-Publicidade-

TSE dá sobrevida às ações que miram a chapa presidencial

Luiz Edson Fachin é responsável por abrir divergência no tribunal; processos movidos por Marina Silva e Guilherme Boulos voltam à fase de investigação

Luiz Edson Fachin é responsável por abrir divergência no tribunal; processos movidos por Marina Silva e Guilherme Boulos voltam à fase de investigação

tse
O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o vice Hamilton Mourão, são alvo de ações no TSE
Foto: MARCOS CORRÊA/PR

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu ontem, por 4 x 3, que duas ações contra a chapa de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão devem voltar à fase de coleta de provas. Os processos foram movidos pelos candidatos derrotados em 2018 Marina Silva e Guilherme Boulos. Em síntese, o caso vai seguir aberto na Justiça. Segundo Boulos e Marina, a invasão hacker da página Mulheres Unidas Contra Bolsonaro desequilibrou as eleições.

Leia também: Karina Kufa argumenta que as ações têm de ser arquivadas 

Assim sendo, foram votos vencidos no julgamento o relator do caso, ministro Og Fernandes, e os ministros Alexandre de Moraes e Luís Felipe Salomão. Além disso, deu sobrevida às ações o ministro Luiz Edson Fachin, que abriu divergência. Acompanharam seu voto Carlos Velloso Filho, Tarcísio Vieira e Luís Roberto Barroso. Contudo, segundo o ministro Og Fernandes, o hackeamento da página não teve gravidade capaz de causar ofensa à legitimidade do pleito.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
Envie-nos a sua opinião, sugestão ou crítica! Fale conosco
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês