-Publicidade-

O terrorismo virtual e a defesa da verdade

Como uma campanha sórdida de assassinato de reputação se tornou combustível para a defesa da liberdade

Era quarta-feira, 3 de junho de 2020, e, como em todas as quartas-feiras, eu preparava mais um artigo para a Revista Oeste. Depois da morte de George Floyd por um policial e diante das manifestações daquela semana que acabaram em violentos protestos nos Estados Unidos, eu escrevia sobre o movimento dos direitos civis americanos nos anos 1960, Martin Luther King, Reagan, que em sua administração assinou uma lei declarando feriado nacional em homenagem ao ativista negro, e os legados de coragem e civilidade desses ícones não apenas da história americana, mas mundial.

Eu lia o discurso histórico de Martin Luther King, “I Have a Dream” (Eu Tenho um Sonho), em que o grande pacifista do movimento contra a segregação racial falava para uma multidão de 200 mil pessoas em Washington. Alguns discursos são lindamente escritos, mas mal proferidos. Outras vezes, vemos oradores naturalmente talentosos lutando com um material vazio. Mas “Eu tenho um sonho” de Martin Luther King tinha tudo e, 57 anos depois, podemos afirmar que é um dos melhores discursos proferidos de todos os tempos.

Foi quando, então, comecei a receber notificações de segurança no celular, dando conta de que alguém tentara invadir minha conta no Twitter. Deixei o artigo de lado por alguns minutos para verificar o que estava acontecendo e, a partir daquele momento, eu e minha família viveríamos alguns dias que jamais esqueceremos. Era como se a agressividade e a covardia que víamos na TV durante os violentos protestos organizados pela Antifa — grupo recentemente colocado na lista de organizações terroristas pelo governo americano — tivessem invadido minhas redes sociais.

Uma turba ideológica usa negros, mulheres e homossexuais em balaios coletivistas para manobras políticas

É muito importante salientar que o assassinato de George Floyd foi uma abominação moral e uma barbárie, e não pretendo me afastar da importância desse evento. Criminosos têm de sentir a mão pesada da Justiça, sejam eles civis ou policiais. Derek Chauvin, o policial que matou Floyd, antes de ser um mau policial, é um ser humano abjeto. A condenação do que aconteceu com Floyd foi amplamente demonstrada por todos os lados e apoiar manifestações pacíficas de qualquer natureza é primordial em qualquer democracia. No entanto, o endosso da violência e do sequestro de pautas legítimas por grupos políticos deve ser repudiado. E, para tal, só há uma alternativa: a liberdade para poder dizer a verdade.

Para o artigo que escrevia na quarta-feira 3, fiz o que sempre faço, aplicando a máxima deste veículo e do bom jornalismo: muita pesquisa. E foi em relatórios anuais e oficiais do Departamento de Justiça dos Estados Unidos que encontrei números que não corroboram com a narrativa de “racismo sistêmico por parte da polícia americana”, como se policiais estivessem matando negros indiscriminadamente. Só em 2019, por exemplo, houve mais de 10 milhões de operações policiais em todo o país. As estatísticas mostram que nove negros desarmados morreram (contra dezenove brancos) entre as 1004 pessoas que perderam suas vidas em confrontos com a polícia. E foram exatamente esses e outros dados do Departamento de Justiça que eu trouxe para o debate intelectualmente honesto em minhas redes sociais e em alguns programas de entrevistas. Tudo ia bem, até que os linchadores virtuais pinçaram um tuíte apenas de uma longa conversa, em que, entre outras declarações, afirmo que há racismo na sociedade, mas que os números não mostram “racismo sistêmico policial”. O trecho foi removido, utilizado fora do contexto e tornou-se base para mais uma tentativa de assassinato de reputação.

Depois de ser chamada de transfóbica por defender o esporte feminino contra as injustas políticas que autorizam transexuais, homens biológicos, a competirem com meninas e mulheres; depois de ser chamada de fascista por apoiar medidas econômicas da equipe de Paulo Guedes, essenciais para a saúde fiscal do Brasil, como a reforma da Previdência; havia chegado a hora de ser chamada de racista por apresentar números oficiais que, infelizmente, para a turba ideológica que usa negros, mulheres e homossexuais em balaios coletivistas para manobras políticas e ganho de poder, desmontam a falácia de que a corporação policial é racista e mata negros por puro preconceito.

O movimento bonzinho social começa com a socialização de nossos filhos

O que seguiu por quatro longos dias foi uma tempestade de ódio milimetricamente planejada. Intimidação, assédio moral, ameaças à integridade da minha família, calúnia, difamação, e todo o cardápio de quem não está interessado em discutir as razões dos altos índices de criminalidade nos bairros negros e nas periferias nos Estados Unidos e no Brasil, ou a falsa bondade de movimentos que apenas regurgitam teorias marxistas que até hoje não deram certo em nenhum lugar. Os números por mim trazidos não desmascaram apenas a narrativa de “racismo policial sistêmico”, mas expõem as desastrosas políticas públicas — ou a total falta delas — dos partidos de esquerda que dominam essas áreas. Também evidenciam as raízes de problemas socioeconômicos muito mais profundas e sérias do que o cântico entoado por movimentos que se intitulam “protetores das causas negras” como o Black Lives Matter.

