‘Uma honra’, diz deputado sobre expulsão do PSL

Fora do partido em que o presidente Jair Bolsonaro foi eleito, Gil Diniz dispara críticas contra o comando da legenda em São Paulo
-Publicidade-
Gil Diniz nega acusações, mas crítica comando do PSL | Foto: DIVULGAÇÃO/ALESP
Gil Diniz nega acusações, mas crítica comando do PSL | Foto: DIVULGAÇÃO/ALESP | gil diniz - expulsão do psl - júnior bozzella - alesp

Fora do partido em que o presidente Jair Bolsonaro foi eleito, Gil Diniz dispara críticas contra o comando da legenda em São Paulo

gil diniz - expulsão do psl - júnior bozzella - alesp
Gil Diniz nega acusações, mas crítica comando do PSL | Foto: DIVULGAÇÃO/ALESP

Conforme noticiado por Oeste na noite de quarta-feira, 15, o PSL resolveu expulsar de seus quadros de filiados dois deputados estaduais de São Paulo. Um dos que estão fora da sigla, Gil Diniz foi às redes sociais comemorar o desfecho dessa história.

-Publicidade-

Leia mais: “Para parlamentar, saída do PSL é ‘providência divina’

Além de, no fim das contas, se ver livre da legenda, o parlamentar aproveitou para criticar diretamente o presidente estadual do PSL em São Paulo e vice-presidente nacional do partido, o deputado federal Júnior Bozzella. Entre outras palavras, acusou o agora ex-colega de mentir.

“Mente quando diz que participei de atos antidemocráticos”

“É uma honra ser expulso por um deputado como Júnior Bozzella e sua assessoria que formam a executiva estadual do PSL São Paulo. Ele mente quando diz que participei de atos antidemocráticos, assim como mentiu quando disse que fui suspenso por cometer fake news“, publicou o político em seu perfil no Twitter. Dessa forma, lembrou que ele já estava suspenso do partido, que alegou disseminação de notícias falsas.

Vergonha do STF

Sem mencionar diretamente a nota divulgada pelo diretório do PSL de São Paulo, Gil Diniz aproveitou para publicamente se defender da acusação que oficialmente motivou a sua expulsão. Ele garantiu que nunca apoiou intervenção militar no país. Sob atentar contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e seus ministros, ele pontuou, no entanto, que sente “vergonha” dos integrantes da Corte.

“Estamos sendo perseguidos”

“Não sou favorável a intervenção militar, coisa que jamais defendi, porém, reafirmo que sinto vergonha dos Ministros do STF! A verdade é que o Deputado Douglas Garcia e eu estamos sendo perseguidos no PSL por defender o Presidente Bolsonaro”, publicou o deputado estadual.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.