Pular para o conteúdo
publicidade
Ovos de galinhas ou codornas são para os humanos o alimento mais completo da natureza | Foto: Vastram/Shutterstock
Edição 154

Ovos nossos de cada dia

A avicultura nacional produz cerca de 1.800 ovos por segundo. Em 2007, cada brasileiro consumia 131 ovos por ano, hoje são 257

Evaristo de Miranda
-

“Omne vivum ex ovo”
Expressão latina

Quem veio primeiro: a galinha ou o ovo? O ovo. Os primeiros ovos, com casca mineral, surgiram há 340 milhões de anos. E as primeiras galinhas, por volta de 58 mil anos. Os ovos amnióticos conferiram aos répteis uma vantagem decisiva sobre os anfíbios. Eles conquistaram a terra seca e dominaram o planeta por mais de 150 milhões de anos. Hoje, 99% das espécies animais se reproduzem a partir de ovos. Mamíferos, como humanos, cavalos, cangurus e leões, não põem ovos e são minoria no reino animal. Após milhões anos de evolução, os ovos de galinhas ou codornas são para os humanos o alimento mais completo da natureza, depois do leite materno.

O Brasil saiu de oitavo produtor mundial de ovos em 1980 para a quinta posição em 2020, após China, EUA, Índia e Indonésia. Com inovações, este segmento altamente tecnificado do agronegócio não para de crescer. Em 2022, o Brasil produziu cerca de 56 bilhões de ovos. Segundo a Associação Brasileira da Proteína Animal (ABPA), 99,7% da produção destina-se ao mercado interno. A pequena exportação de ovos in natura (65%), incluindo a inovadora iniciativa de ovos férteis, e industrializados (35%) tem nos Emirados Árabes, no Catar e no Japão os maiores destinos.

Brasil saiu de oitavo produtor mundial de ovos para a quinta posição em 2020 | Foto: Shutterstock

Nos últimos 15 anos, ovos especiais são produzidos com alta tecnologia como insumo para fabricar vacinas para humanos e animais. Todo ano, de 60 a 70 milhões de ovos embrionados são fornecidos pelo agronegócio, entre setembro e abril, para produzir vacinas contra a gripe. Outros ovos para vacinas servem para imunizantes contra febre amarela, aftosa e até a covid.

O ovo é a proteína animal cujo consumo mais cresceu no Brasil nos últimos 15 anos, segundo o Instituto Ovos Brasil, entidade sem fins lucrativos criada com o objetivo de esclarecer a população sobre as propriedades nutricionais do ovo e de desfazer mitos sobre seu consumo.

Como ovo rima com povo, ele se transformou num alimento essencial na dieta média dos brasileiros. Em 2007, cada brasileiro consumia 131 ovos por ano, hoje são 257, bem acima da média mundial (185), sem mencionar a africana (44). A avicultura nacional produz cerca de 1.800 ovos por segundo! O Sudeste reúne as maiores granjas de postura comercial de ovos. Os principais Estados produtores são São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Pernambuco e Mato Grosso.

O ovo se transformou em um alimento essencial na dieta média dos brasileiros | Foto: Shutterstock

São de 110 a 115 milhões de galinhas poedeiras. Aves selecionadas, com tratamento veterinário, zootécnico e nutricional adequado, criadas com métodos avançados e em instalações modernas. A produção industrial de rações para poedeiras é da ordem de 7 milhões de toneladas/ano. A alimentação pode representar até 70% do custo de produção em poedeiras. Com aumento recente no custo das rações, os produtores de ovos, com inovações, reduziram esse impacto nos preços finais ao consumidor.

Simbolicamente, o ovo contém os quatro elementos cósmicos: terra (casca), água (clara), ar (fina membrana sob a casca) e fogo (gema)

Sem escala e rentabilidade na produção de grãos (milho e soja) e de outros produtos usados na fabricação de rações ou sem os recursos modernos na gestão das granjas (genética, vacinas, medicamentos), não haveria ovos em qualidade e quantidade na mesa dos brasileiros. Nem a geração de empregos, renda e arrecadação de impostos em toda a produção. Ovos são frutos da integração entre cadeias modernas do agronegócio, indústrias e logística.

Grãos e outros produtos usados na fabricação de rações são necessários para o aumento na produção de ovos | Foto: Shutterstock

Um ovo corresponde a cerca de 20% das recomendações diárias de proteína e é rico em vitaminas (A, D, E, K), antioxidantes (colina, biotina, luteína e zeaxantina) e proteínas (albumina). A albumina contém aminoácidos essenciais em quantidade e relação correta ao crescimento e reparo muscular. Das proteínas do ovo, 95% são facilmente digeríveis. Seus nutrientes fortalecem olhos, cabelos, músculos, pele e previnem anemia e osteoporose.

A produção das enzimas antioxidantes pelo corpo requer quantidades suficientes de proteínas de alta qualidade e vitaminas, como as do complexo B. As vitaminas presentes na gema são as lipossolúveis (A, D, E, K) e as hidrossolúveis do complexo B, como a B7 (biotina). As vitaminas B1 (tiamina) e B12 (cianocobalamina) ficam no albúmen e a B2 (riboflavina) e B9 (ácido fólico), igualmente distribuídas na gema e na clara.

Um dos alimentos mais ricos em colina é o ovo, nutriente para melhorar a memória. Vitamina do complexo B, a colina atua no sistema neurotransmissor, mantém a integridade nervosa, melhora a concentração, previne o mal de Alzheimer e ajuda a diminuir o colesterol.

Um ovo corresponde a cerca de 20% das recomendações diárias de proteína e é rico em vitaminas e antioxidantes | Foto: Shutterstock

A luteína ajuda na formação e na manutenção dos ossos, suprimindo os osteoclastos, responsáveis pela reabsorção óssea. Esse carotenoide, relacionado à cognição, deve ser consumido ao longo da vida. O leite materno será rico em luteína se a mãe consumir esse carotenoide.

Estudos científicos desmistificaram a associação do consumo de ovos com o aumento do colesterol e a incidência de doenças cardiovasculares. Atestaram o contrário: o consumo de um ovo por dia faz bem ao coração e reduz o risco de doenças cardíacas. Os ovos devem ser consumidos da gestação à velhice.

O ovo é bom para gestantes, lactantes e bebês. Na gestação, as necessidades nutricionais da mãe se elevam. Um nutriente essencial é a colina (vitamina B8), responsável pelo transporte de lipídios do fígado. A acetilcolina, sintetizada a partir da colina, é decisiva no desenvolvimento neurológico do bebê, do fechamento do tubo neural às funções cognitivas. As necessidades de uma mulher em colina são de 425 miligramas/dia (mg/dia). As de uma mulher gestante são de 450 e aumentam para 550 mg/dia na lactação.

O ovo é bom para gestantes, lactantes e bebês | Foto: Shutterstock

Bebês e crianças com atraso no desenvolvimento, ao incorporarem ovos em sua dieta, recuperam rapidamente a saúde nutricional infantil. O ovo atende à saúde dos esportistas com energia, reparo e crescimento muscular, antioxidantes, resposta imunológica, síntese de hormônios esteroides e modulação da resposta inflamatória. A biotina é essencial no metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas. Sua deficiência está relacionada a fadiga, depressão, náuseas, dermatites e dores musculares. Alguns atletas têm o costume de comer clara de ovo cru. Prática a ser evitada: inibe a ação da biotina e há riscos de contaminação por bactérias.

O ovo é o alimento por excelência da terceira idade. O envelhecimento causa alterações nas funções orgânicas. A maior dificuldade de mastigar, deglutir e digerir pode levar a deficiências nutricionais. Os ovos auxiliam a evitar a perda de massa magra. Seus carotenoides (luteína e zeaxantina) com ação antioxidante e sua riqueza em vitaminas A e K, zinco, magnésio e selênio ajudam a prevenir problemas de visão, entre outros.

O ovo tem poder de desintoxicação em casos agudos (intoxicação alcoólica, por exemplo) e coadjuvante em determinadas quimioterapias e processos crônicos de intoxicação por metais pesados (alumínio, chumbo e mercúrio).