Bob Woodson, veterano ativista negro dos direitos civis na década de 1960, emitiu uma ampla declaração na terça-feira sobre o movimento Black Lives Matter e a ideia de que o “racismo sistêmico” é a causa das dificuldades afro-americanas. O ex-chefe do Departamento Nacional de Justiça Criminal Urbana e hoje presidente do Woodson Institute, criado para desenvolver projetos culturais e socioeconômicos nas comunidades negras, disse: “Não sei o que é racismo sistêmico. Talvez alguém possa explicar o que isso significa. Esse movimento é moralmente falido e não propõe soluções concretas para os problemas. Alguns de nós, pessoas de direitos civis, precisam ter voz. A mídia sempre entrega uma câmera e um microfone aos baderneiros, mas não às pessoas que tentam encontrar caminhos. A questão central tem mais a ver com classe do que com raça. E agora a raça está sendo usada para desviar a atenção das falhas das pessoas que administram os centros e instituições que deveriam cuidar dos negros”. Bob Woodson, que marchou contra a segregação racial, também é chamado de — pasmem! — racista e preconceituoso.

A violência dos protestos do movimento Antifa

Mas não acreditem em mim. Chequem vocês mesmos no site no Black Lives Matter a seguinte declaração: “Interromperemos o núcleo familiar prescrito pelo Ocidente, apoiando-nos como famílias ampliadas e ‘vilarejos’ que cuidam coletivamente um do outro, especialmente de nossos filhos, na medida em que mães, pais e filhos se sentirem confortáveis”. Entenderam? O movimento bonzinho social começa com a socialização de nossos filhos.

Sinalizadores da virtude gritam “acabem com a polícia” mas têm seguranças armados para sua proteção

O racismo, em qualquer nível e contra qualquer etnia, pode e deve ser discutido e isso só acabará quando deixar de ser tema explorado politicamente e passar a ser algo humanitário. Ninguém quer discutir fome, liberdade, saúde, educação, criminalidade. Dá trabalho e não rende “likes” ou o selo de bondade e passe “agora você é um dos nossos” do Beautiful People. O racismo não é bandeira política. É algo que a humanidade precisa superar. Tentar apagar a história não apagará os erros do passado, mas as lições do que não devemos fazer para repeti-los. Tentar esconder dados não ajudará os que mais precisam de oportunidade e da proteção da polícia.

Fica mais óbvio a cada dia que os votos de negros — mais do que vidas negras — são importantes e o foco para muitos políticos. É por isso que esses políticos devem tentar manter os eleitores negros com medo, raiva e ressentimento. A harmonia racial seria um desastre para muitos políticos e movimentos sociais, que de sociabilidade não tem nada, apenas gana por poder. É preciso, então, tentar calar vozes, brancas ou negras, que desafiam as correntes ideológicas e remam contra a maré da hipocrisia e do aplauso fácil. A arena da falsa bondade existe para que os sinalizadores da virtude possam apagar os pecados de terem seguranças armados para sua proteção, enquanto gritam de seus condomínios “acabem com a polícia”.

Ataques à índole de alguém e não a seus argumentos é uma maneira de fazer as pessoas ficarem quietas e pararem de apresentar questões incômodas sobre economia e projetos políticos falidos. Por que crianças negras não têm um desempenho satisfatório nos sistemas escolares administrados por negros e partidos de esquerda? Por que quase 70% dos lares negros têm apenas um genitor presente? Por que a figura paterna nessas comunidades não é presente? Por que nos últimos 50 anos, US$ 22 trilhões foram gastos em programas de pobreza nessas comunidades nos Estados Unidos, mas apenas 30% chegaram às pessoas?

Nunca, nem durante meus 24 anos como atleta profissional, recebi tanto apoio

Algumas reflexões certamente ficam depois do vil e orquestrado ataque sofrido por mim e minha família nos últimos dias. A primeira delas é que existe — sim — uma “maioria silenciosa” que está disposta a aparecer quando injustiças, covardia e ameaças estão em curso. E isso é reconfortante. Soldados que aparecem na trincheira onde você está sendo bombardeado para aumentar sua força e capacidade de reação. Nunca — e, aqui, quero deixar registrado mais uma vez — recebi tanto amor e apoio nos meus 48 anos, nem durante meus 24 anos como atleta profissional. Registro minha gratidão à Revista Oeste, que numa campanha de apoio recolheu milhares de mensagens de carinho, aos antigos amigos virtuais (não gosto da palavra “seguidores”, não somos seita…), a muitas pessoas que xingaram e voltaram para se desculpar depois de ler mais do que dúbias manchetes, e aos quase 25 mil novos amigos virtuais em três dias em minhas redes. Obrigada. De coração. É uma honra tê-los por perto.

Minha maior reflexão fica no que sempre discutimos e defendemos aqui: a liberdade. A liberdade para falar a verdade. Em tempos de revisionismos históricos, da cultura do “cancelamento”, na qual filmes e expressões não podem existir mais porque sentimentos falam mais que a razão, fico com as palavras do jornalista norte-americano Tucker Carlson, que esta semana disse: “Tenha certeza de que se você defende a verdade eles virão atrás de você. A tentação é entrar em pânico. Não entre em pânico. Você tem que manter a cabeça para dizer a verdade. Diga a verdade. Se você mostrar fraqueza, eles te esmagarão. Se você se desculpar por dizer a verdade, estará apenas dando poder a pessoas ruins que te odeiam. Antes que você perceba, estará confessando crimes que não cometeu. Diga a verdade. Este momento vai passar, tudo passa. E quando tudo isso passar, olharemos incrédulos para trás, para tudo o que vimos. Mas, se você for honesto agora, mantenha sua dignidade. No final, ficará muito satisfeito com isso, a vida não vale a pena ser vivida sem ela”.

E pensar que em 1770, John Adams, um dos Pais Fundadores da América, já dizia: “Fatos são coisas teimosas; e quaisquer que sejam nossos desejos, nossas inclinações ou os ditames de nossas paixões, eles não podem alterar o estado de fatos e evidências”.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

144 comments

  1. Sensacional! Alentador termos pessoas como você, brilhante, seria, corajosa e verdadeira!
    Essa é a verdadeira ditadura imposta, com o objetivo político de sempre, manter a população pobre e emburrecida, pois são massas de manobra fáceis para eternizar os problemas!
    Muitos aplausos e incondicional apoio a você!
    Parabéns

      1. Parabéns Ana Paula! Precisamos de mais pessoas como vc no mundo.

      2. Que texto amigos, que aula, que elegância, que inteligência! Parabéns pelo conteúdo e postura Ana Paula, você já nos orgulhou muito como atleta representando o Brasil, e você continua orgulhando as pessoas de bem e que querem um Brasil melhor! Obrigado por tudo e fique com Deus

      3. Oi Ana Paula. Ganhei o dia com o seu texto, tempos dificeis ne! Senti uma alegria profunda lendo suas palavras – e como dizer para mesmo – ‘eu existo’. Aqui no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa, parece que estamos sendo encurralados para a guilhotina – e triste pensar assim, como voce sabe, a grande midia e controloda pelos glo …, portanto, nos das redes sociais estamos sendo pisoteados por simplesmente pensar – como se o pensar nao pudesse existir mais. O pensamento critico da existencia esta nas cordas bambas – como voce, eu nao vou me calar. Aqui, fica minha alegria de ter lido um enredo tao transparente e cheio de esperanca como o seu. Eu existo, simplemente assim. Amiga!
        Gratidao Ana Paula

      4. Ana Paula,esses mesmos manifestantes contra o racismo,mataram um policial negro que tentou impedir uma loja de ser saqueada!
        Poucos são os que verdadeiramente restavam ali por uma causa.
        O que domina é a hipocrisia não adianta mostrar argumentos válidos.Eles querem intimidar,o ódio que dizem estar nos outros,vem deles mesmos.Parabéns por fazer um bom jornalismo!

      5. Ana, muito bom saber que existem pessoas lúcidas e corajosas como você. Continue o bom trabalho. Obrigada.

      6. Temos visto no Brasil, uma inversão completa de valores, infelizmente as idéias de esquerda estão muito enraizadas nas pessoas, o que acaba contribuíndo para esta distorção .Mas o Brasil é para corações fortes.!!!!

      7. Diante de tudo que está acontecendo, o que posso fazer?
        Orar e pedir a Deus que continue te abençoando e usando como está voz verdadeira e destemida. Deus te abençoe.

      8. Acompanhei pouco da sua carreira de atleta, pois era uma criança na época. Você me chamou a atenção quando, em postagens de páginas de vôlei, começaram a te pintar como intolerante, transfóbica, briguenta e etc…Então resolvi acompanhá-la e vi que não era nada disso. Você é uma grande mulher! Uma grande colunista tbm! Gosto de como vc escreve. Parabéns por sua postura. Não desanime nunca diante dos ataques. A verdade sempre prevalecerá. Deus abençoe vc e sua família.

      9. Vivemos uma guerra de informações, a informação sempre foi uma arma poderosa e ferramenta restrita a alguns grupos poderosos.. O advento das redes sociais permitiu a cada cidadão ser também emissor e não só receptor de mensagens, dessa forma, o cidadão passou a ter acesso a mesma arma que era restrita a poucos. Parabéns Ana, obrigado pelo que você representou no vôlei, e muuuito mais obrigado , pelo que você representa como emissora de informações, por usar essa arma com lisura, integridade, e principalmente honestidade, que Deus continue te abençoando com sabedoria nessa guerra, que você seja se mantenha firme a seus princípios e sempre alicerçado pela verdade.

      10. Boa tarde, trabalhamos juntos na Davene, eu moro em Curitiba, lembra em Recife na feira de atacadistas nós trocávamos um boné da Davene com seu autógrafo por uma sacola com brinde do expositor.
        Estou muito feliz em acompanhar você nessa caminhada, vamos em frente, desistir nunca.
        Abraços
        Virginio

      1. Obrigado por me emprestar a sua coragem. Fiquei mais forte.

    1. O preço da defesa verdade…
      Defender a verdade, hoje em dia, o João 8.32, tão destacado por Jair Bolsonaro, custa um preço muito alto. Num momento de mistura da pós-verdade com a manipulação da verdade, a mídia acostumada com estas meias-verdades (ou mentiras disfarçadas) sempre dá voz a baderneiros, chamando-os de democratas, desde que estes estejam dentro de sua corrente ideológica. Desafiar esta corrente custa caro. Por isso, precisamos contar com um número cada vez maior para aumentar as vozes de quem pensam como a Ana Paula Henkel e outros, contra a “maré da hipocrisia e do aplauso fácil”. A verdade custa caro, reconheço, e mencionada como slogan nas assinaturas de meus e-mails, há muito tempo: “… nada podemos contra a verdade, senão pela verdade” (2Co 13,8). Solidariedade à Ana.
      Que a verdade triunfem!

      1. Parabéns Ana!! Você nos deu uma aula de civilidade! Que texto maravilhoso! Encantada

    2. Parabéns pelas suas explanações pelo seu posicionamento diante de fatos tão absurdos. Infelizmente estamos vivendo um período muito desafiador diante de anos passados tão sombrios. Como recomeçar do zero não podemos teremos um trabalhão para consertar nossos valores reconquistar o respeito internacional e nacional nossa juventude nossas universidades nossa economia nossa política e políticos nosso judiciário. Temos cabeças pensantes para o bem e para o mal. Não somos Deus para num curto espaço de tempo criarmos um Éden mas com trabalho duro respeito mútuo e às instituições poderemos consertar muita coisa é que esse ponta pé inicial sirva para que depois de nós as futuras gerações possam continuar seguindo nossos passos. Um forte abraço e todo meu respeito pelo seu trabalho passado( torci muito pela seleção ) e o de agora

    3. Excelente!!! Poder ler seu depoimento me faz sentir orgulho de fazer parte de seu tempo. É um grande privilégio poder ser assinante da Revista Oeste. Espero que a Revista continue com seu jornalismo independente e confiável. Parabéns Ana Paula Henkel!

    4. Parabéns por sua excelente reportagem, e, principalmente pela sua coragem de expressar suas opiniões.
      Há muito mais do que simples racismo, há interesses de Ongs que faturam muito, imprensa podre, esquerdista e imoral que tentam vender imagens irreais, imorais, destorcidas,que tentam por todos os meios, por mais sórdidos que sejam, atacar e derrubar o primeiro Presidente honesto que surgiu, desde o último governo militar.
      Sou sim Bolsonaro, sou sim contra tudo que fizeram nas últimas décadas.
      ??

    5. Parabéns Ana Paula, não se incomode com essas pessoas de discurso fácil e vazio, já que você tem a exata noção da mediocridade desses seres abjetos, foco, força e fé são ingredientes dos vencedores.

    6. Texto magistral! Você é uma referência de sensatez, inteligência e honestidade intelectual. Compartilhei o texto para tirar algumas pessoas da sua zona de conforto. Parabéns!

    7. A cada dia aumenta minha admiração por tua inteligência lucidez e postura. Jamais poderia imaginar que daquela maravilhosa atleta, surgeria o esplendor de uma personalidade tão brilhante. PARABÉNS!

    8. A Ana é pessoa admirável. Vir do esporte popular com a inteligencia e espírito politizados, como ela veio, é um acontecimento. Raro. Mas brindemos por isso. O mundo é melhor porque a Ana existe, porque seu caráter, sua perspectiva e visão de mundo são do bom senso e do Bem.

  2. Cara Ana Paula, estava ansioso por seu artigo e fico feliz por estar vendo você sair ainda mais forte desses vis ataques que sofreu. Acredito que você deu voz a muitos da “maioria silenciosa”, cidadãos de bem que sabem diferenciar o certo do errado, o verdadeiro do falso. Parabéns pela coragem na luta pela liberdade. Continue! Estamos com você.

  3. Bom dia Ana Paula, parabéns por mais um artigo brilhante. Equilibrado, corajoso e inteligente; reflete sua personalidade. É alentador tê-la no combate a desinformação e a desonestidade intelectual. Você não está sozinha. Nós seus “amigos virtuais” estamos do seu lado. Abraço.

  4. Força, Ana. Você é muito melhor que esse tipo de gente que enxovalha a raça humana. Faço minhas a palavras da Gisele Valle de Carvalho, acima.

  5. Todo o apoio a Ana Paula! Os obscuros de esquerda – de esquerda, frize-se – devem ser combatidos no campo das idéias. No campo físico e das ameaças chame-se a polícia.

  6. Eu como parte da “maioria silenciosa” quero além de me solidarizar, parabeniza-la pelo texto cheio de indignação, mas com uma bela mensagem de quanto é importante praticar o bem, pois no futuro a história saberá separar o joio do trigo.

  7. Artigo maravilhoso, como sempre! Parabéns, Ana! Não dedique mais nem um minuto de atenção aos pulhas. Você é muito, mas muito mesmo melhor do que todos eles juntos.

  8. Lendo seu artigo mencionando Tucker Carlson, confio ainda msis no PR Bolsonaro, para mim ele e o caminho da verdade política como jamais vimos nesse pais. Para a REVISTA OESTE, jornalismo de elevado nivel e, para seu artigo em particular agradecimento deste leitor.

    1. Parabéns Ana Paula. Que Deus te abençoe muito. Você é maravilhosa e inteligente, saindo mais forte. Muito feliz por estar com vocês. Sucesso minha querida.

  9. Penso que vai faltar espaço no mundo virtual para colocar todos os comentários positivos sobre sua ação como atleta, jornalista e cidadã. Brilhante artigo. Você não está só. Forte abraço.

