Vice de Doria ganha apoio de Covas e tenta isolar Alckmin no PSDB

Ex-governador do Estado já manifestou a aliados que tem interesse em disputar o Palácio dos Bandeirantes no ano que vem
-Publicidade-
Ex-governador Geraldo Alckmin (na foto, ao lado de João Doria) pretende disputar o governo do Estado em 2022
Ex-governador Geraldo Alckmin (na foto, ao lado de João Doria) pretende disputar o governo do Estado em 2022 | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Não é só a disputa pelo nome que representará o partido na sucessão presidencial que vem mobilizando o PSDB. Segundo reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, a briga interna para definir o candidato ao Palácio dos Bandeirantes em 2022 ganhou novos contornos nos últimos dias, com a entrada do ex-governador Geraldo Alckmin no páreo.

De acordo com a publicação, o vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia (DEM) — nome apoiado pelo governador João Doria, que pretende se lançar à Presidência da República — conquistou um importante apoio na legenda com o objetivo de neutralizar as apirações de Alckmin. O grupo ligado ao prefeito de São Paulo, Bruno Covas, se alinhou à pré-candidatura de Garcia em uma articulação levada a cabo pelo próprio Doria.

-Publicidade-

Leia mais: “Quem é o advogado que comanda ‘filial chinesa’ de grupo fundado por Doria”

A filiação do vice-governador ao PSDB deve ocorrer no dia 25 de junho. Garcia tem representado Doria em várias entrevistas coletivas sobre a pandemia de covid-19, geralmente às sextas-feiras, em uma tentativa de ganhar mais visibilidade. Apesar da articulação, aliados de Alckmin insistem na intenção dele de concorrer ao pleito. “Se Rodrigo Garcia quiser ser candidato, ele terá que disputar prévias. O candidato natural do partido é aquele que foi eleito pelo PSDB e vai disputar a reeleição, e não quem chegou aos 45 minutos do segundo tempo”, minimizou o ex-deputado Pedro Tobias, que integra o diretório estadual em SP.

Tucanos ligados a Alckmin admitem que o ex-governador abriria mão da intenção de concorrer apenas se Doria desistisse de disputar o Palácio do Planalto e optasse pela candidatura à reeleição no Estado — neste caso, o atual governador teria a preferência. Mas, caso o nome seja mesmo o de Garcia, Alckmin deve insistir nas prévias e conta com o forte capital político, especialmente no interior do Estado, entre prefeitos e vereadores.

Leia também: “Tasso indica que deve participar de prévias do PSDB para 2022”

O PSDB teria oferecido a Alckmin a possibilidade de se lançar ao Senado, mas ele não manifestou interesse em ir para Brasília. Além disso, o senador José Serra, cujo mandado termina no ano que vem, disse que tem a intenção de concorrer a um segundo mandato.

Além de Garcia e Alckmin, a lista de potenciais pré-candidatos tucanos ao governo de São Paulo no ano que vem conta com os nomes do secretário da Casa Civil, Cauê Macris; do presidente do PSDB-SP, Marco Vinholi; e do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando.

Leia também: “Pandemia em SP está ‘sob relativo controle’, afirma Doria”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comments

  1. Penso que já passou da hora dos paulistas elegerem um não tucano ao governo do estado, DESDE que NÃO seja um candidato da esquerda, evidentemente, porque já se sabe da incompetência, do aparelhamento e da roubalheira. Espero que os partidos em São Paulo, assim como em outros estados, lancem bons candidatos.

  2. ESPERO QUE ESSA MOVIMENTAÇÃO DO PSDB SEJA ABSOLUTAMENTE INÚTIL E SEUS CANDIDATOS RECONDUZIDOS À SUA MEDIOCRIDADE, DE ONDE NÃO DEVERIAM TER SAÍDO! TCHAU QUERIDOS, ATÉ NUNCA MAIS!

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site