O ovo é símbolo de nascimento e vida | Foto: Shutterstock

Durante a Quaresma, aumenta o consumo de ovos no Brasil. O ovo é símbolo de nascimento e vida. A vida, força misteriosa, ordenadora do caos da matéria, é indissociável de seus ciclos (nascimento, morte, renascimento). Sua circularidade está inscrita na forma mesma do ovo. Simbolicamente, o ovo contém os quatro elementos cósmicos: terra (casca), água (clara), ar (fina membrana sob a casca) e fogo (gema). Como símbolo da vida, ele engloba também a vida por vir, em eclosão. Como a Quaresma prepara a Páscoa; o ovo representa a renovação nos ciclos da natureza. O costume de oferecer ovos coloridos às portas da primavera na Europa estendeu-se especialmente à Páscoa cristã, festa da ressurreição e do despertar da natureza (equinócio boreal da primavera). E um de seus símbolos maiores é o ovo de Páscoa.

O primeiro capítulo do Gênesis escrito em um ovo, no Museu de Israel | Foto: Wikimedia Commons

Em muitas cosmogonias, o ovo é associado ao nascimento do mundo. No Egito antigo, a Via Láctea emergiu das águas sob a forma de uma colina de detritos onde o sol (Ré) foi depositado em um ovo por uma ave celeste. Na mitologia chinesa, no princípio, o Universo era um ovo. Pangu, o primeiro deus, ao nascer o rompeu em dois. A parte superior deu origem ao Céu e a inferior à Terra. Monocelular e indiferenciado, o ovo está pronto a gerar a diferenciação, a dualidade, expressa no símbolo taoísta do ying e do yang ou por duas semiesferas de prata e de ouro na tradição hinduísta. Talvez por isso tudo, o ovo pode ser consumido a qualquer hora e combinado a um sem-número de alimentos. Saudável, o ovo é prático, saboroso e fácil de preparar. Cozido é o ideal, sem calorias adicionais, como em frituras ou bolos e doces.

Tudo vem do ovo. Tudo se reproduz pelo ovo. Tudo termina no ovo. Alfa e ômega das existências, ele toma uma parte da vida de quem o criou e a entrega a quem virá. Anel transmissor de informações (neguentropia) na série das existências, criado apenas para a reprodução, o ovo é composto dos mesmos elementos (albumina, glicogênio, gorduras), em todas as espécies. E, em função da origem, o ovo produz borboleta, avestruz, ornitorrinco, beija-flor, crocodilo, abelha, peixe, mosca ou serpente.

A produção automatizada de ovos nas granjas | Foto: Shutterstock

O ovo é poroso (7 a 17 mil poros) e absorve o cheiro de outros alimentos. A produção de ovos nas granjas é tecnificada e automatizada, evita contato com pessoas e qualquer tipo de contaminação química ou biológica. Cuidados da postura à embalagem. Com a parte pontiaguda para baixo, a gema permanece centralizada na casca, afastada da bolsa de ar na extremidade maior e bem acondicionada. Nas caixas de ovos dos supermercados há todas as informações relevantes sobre o produto, incluindo seu prazo de validade.

A casca do ovo evoca proteção, o seio da mãe no qual o bebe está protegido. De natureza feminina, o ovo fértil lembra a célula mater, o fruto e outros elementos representativos da vida, pronta para eclodir e se desenvolver. Sua forma oval sugere o infinito e assume o simbolismo da esfera, globalizante e indiferenciada, espaço neutro, com todas potencialidades, sinal da unidade cósmica, reflexo do Princípio em sua intenção criadora, ainda não realizada. E depois de tudo isso, você ainda não come ovos?

(Artigo dedicado a Flávio Figueiredo de Andrade, o “Ovo”)

Leia também “O azeite verde-amarelo”

25 comentários
  1. Luiz fernando Chalet ferreira
    Luiz fernando Chalet ferreira

    Profissionais técnicos devem fazer política para sobreviver na vida pública . Profissionais políticos não , apenas mentem. Ovo neles!!!

  2. Solange Maria Alves Mota Santos
    Solange Maria Alves Mota Santos

    Fantástico!
    Me apaixonei pelo ovo.
    Nunca soube tanto sobre um alimento.
    Muito obrigada

  3. Giovani Santos Quintana
    Giovani Santos Quintana

    Excelente matéria, extrair tanto de um produto tão pequeno.

  4. aguinaldo silva
    aguinaldo silva

    Belo texto. E serviu para acabar com meu sentimento de culpa por comer ovo todo dia. Obrigado.