  10. Ana Paula, que bom achá-la de volta, após todo o sofrimento pelo qual passou.
    Não à toa assinei a Oeste por sua causa, e ainda ganhei de brinde outros colegas seus, que certamente se envaidecem de ombrear consigo.
    Seu artigo sobre a absurda equalização de transexuais a mulheres nos esportes femininos está guardado entre meus arquivos mais preciosos, e ainda há três dias o reenviei a todos os meus contatos.
    Orgulho-me de ser um dos milhares de leitores que manifestaram apoio a você nesta semana difícil.
    Sua firmeza de caráter é exemplo!!!

  11. Cara Ana Paula fico feliz pelo seu retorno e a sua tenacidade de falar e mostrar com clareza a verdade, doa a quem doer!. O preço que pagamos as vezes é alto,costumo dizer ” cometemos e sofremos de cincericidio “. Mas somente assim podemos continuar a viver, dormir e olhar para nossos filhos. A revolução MARXISTA tornou-se Revolucao Cultural, como Pe.Paulo Ricardo falou a 4 anos atrás ” o mundo não ligou quando a esquerda entrou nas universidades e na cultura “. Depois do fracasso da Russia e da revolução de 1917, não existe verdade, existe somente o que ajuda a causa Marxista/Comunista. Felicidades Deus te abençoe.

  12. Que legal Ana, fico feliz em saber que está de volta; e já voltou dando show!
    Estamos fortes na luta contra o patrulhamento do politicamente correto, fique na paz <3
    #TeamAnaPaula

  13. Ana, a cada linha me vem a imagem de vc nas quadras vencendo pelo Brasil. Lá e cá “atacando” com destreza, tecnica, coragem e inteligência. Um texto “da alma”, brilhante. 3 sets a 0

  14. Parabéns Ana Paula. Sou um fervoroso fã seu desde as quadras. Agora mais ainda pela sua coragem de cidadã. A inteligência e a verdade provocam reações raivosas naqueles que não são dotados ou conhecedores das mesmas, e por isso acabam partindo para a agressão gratuita. Continue na luta, que continuaremos aqui apoiando e fazendo também nossa parte por um mundo melhor. Abraço.

  15. Ana Paula, espero que você e sua família passe esta tormenta de forma equilibrada e em paz. É triste ver como as pessoas se transformam atras do anonimato e da aglomeração. A dinâmica do coletivo afasta qualquer sintoma de racionalidade, e infelizmente você nem foi a primeira e nem será a ultima. Seu artigo é extremamente lucido e traz luz a problemas complexos (obviamente de difíceis soluções) para que as pessoas possam refletir antes de sair agredindo. Porém, não foi isso que aconteceu contigo, mas esta dinâmica se repete ao longos dos tempos.
    Parece que nós seres humanos não conseguimos evoluir em questões aparentemente simples, como respeito, harmonia e cooperação para resolver os problemas dos nossos tempos.
    Siga firme com sua verdade

  16. Parabéns e força Ana Paula! Não fazia ideia da extensão dessa infâmia. Vermes é o que são. A intimidação é arma já velha e manjada, mas nem por isso menos perigosa e perniciosa. Talvez até mais.
    Que Deus te proteja e que seu anjo da guarda esteja sempre alerta.

  17. Caráter. Falta a certas agremiações políticas e seus simpatizantes, caráter. O cofre da viúva é suficiente robusto para “fazerem o diabo” para reconquistá-lo. Cabe a nós virar a página.

  18. GENIAL Ana Paula, como sempre, lúcida, clara, consistente!
    Se me permite um trocadilho:
    Os cães ladram e a caravAna passa!
    Estamos juntos!

  19. Ana você tem 100% do meu apoio as suas redações e declarações.
    O que vem acontecendo no mundo faz parte de uma orquestração maior, envolve desde o Soros até o PC Chinês.
    Vamos firmes! E acima de tudo conte comigo no Brasil!

  20. Nossa Ana! Que artigo rico! Olha que eu Amava ver seus jogos na seleção e agora nessa nova jornada como analista politica está arrebentando!

  21. COMO DIZIA O POETA COMTEPORANEO:”SE ESSES FASCISTAS FICAREM QUIETOS,NINGUEM SABERÁ QUE SÃO UM BANDO DE IDIOTAS”.
    QUE VOCE CONTINUE NESSA LINHA, COM CERTEZA SERÁ APOIADA POR PESSOAS DE BEM. ABRAÇO.

  22. Bom senso, inteligência, coragem e honestidade intelectual, qualidades em falta neste decadente e medíocre século XXI. Parabéns!

  23. traduziu a percepção que tenho, a tempos, do que está acontecendo no Brasil e no mundo de que estão querendo implantar a “polícia do pensamento” e ser de direita (eu sou) é crime lesa humanidade.

  24. Valendo-me do meu gauches: Bah, és uma baita guria! E, roubando um trecho do nosso hino riograndense, com pequena alteração, te digo: “sirvam tuas façanhas de modelo à toda terra. Parabéns!

