Foto: Montagem Revista Oeste/Shutterstock
Foto: Montagem Revista Oeste/Shutterstock

Pequeno Manual de Sanidade Para Redes Sociais

Como o mau uso das redes pode ser tóxico para o intelecto e para as próprias relações sociais

O surgimento da internet, a criação das redes sociais e a popularização da telefonia celular produziram enormes mudanças em pouco tempo. Há 20 anos tínhamos três ou quatro fontes de informação; hoje temos milhões. São indivíduos, grupos, entidades e empresas espalhados por todos os cantos da sociedade e do mundo, cada uma apresentando sua versão dos fatos e sua opinião sobre eles.

É razoável dizer que, para uma quantidade enorme de pessoas, as redes sociais se tornaram o principal veículo de acesso a informações.

É o fim do oligopólio que dominava a produção e a divulgação de notícias. É o início de uma nova era, na qual somos todos, ao mesmo tempo, consumidores, produtores e disseminadores de informações.

É uma excelente novidade. Se você souber lidar com isso.

Se você não souber, problemas podem surgir.

O uso errado de redes sociais pode ser tóxico para o intelecto, os sentimentos e as próprias relações sociais — que deveriam ser, elas, a razão da existência das redes.

Por isso, listo aqui algumas orientações para o uso das redes sociais, tiradas do meu próprio — e, até agora, secreto — manual de comportamento.

Foto: Shutterstock

Regra Número 1 – Não semeie nem dissemine raiva, rancor ou ressentimento

Seu espírito está tomado por revolta e frustração. Você está sentindo enorme indignação em relação a um acontecimento ou a uma pessoa — talvez um político, uma autoridade, uma figura pública. Por isso, você acaba de escrever um post carregado de recriminação e acusações — talvez até com expressões um pouco grosseiras — e já está prestes a publicá-lo.

Minha sugestão é: deixe esse texto descansar por no mínimo 24 horas. Passado esse tempo, releia o que você escreveu. Garanto que, em um bom número de casos, você vai alterar ou até desistir de publicar o que escreveu.

Não se trata de autocensura; trata-se de prudência, maturidade e autocontrole.

Enormes prejuízos têm sido causados a muita gente — tanto autores quanto terceiros — por textos escritos e publicados no calor do momento.

Lembre-se também: a rede social não é um terapeuta e nem o melhor canal para exposição de assuntos íntimos ou aspectos particularmente complexos de nossa vida ou personalidade. Elogie com fartura e critique com sobriedade e parcimônia. E jamais use uma rede social para transformar alguém em alvo de ataques de terceiros.

Regra Número 2 – Não promova nem multiplique rumores, boatos ou fofocas

Comporte-se nas suas redes como você se comporta em sua vida. Use essa regra: se você acaba de receber uma informação, uma foto um vídeo que parece inacreditável ou escandaloso ao extremo, jamais o transmita para alguém imediatamente. Espere ao menos uma hora antes de repassar o material a qualquer pessoa. Nesse tempo, use as ferramentas de busca da internet para ter uma certeza mínima da veracidade do que você recebeu.

Veja o que aconteceu comigo: no início do ano passado eu recebi, de uma fonte altamente confiável, um vídeo que, aparentemente, sinalizava uma mudança de posição crítica de um político importante. Como a fonte era excelente, postei o vídeo nas minhas redes sociais sem fazer qualquer verificação. Dez minutos depois, a minha fonte me enviava outra mensagem pedindo desculpas e dizendo que se tratava de um vídeo antigo.

Sempre verifique minimamente a origem e a consistência das informações que você repassa, nem que essa verificação se limite a uma pesquisa rápida na internet. Se você não tem tempo para fazer essa verificação, meu conselho é: não passe a informação adiante.

Ilustração: Shutterstock

Regra Número 3 – Fuja das tretas

O que são tretas? São confusões ou brigas virtuais, movidas por diferenças de opinião e de ideias, ou pelas emoções mais mundanas — como inveja, cobiça ou rancor, por exemplo. Você faz uma crítica a alguém, ou alguém manda uma indireta em sua direção, e a treta começa.

Para muita gente, tretas têm apelo irresistível. Muitas estrelas da internet construíram sua base de seguidores em cima de tretas. Mas, a longo prazo, tretas são tóxicas e extremamente destrutivas.

Tretas contaminam sua rede social com palavras e expressões que nunca deveriam ser ditas, muito menos escritas. O desejo de autopromoção de algumas pessoas e a sofreguidão com que se entregam a tretas as leva até a cometerem crimes de injúria, calúnia e difamação, além de sujeitá-las, frequentemente, ao pagamento de indenizações por danos morais.

Tretas são uma forma infantil de comportamento, que geralmente deixa um rastro permanente de vulgaridade, descrédito e rancor em suas redes. A internet nunca esquece.

Regra Número 4 — Respeito, Respeito, Respeito

Tenha sempre respeito por você mesmo, respeito por seus seguidores e — por mais contraditório que possa parecer — respeito por seus adversários.

Não é porque alguém desrespeitou você que você é obrigado a pagar na mesma moeda. Jamais responda a uma ofensa com outra ofensa. Minha recomendação: se alguém entrou na sua rede fazendo uma crítica que você considera equivocada ou injusta, mas a crítica foi feita em termos civilizados, responda com educação. Já presenciei muitas situações em que essa abordagem resultou não só em mútuo entendimento, mas no estabelecimento de novos relacionamentos e até de amizades.

Mas, se alguém entra na sua rede te ofendendo com termos grosseiros, meu conselho é: bloqueie a pessoa e esqueça o assunto — a menos que as calúnias possam vir a te causar prejuízo de alguma forma. Nesse caso, procure um advogado e entre com processo por danos morais. Mas jamais — jamais — responda a uma ofensa ofendendo o ofensor.

Regra Número 5 – Compartilhe a riqueza de sua vida

Conte ao mundo sobre aquele livro excepcional que você leu, fale do filme sobre a civilização egípcia que você adorou, conte do curso de programação que você finalmente conseguiu fazer. Fale sobre o seu amor por cães; conte da sua experiência de morar alguns anos no exterior; compartilhe o percurso difícil que te levou de uma situação de pobreza na infância a uma vida próspera, com segurança financeira e uma bela família. Inspire, motive, anime; não com mentiras, chavões ou memes tolos, mas falando da sua própria experiência. Todos nós temos uma fortuna em histórias pessoais para compartilhar. Esse é um dos usos mais nobres das redes.

Foto: Shutterstock

Regra Número 6 – Use “fios” (“threads”) no Twitter

No Twitter, o seu texto não precisa ficar limitado a poucos caracteres. Quando o texto não cabe em um único tuíte, você pode dividi-lo em vários tuítes encadeados — o que se chama de “fios”, ou ‘threads”. Não tenha medo de compartilhar textos maiores. Algumas de minhas postagens de maior repercussão tinham 20 ou mais tuítes encadeados. O que importa é a qualidade e a relevância do que você está postando.

Regra Número 7 – Não retuíte adversários

Jamais retuíte ou compartilhe posts de figuras que você está criticando, com o intuito de expor e rebater seus argumentos. Compartilhando ou retuitando os posts de adversários você aumenta a audiência deles e, provavelmente, o número de seguidores. Ao invés disso, faça o seguinte: tire um print do post e inclua como anexo na sua postagem. Ou simplesmente cite o texto no seu post. Não dê publicidade a adversários.

Regra Número 8 — Não perca tempo com contas minúsculas

Antes de gastar seu tempo discutindo ou argumentando com alguém, dê uma checada no perfil do usuário. Pode ser que se trate de uma conta com zero seguidores, e que não segue ninguém. Na verdade, uma conta robô ou conta espantalho, criada só para encher seu saco. Não perca seu tempo.

Regra Número 9 – Seja gentil e educado

Use sempre as expressões por favor, por gentileza e com licença. Nunca esqueça de agradecer às pessoas que o seguem. Sempre releia o texto de sua postagem e pergunte: eu poderia ter sido mais gentil ou educado? Existe alguma possibilidade desse texto soar impositivo ou arrogante? Nesse caso, altere a redação.

Foto: Shutterstock

Regra Número 10 – Use menos as redes e leia mais

Limite o tempo que você gasta nas redes. Fique on-line, no máximo, uma ou duas horas por dia. Leia mais, e leia livros bons. A leitura aumenta o conhecimento, organiza as ideias, eleva o espírito e acalma o coração. Mas leia livros bons. Livros ruins são tóxicos. Como saber quais livros são bons? Um bom caminho é assistir ao meu podcast diário, Meia Hora com Motta, em que sempre recomendo livros. Você também pode ir direto à seção de recomendações da minha livraria on-line.