  5. Alice Helena Rosante Garcia
    Alice Helena Rosante Garcia

    Finalmente alguém desvenda todas as benesses que um alimento tão completo pode trazer. O ovo é exatamente uma célula com núcleo (gema) e citoplasma (clara), e se fertilizado dará origem a outra vida. Na oncologia sempre orientamos os pacientes a usar e abusar desse alimento principalmente a clara rica em albumina tão necessária para pacientes com tumores de qqr origem onde a presença da proteína animal é fundamental para sua recuperação. Ensinamos os pacientes a fazer omelete de claras colocando um fio de azeite, sal, 04 claras e 02 gemas para ficar mais leve, (para quem esta em tratamento tudo é motivo de enjôo). E a aceitação é muito boa. Enfim Dr Evaristo mais uma vez nos presenteia com esse artigo. Me vem na lembrança uma frase do escritor alemão Herman Hesse – “a ave sai do ovo. O ovo é um mundo. Pra se nascer é preciso destruir um mundo”. E assim seguimos nossas vidas de “mundo em mundo”.

  6. Domingos de Souza
    Domingos de Souza

    Parabéns, dr. Evaristo.

    Novamente o sr. nos apresenta o agro de maneira tão simples, objetiva e muito interessante.
    Uma aula completa.
    Muito grato.

  7. Francisco Albuquerque
    Francisco Albuquerque

    Mais uma vez os artigos do Mestre Evaristo de Miranda excedem as expectativas. Produto indispensável a nossa mesa, a abordagem sobre o ovo trás informações valiosas com relação a história, propriedades e estatísticas

  8. Eloísa Hage
    Eloísa Hage

    Parabéns mestre!!!! Conhecimento técnico, cultura , história e muito amor pelo agro…

  9. Antonio Carlos Neves
    Antonio Carlos Neves

    Já pensaram se brasileiros como o dr. Evaristo de Miranda dirigissem nosso pais com a técnica e verdadeira informação tão necessárias para a democracia conservadora, liberal e de respeito a Lei e a Ordem? Afinal, por que somos dirigidos por políticos? Observem o que fizeram Paulo Guedes, Tarcísio de Freitas, Tereza Cristina e outros altamente técnicos.

  10. RCB
    RCB

    O Dr. Evaristo Miranda tem o dom de traduzir os benefícios para a saúde derivados dos nutrientes e vitaminas. Quando um produto é tão importante para a saúde de brasileiro, como o ovo, esse artigo mostra quão deficiente tem sido o esforço, público e privado, em promover o produto esclarecendo esses aspectos. Obrigado, grande mestre!!

  11. Humberto Falcão
    Humberto Falcão

    Parabéns Dr. Evaristo e Revista Oeste, sempre um grande aprendizado, técnico e espiritual, o Brasil tem jeito e futuro, o que precisa é termos pessoas desse quilate no comando.

  12. Ana Vaz
    Ana Vaz

    Seus artigos são sempre uma aula de história, ciências e cultura! Top!

  13. Rafael Macedo
    Rafael Macedo

    Nunca foi possível viver na cidade sem o agro, mas pouca gente pensa sobre isso.
    A cidade é sempre lembrada por sua dinâmica e por ser o lugar onde os interesses e esforços prosperam, mas a cidade só conheci a si mesma.
    O agro não, ele conheci a si com as rotinas no campo e também conhece a cidade como ninguém, a exemplo dos ovos fresquinhos que encontramos todos os dias nos supermados, vendinhas e feiras nos grandes centros do país.
    Obrigado Dr. Evaristo pelo teor excepcional dessa materia que informa sobre o valor do campo para nós da cidade, certamente farei este artigo circular entre amigos e colegas acadêmicos.
    Ansioso pelo próximo artigo!

  14. DONIZETE LOURENCO
    DONIZETE LOURENCO

    Fiquei maravilhado com tantas informações desfazendo tabus que sempre alimentaram o imaginário de muitos consumidores. Além de uma aula de arqueologia e história.

  15. Flavio Pascoa Teles De Menezes
    Flavio Pascoa Teles De Menezes

    Meu caríssimo mestre, a cada artigo se superando!
    Neste de hoje, além de me esclarecer de maneira total sobre o ovo, me fez lembrar de Raul Seixas: “ eu sou o princípio, o meio e o fim”!