    1. É reconfortante ler um texto como o seu, Ana! Parece que o sol brilha mais forte, o céu fica mais azul e o ar mais puro. Porque são renovados pela esperança! Sim, esperança e certeza. Certeza de que dias melhores virão e esperança de que mais pessoas surgirão para se oporem firmemente à destruição que pessoas más querem trazer ao mundo. Sim, porque a verdade é que a luta não é contra pobres e ricos, brancos ou negros. A verdadeira luta que se esconde por trás desses temas é a luta do Bem contra o Mal.
      Receba os meus mais calorosos aplausos pela sua postura digna e corajosa.
      Com carinho.
      Rosemary Cunha de Almeida

  25. Parabéns, Ana. Vc. – atualmente – é a melhor expressão de dignidade, força e resistência necessárias para superar essa pandemia de estupidez, fúria e psicopatia generalizada que grupos – JÁ IDENTIFICADOS – estão disseminando mundo a fora, covardemente escondidos dentro de mentes fracas e almas aflitas, completamente perdidas em seu próprio desespero, sem perspectiva nem esperança, simplesmente porque foram inseminadas pelo ódio mais vil e doentio de todos, o ódio alheio. Guarde-se bem. Vc. é muito especial.

  26. Eu e a minha esposa somos seus fãs e te entendemos aqui no interiorzão do Brasil. A única coisa que posso te dizer é que nem aqui, muito menos nas redes sociais, a gente pode expressar alguma opinião com o objetivo de cooperar e melhorar algumas coisas. Estamos sempre patrulhados, por insignificantes cidadãos caipiras-gaudérios que somos. Muitas pessoas têm ideias que poderiam ser pelo menos observadas, mas se perdem em ondas de ódio e incompreensões Estamos num ciclo difícil onde pessoas com alto conhecimento técnico-científico-social são desprezadas como se fossem inúteis, quando na verdade os imbecis nem sabem criticar.
    Está valendo mais do que nunca a expressão “o povo tem memória curta”, infelizmente. Os Três Poderes estão na corda bamba, a maioria dos jornalistas estão fora da casinha e as universidades sucateadas, o sistema de saúde sucateado….e economia em baixa, e na hora que precisamos de união, compreensão e sabedoria a maioria toma atitudes impensadas erradas. A pandemia está mostrando algo muito claro: como tem coisa erra da no planeta…
    Um beijão no fundo do coração. Um dia, quem sabe, a gente se encontre para tomar um chocolate quente e tomar um bom vinho aqui na serra gaúcha. (sonhar ainda não paga imposto).

  27. Parabéns, Ana Paula. A vida não tem sido fácil para nenhum de nós que vemos a realidade com clareza, que temos liberdade no mais puro e cristalino estado, e que portanto temos independência de raciocínio, pensamento e atitude. Para estes, não tem sido realmente nada fácil. Não podemos nos dar ao luxo de lamentar, entristecer ou desistir. Nossa consciência não permite. Venceremos.

  28. Parabéns Ana. Se você ficasse calada e acuada com medo de reagir. Seria igual a muitas mulheres que são vítimas de seus agressores próximo, sem denunciá-los por medo, e ficam sofrendo caladas.

  29. Pela primeira vez li algo escrito por você. Compartilho inteiramente com você (e acredito que com uma infinidade de pessoas) a honestidade intelectual. E a lucidez. Brilhante o seu texto! Força!

  30. Gratidão por você não se calar e não esmorecer diante dos imprevistos ataques. Sinta-se abraçada e confortada com o carinho de todos que buscam em suas opiniões a compreensão dos fatos.

  31. Ana Paula,

    assinei recentemente esta revista. É a primeira vez que leio tua coluna neste veículo. Quero dizer que te admiro pelo que você foi (e representou) e pelo que está se tornando – uma pessoa realmente admirável pelo esforço e capacidade de ampliar o próprio mundo.

    Quanto ao ataque virtual, espero que encontre – aparentemente, já encontrou – alento nas palavras de apoio de todos os comentários expostos aqui.

    Quanto ao revisionismo histórico-cultual o qual estamos vivenciando, só posso lamentar que, num país como o Brasil, continuamos a olhar para trás ao invés de nos preocuparmos em construir o que virá adiante.

    Força.

    1. Em tempo, fui checar o site do movimento Black Lives Matter… de fato, temos ali o parágrafo mencionado por você… a pretensão é destruir a base judaico-cristã das famílias ocidentais??… como assim???

  32. Ana Paula,

    Como sempre o prazer de ler seus textos e compreender suas ideias vão muito além do apenas se informar.
    Estamos sempre do teu lado e, como dissestes, da verdade.

  33. Parabéns por não ficar calada e nos lembrar que a liberdade é o bem mais importante. Aqui no Brasil, a dobradinha da quarentena com o ataque massivo ao nosso presidente nos deixou abatidos, mas nos fez enxergar que a verdade ameaça aos que querem manter privilégios. E não são privilégios de raças. São mesmo privilégios de classes sociais. Assim, podem roubar o dinheiro da educação, “formar” estudantes incapazes de pensar, jogar um discurso raso pra cima deles e, com este exército de manipulados, se perpetuarem no poder. Mas não vão acabar com a nossa esperança. Vamos nos levantar graças a incentivos como o seu bom comportamento. Obrigada!

  34. “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque serão fartos.”
    Ana Paula, continue em sua caminhada pela verdade e pela liberdade. Os perversos sempre estarão à espreita , mas vá em frente. Parabéns !!

