eletrobras no Tribunal de Contas da União
-Publicidade-
Sede do Tribunal de Contas da União | Foto: Evelynne Gubert/TCU
Sede do Tribunal de Contas da União | Foto: Evelynne Gubert/TCU

O Tribunal de Contas da União (TCU) formou maioria nesta quarta-feira, 18, para aprovar a continuidade do processo de privatização da Eletrobras, estatal que atua nas áreas de geração e transmissão de energia. Até agora, apenas o ministro Vital do Rêgo votou contra.

O julgamento de hoje representa a segunda e última etapa de análise no TCU em que o tribunal avalia o modelo de venda proposto pela União, incluindo faixa de valor das ações a serem ofertadas na bolsa de valores. A primeira etapa já tinha sido aprovada em fevereiro.

-Publicidade-

Antes do julgamento do mérito, Vital do Rêgo pediu que o tribunal suspendesse o processo até a área técnica do tribunal concluir a fiscalização sobre dívidas judiciais da companhia, que poderiam causar uma subavaliação da estatal. Os ministros negaram o pedido.

O relator do processo, ministro Aroldo Cedraz, votou favorável à continuidade da privatização da empresa na sessão do dia 20 de abril, mas o julgamento foi interrompido pelo pedido de vista de Rêgo. Votando pela interrupção do processo de privatização, Rêgo afirmou ter encontrado seis supostas ilegalidades nessa segunda fase do julgamento do processo.

“Identificamos ao menos 6 ilegalidades. São afrontas diretas a leis. Sem se falar em inobservância a normativos infralegais e à própria Constituição Federal, além de descumprimento de acórdão e de jurisprudência do TCU”, afirmou, em seu voto.

O governo optou por realizar a privatização na forma de uma capitalização, ou seja, serão ofertadas novas ações da Eletrobras na bolsa de valores, até que a União deixe de ser a acionista controladora da empresa de energia.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Se não tivéssemos tantos e qtos energumenos que se dizem brasileiros, e só se preocupam com o próprio umbigo, nosso combustível hoje estaria com preços dentro da concorrência e “relativamente” o menor valor do mundo. PRIVATIZEMOS TUDO.

  2. Ufffaaa !!! Até que enfim !!! Não é fácil arrancar uma empresa estatal das mãos daqueles que se aproveitam dela !! Agora será um caminho sem volta e o futuro irá provar que, a exemplo de Vale, Embraer, Embratel etc, a desestatização é o melhor caminho para a Sociedade Brasileira !! Parabéns ao Capitão e a toda equipe econômica !!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.