    1. José Menezes
      José Menezes

      Prof. Evaristo se supera com mais esse artigo que discorre, de maneira extasiante, sobre esse alimento que, embora tão comum em nossas vidas, pouco se conhecia até esta leitura. Arrebatador! Leitura obrigatória.
      Revista Oeste nos gratifica com esses trabalhos do grande Mestre Evaristo.

  16. Luiz Marins
    Luiz Marins

    Mais um espetacular artigo do Dr. Evaristo. Compartilhando mils com amigos, colegas e alunos. Valeu! Parabéns!

    1. Verbena Neves Reis
      Verbena Neves Reis

      Como sempre, seu artigos são muito esclarecedores, fique admirada em saber que o ovo representa simbolicamente os quatro elementos do cósmico.
      Tb as inúmeras vitaminas e aminoácidos, que encontramos em um ovo, saudável em nossa alimentação.
      Ovo, utilizado no preparo das mais variadas receitas na gastronômica, e.muito utilizado nas famílias de baixa renda.
      Salve o ovo!!!

  17. José Gilberto Jardine
    José Gilberto Jardine

    Excelente esta matéria. Parabéns, Evaristo. Muito rico de informações históricas e técnicas. Repassei para muitos grupos de meu relacionamento.

  18. Paulo Ricardo
    Paulo Ricardo

    Mais um artigo que desvenda a nós, leitores urbanos, algumas realidades fundamentais para a existência diária, das quais usufruímos mas sobre as quais pouco sabemos. Parabéns ao Evaristo, que já nos brindou anteriormente, aqui na Oeste, com um texto brilhante sobre o papel do ovo na produção de vacinas.

  19. Mariana Faria
    Mariana Faria

    O ovo está presente em nossa alimentação quase todo dia e não sabemos quase nada sobre ele. Esse artigo foi muito esclarecedor, tanto sobre os aspectos nutritivos do ovo, como sobre a modernidade da sua produção no Brasil. Além de todos os aspectos culturais e simbólicos apresentados. Li com muito interesse! O Dr. Evaristo escreve de forma compreensiva para quem vive distante das realidades rurais. Uma aula!

  20. Gustavo Amaral
    Gustavo Amaral

    Primoroso na forma, delicioso (tal qual o ovo) texto para leitura de todos. Particularmente, sempre paro na Rodovia Washington Luís, nas proximidades de São Carlos, para adquirir alguns ovos de duas gemas, uma iguaria!

  21. Flávio Figueiredo de Andrade
    Flávio Figueiredo de Andrade

    Brilhante artigo.
    Grato pela dedicatória.
    conhecia alguns efeitos positivos do ovo na alimentação, mas como sempre, em seus artigos, aprendo mais e mais.
    Obrigado EVARISTINHO.
    UM ABRAÇO DO SEU AMIGO OVO.

  22. Letícia Mammana
    Letícia Mammana

    Parabéns à Revista Oeste e ao Dr. Evaristo por um artigo tão informativo e interessante sobre uma realidade de nosso cotidiano: o consumo de ovos. Ovos não nascem em gôndolas de supermercados. Há muita tecnologia e inovação na produção de ovos no Brasil. Não imaginava! O artigo é muito completo pois aborda os aspectos nutricionais, históricos e simbólicos desse alimento tão funcional. Fiquei curiosa em saber mais sobre os sistemas de produção nessas granjas e como eles se abastecem de matrizes, poedeiras, rações etc. e como encaminham e para quem sua produção.

  23. Manfred Trennepohl
    Manfred Trennepohl

    Fantástica essa matéria sobre o ovo. Parabéns, Evaristo! Um trabalho excepcional, que vai desde a famosa pergunta “Quem veio primeiro: a galinha ou o ovo? O ovo.”, mostrando suas qualidades nutricionais, sua história, seu impacto econômico, os seus significados nas diferentes culturas ao longo da historia da humanidade. Fantástico!!!

Do corre ao nocaute, Mirelle Moschella - Apresentadora Anterior:
Mirelle Moschella: ‘Tinha certeza de que não ia morrer do câncer’
Próximo:
Carta ao Leitor — Edição 213
Newsletter

Seja o primeiro a saber sobre notícias, acontecimentos e eventos semanais no seu e-mail.