  35. que bom que voltou Ana… em tempos de que os “democratas” querem calar os “outros”, deixando claro que não sabem o que é democracia, é bom ver alguém sensato e com opinião moderada e embasada contra a tropa de choque do “tapa boca” alheio. sempre ótima e sempre esclarecedora. triste por conta da situação atual de nosso sistema político/jurídico, que é onde começa o fim de nossa liberdade. não se cale e, por favor, dá uma “bela cortada jurídica” nesse pessoal inútil que só serviu para mostrar o quanto você é querida. também queria deixar os parabéns a todos que se redimiram e se desculparam, provaram que foram enganados e reconheceram. e que continue com a Oeste, para sempre, se possível, eheh. abs

  36. Querida Ana Paula fiquei preocupado semana passada , com os fatos que aconteceram , mas vc fez do problema superação, e nos ofereceu esse texto maravilhoso.
    SUA FORÇA É INSPIRADORA!!
    Muito obrigado.

  37. Vc é MARAVILHOSA!!! É por isso que eles te perseguem… por favor, não faça a alegria desses crápulas… não deixe eles te calarem!!!! Fique em paz!!!! ❤️??

  38. Cabeça erguida Ana! A verdade de seu posicionamento é transbordantemente sincera e incomoda os corruptos aproveitadores de situações! Continuemos na batalha, total apoio a você! Parabéns pela lucidez! Ricardo.

  39. Ana Paula, seu texto é firme e elegante. Seus argumentos são claros e verdadeiros. Admirei você como atleta e a admiro, também, como pensadora, analista política e pensadora. Vi sua entrevista no “Grande Círculo”, quando tratou da injusta participação de trans sexuais, biologicamente masculinos, competindo com mulheres e meninas. Você foi brilhante. Desmontou, com enorme elegância, os militantes travestidos de jornalistas. Considero-me um de seus amigos virtuais.

  40. Vivemos tempos onde o que vale é a preservação das suscetibilidades. Como bem dito no artigo há sim, uma imensa gama de guerreiros silenciosos que não coadunam com essa pasteurização e relativização dos valores, e principalmente com injustiças.

    Como diria Cícero: “Ó temporas, ó mores!”

    Obrigado a Ana Paula, minha amiga virtual, pois quem tem seguidores é seitas. E principalmente, por terminar o artigo com o brilhante John Adams:

    “Fatos são coisas teimosas; e quaisquer que sejam nossos desejos, nossas inclinações ou os ditames de nossas paixões, eles não podem alterar o estado de fatos e evidências”.

      1. Ao ler veio um sentimento crescente de admiração pela sua coragem, pelo seu profissionalismo, pela sua sensibilidade, pela sua honestidade. Só tenho que te agradecer.

  41. Faço parte da Maioria silenciosa. E estou aqui também pra te parabenizar e te desejar força.
    Você sempre foi incrível em tudo o que fez. Você foi a minha musa do Vôlei, e hoje dá show em tudo onde se envolve a fazer. Um beijo gde. Estamos com vc.

  42. Não costumo ler muitos artigos. Mas o seu fiz questões de dedicar uns minutos para a leitura. Mesmo não a conhecendo, sinto em meu coração uma profunda empatia e um desejo sincero que Deus a proteja, bem como a sua família. Força! Você não está só.

  43. Parabens Ana Paula. Vc sempre foi idolo e hoje percebemos que nao foi a toa. Estamos todos exaustos de tudo isto que voce brilhantemente escreveu.

  44. “Tentar apagar a história não apagará os erros do passado, mas as lições do que não devemos fazer para repeti-los. ”

    Brilhante!

    Obrigado por me ensinar esse argumento lógico.

    1. Ana, você é guerreira, não esmoreça! Você nos deu muito orgulho e alegria enquanto atleta representando com brilhantismo o nosso País. Suas pautas são legítimas e muito bem fundamentadas. Continue nesse caminho do bem. Desejo muito sucesso a você sempre. Parabéns pela excelência do seu trabalho.

  45. Essa menina é um grande ativo desta revista e do jornalismo de verdade. Parabéns à Oeste pela contratação e, principalmente, à Ana Paula, pelo seu discernimento e clareza com que expõe suas idéias.

  46. Parabéns Ana, e continues sob os nortes da tradição, da honra, da disciplina, e da excelência”. O mundo precisa de pessoas sérias, corretas, corajosas e competentes.

  47. muito bom artigo! Lives matter, não só as “black”. Ninguém para sair às ruas para protestar contra a morte dos 19 brancos que morreram em 2019, segundo sua pesquisa. Ou seja, aonde imperava a hipocrisia nesses movimentos, agora impera também a covardia, canalhice (como a da imprensa brasileira que chama as badernas das torcidas organizadas de “defesa da democracia”) e a cafajestagem.

  48. Ana Paula,
    Realmente, a verdade incomoda todos aqueles que buscam o poder a qualquer preço. Não podemos, jamais, abrir mão dela. A única forma de cumprirmos nossa grande missão neste mundo é lutando pela verdade e pela liberdade. A preservação da dignidade humana depende essencialmente da preservação desses valores.
    Estamos juntos nessa luta!

  49. Todo o apoio a ana, essas cascas de ressentimentos geradas por uma maquina faminta por dominação deve ser combatida e com ajuda da sociedade, nós, que tem
    de levar o debate sério, sem emoções , a nossos representantes

  50. Sobre a socialização dos filhos proposta pelos engenheiros sociais “vegetarianos” sugiro assistirem o filme da Netflix da Angelina Joli “Primeiro Mataram Meu Pai”, que conta a história da jovem Loung Ung e sua trajetória para escapar do regime do ditador e genocida Pol Pot, no Camboja que era um engenheiro social digamos assim menos vegetariano, mais carnívoro… precisamos nos proteger da nefasta ideologia comunista ainda muito insidiosa na sociedade ocidental e funcional em países como Cuba, China, Coreia do Norte .