Regra Número 11 – Reduza o número de grupos de ZAP

A não ser que você seja jornalista, político ou use o WhatsApp profissionalmente, não faz sentido participar de mais do que meia dúzia de grupos. Selecione com critério os grupos dos quais você participa. Prefira grupos com bons administradores, que façam moderação inteligente e tenham um mínimo de controle sobre quem são os membros. Jamais participe de grupos nos quais você desconhece a maioria dos outros participantes.

Leia também “Elon e eu”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

24 comentários Ver comentários

  1. Boa tarde, ROBERTO, suas palavras estão corretas, mas, infelizmente meu sentimento de tristeza e revolta ainda não passou. Há 40 anos que luta contra o Lula. Mais do que nunca está provado que ele é a destruição da democracia no Brasil. A questão não é ser à favor ou contra Bolsonaro, e sim os malefícios que Lula traz ao Brasil, em qualquer setor.

  2. Ótimo artigo Motta.
    O Meia Hora com Motta tem me ensinado muito sobre comportamento, além de me fazer redescobrir o prazer da leitura.
    Parabéns!

  3. Motta,sigo sempre seu programa “meia hora com Motta”, gosto muito.As redes sociais são úteis apenas se vc as usa corretamente.Aconselho não falar com pessoas que de fato não conhece, terá surpresas desagradáveis.Concordo que ficar conectado sem limites faz mal ,aumenta a ansiedade e depressão.Cuide de sua saúde mental.Ler um bom livro ou assistir um filme ajuda muito.

  4. Roberto Motta,sou sua seguidora ,sua live diária., não abro mão.. Parabéns a tudo que pública.Vc é essencial para tudo que faz.Te sigo sempre,nunca desista vc é muito especial para todos.

  5. Um senhor que conheci por longos anos, durante um encontro casual que tivemos quando ele já tinha 94 anos aproveitei para perguntar o que ele tinha feito de certo para ter uma vida tão longa, se comparada à maioria. E ele me respondeu: “Eu toda a vida fugi do perigo”. Achei interessante. Não tenho dúvida de que esta resposta seja válida também para as redes sociais.

  6. Boa tarde, Roberto Motta.
    Como telespectadora do seu programa”Meia Hora com Motta”, resolvi seguir a sua recomendação de leitura com relação a este artigo. Quero parabenizá-lo, mais uma vez, pela lucidez e espírito de compartilhamento do comportamento saudável que deveríamos adotar diante da velocidade imposta pelas informações trazidas através das redes sociais. Ficarei atenta àquelas regras e compartilharei com as pessoas das minhas redes. Muito obrigada!

  7. Como nos faz falta mais jornalista como Mota , Constantino, Fiuza, Figueiredo e Ana paula, o que nos conforta é que pelo menos agora estão se reunindo em um único veículo de comunicação

  8. Muito obrigada, Motta. Seu manual de Sanidade para Redes Sociais é um farol e nos ajuda nesses dias tão difíceis. Obrigada!

  9. Muito bom seu manual. Deveria ser obrigatório sua leitura antes de se inscrever ou frequentar qualquer rede; e o melhor é que assistindo o autor na JP logo percebemos que ele recomenda o que pratica com maestria e educação, parabéns!

  10. Grande Motta! Que riqueza de conteúdo. Adorei as dicas do seu manual de sanidade. Na regra número 10, eu tenho uma boa prática de tratar as redes sociais de forma planejada. O que isso significa? Defino horários fixos (no meu caso é apenas meia hora, uma vez ao dia) para ver as redes e responder o que vale a pena ser respondido. Dessa forma tiro um pouco da ansiedade das atualizações infinitas.

  11. Motta Parabéns. Considero-o um cavalheiro; discreto ;ponderado; lúcido; equilibrado e certamente alguém que muito tem a contribuir positivamente para um mundo melhor. Mais uma vez… Parabéns.

  12. Ótimo artigo, Motta! 👏👏👏
    Após ter começado a assistir o Meia Hora com Motta e ter voltado a ler mais, passei a entender melhor esse comportamento nas redes sociais. Com certeza agora sigo com muito mais SERENIDADE!
    OBRIGADO!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.