  51. Ana, nós amigos virtuais estaremos sempre ao lado de quem diz a verdade, é por isso que assinamos esta revista, por estarmos cansados de intrigas, mentiras e politicagem, a dignidade, como enalteceu “Tucker Carlson” não é herdada, é adquirida e por tê-la, somos especiais.

  52. Ana, você é guerreira, não esmoreça! Você nos deu muito orgulho e alegria enquanto atleta representando com brilhantismo o nosso País. Suas pautas são legítimas e muito bem fundamentadas. Continue nesse caminho do bem. Desejo muito sucesso a você sempre. Parabéns pela excelência do seu trabalho.

  53. Ana, obrigada por tudo! Quente acompanha sabe o tanto da sua coragem e genuína vontade de ensinar e aprender. Não se cale, não se deixe calar. Não vão nos calar.

  54. Admirei muito seu trabalho como jogadora de volei. Como blogueira ou escritora gostaria que quando forncecer dados, que coloque os links referentes aos fatos para que a populacao tenha acesso . Fatos e numeros sao muito importantes em momentos tao criticos como esse que estamos passando.
    Gostaria tambem que voce fizesse uma reportagem comentando e exclarecendo os numeros do link abaixo

    https://www.ethnicity-facts-figures.service.gov.uk/crime-justice-and-the-law/policing/stop-and-search/latest

  55. Li tanta bobagem direcionada à você Ana. Muitas dessas mensagens partiram de gente do esporte. Gente essa que durante muito tempo nunca falou de política ou seja lá o que for além da sua área. O esporte. Um dos que me deixaram mais indignados é um que nem a cara mostra. Tem o apelido de um país sul americano. Mas antes de comentar algo que ele falou, fui atrás dos fatos. Vi que ele entrou na onda. Mas se não segue a cartilha, é perseguido. Você está de parabéns. Sucesso.

  56. Voce mesmo nos lembrou: “Nunca peça desculpas a uma multidão sedenta de sangue” – Jordan Peterson. Os que bradam pelos negros americanos sem nada propor a não ser baderna e caos estão sedentos por sangue. O mesmo se prolifera no Brasil em diversas esferas. Infelizmente o debate honesto ficou no passado e quiça um dia retornará ao nosso dia-dia. Parabéns! Keep up!

  57. Ana, sempre fui seu fã quando jogadora, aprendi a ser seu fã como pessoa, e agora estou ficando cada vez mais fã como analista política. Parabéns !!! Seu trabalho continua fazendo diferença.

  58. Ana, vc diz que 1004 americanos morreram em operações policiais, 9 negros e 19 brancos. Qual é a raça dos outros 975 mortos? Outra coisa: vc esqueceu de dizer que a população branca nos EUA é seis vezes maior do que a negra. Assim, ao contrário do que vc diz, a relação de 9 negros mortos para casa 19 corrobora racismo porque três vezes mais negros morrem em confronto com a polícia do que brancos. Essa é uma simples operação matemática de proporcionalidade. Se para cada negro americano há 6 brancos americanos, e 9 negros morreram seria preciso que 54 brancos tivessem morrido para que a relação entre o número de mortos por raça correspondesse à proporcionalidade da população e corroborasse que não há racismo contra os negros. No entanto, para cada negro que perdeu a vida, apenas dois brancos perderam as suas vidas, ao invés de 6.

  59. Ana, você poderia acrescentar os links do site do Departamento de Justiça americano em que vc encontrou esses dados estatísticos? eu não consegui encontrar essas informações.
    Outra coisa, sua tradução sobre o texto no site do Black Lives Matter é incorreta. Primeiro, não é uma afirmação do que o movimento fará como missão, mas sim uma afirmação das características e valores do movimento. Sou tradutora profissional e a tradução da frase que vc menciona é “Nós não somos uma estrutura familiar nuclear, imposta pela cultura ocidental, e apoiamos uns aos outros como famílias por extensão ou comunidades que cuidam de seus membros coletivamente, especialmente de nossos filhos, da maneira que mães, pais e filhos acharem melhor.
    O tradutor do Google não funciona bem em frases mais complexas e tende a fazer traduções literais. Assim, a intenção política que vc atribui à frase do movimento não existe, pelo menos na forma explicita que vc quer fazer acreditar.

  60. Ana, você poderia citar as fontes das suas afirmações? Não consegui achar os dados que vc citou na matéria. “Por que crianças negras não têm um desempenho satisfatório nos sistemas escolares administrados por negros e partidos de esquerda? Por que quase 70% dos lares negros têm apenas um genitor presente? Por que a figura paterna nessas comunidades não é presente? Por que nos últimos 50 anos, US$ 22 trilhões foram gastos em programas de pobreza nessas comunidades nos Estados Unidos, mas apenas 30% chegaram às pessoas?” Desculpe-me por destrinchar seu artigo, mas aprendi com os melhores editores, incluindo Augusto Nunes, na Veja dos idos dos anos 80, exigindo confirmação de fatos e dados. Há muitas falhas nesse artigo e estou até surpresa como os editores da Oeste deixaram passar, especialmente em um artigo sobre verdade, honestidade intelectual, e debate honesto. Aguardo suas fontes de informação.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site