A inocência do ladrão

Nada aconteceu. Foi uma ilusão de ótica decorrente da vara errada, do tribunal errado, da galáxia errada. A condenação de Lula foi coisa do outro mundo

Fachin acordou invocado e inocentou o Lula. É assim mesmo que a Justiça tem que ser: rápida, decidida e leal aos seus padrinhos. Justiça boa é justiça amiga. A decisão histórica do ministro do STF livrou o Brasil de uma névoa de incertezas com as quais os brasileiros não suportavam mais conviver. A principal delas era a mais óbvia: por que o maior ladrão do país, condenado a mais de 20 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, estava à solta sem pagar pelos seus crimes?

Fachin resolveu essa angústia nacional: o ladrão é inocente. Fim de papo. Ladrão inocente é ladrão solto. Desenvolto. Desimpedido. Desembargado para exercer em paz sua delinquência benévola, sua rapinagem testada e aprovada em altos círculos intelectuais. A burguesia rica que ama seu picareta de estimação, seu revolucionário 171, seu bibelô da falsa preocupação social está aliviada. Ela poderá voltar a fantasiar seu egoísmo de solidariedade só com as duas palavrinhas empáticas — Lula livre. Não precisa nem gastar dinheiro com costureira. É o carnaval mais barato da Terra.

No quesito alegoria e adereços, ninguém barra o desfile de Luiz Edson Fachin. Ele tirou da cartola um embargo de declaração e transformou em purpurina três instâncias da Justiça brasileira. Não valeu nada. Tava tudo no lugar errado. Foram sete anos de confirmações, em cortes de todos os níveis, de que estava tudo no lugar certo. Mas, como informamos anteriormente, Fachin acordou invocado — e quando um homem resoluto acorda invocado ele pode corrigir até o Big Bang. Aí as plantinhas podem ir devolvendo aquela fotossíntese toda porque a luz veio do sol errado. Sem choro: contrata um advogado amigo do STF e vai procurar o seu sol.

A bolsa despencou porque não entendeu a beleza do ato de Fachin. Com uma canetada, ele acabou com a insegurança jurídica no país, desfazendo uma torrente de dúvidas que paralisavam os brasileiros. Para início de conversa, ninguém conseguia entender por que o sítio do Lula que não era do Lula tinha pedalinhos personalizados com o nome do ladrão mais honesto do Brasil. Ou por que o caseiro do sítio se comunicava com o Instituto Lula para informar a situação dos pintinhos que não eram dele. Todo mundo sabe que Lula assaltou a Petrobras sem deixar de ser um homem bom. Mas usar o dinheiro roubado para cuidar do pintinho dos outros já é bondade demais.

Fachin resolveu essas angústias. Nada disso aconteceu. Foi uma ilusão de ótica decorrente da vara errada, do tribunal errado, da galáxia errada. A condenação de Lula foi coisa do outro mundo. Neste aqui sempre esteve tudo bem. Como diria a quadrilha do PT: o petróleo é nosso e o pixuleco também. O resto é choro de perdedor. Otário é você que não soube fazer as amizades certas. O Fachin soube — e agora está fazendo história. O Brasil odeia quem dá certo.

A angústia passou. Aquela incerteza incômoda sobre se iria ou não ser instalado um elevador privativo no tríplex do Guarujá acabou. Foram anos de sofrimento dos brasileiros, pensando que isso era assunto deles. Agora está esclarecido, para alívio geral: isso era assunto particular do Lula com os empreiteiros que o ajudaram a assaltar a Petrobras, e ninguém tinha nada com isso. Finalmente as coisas estão sendo colocadas nos seus devidos lugares.

O astral está tão bom que já é hora de a imprensa amiga plantar uma notinha dizendo que Lula vai processar o Brasil por danos morais. Seria mais do que justo. Passar anos sendo alvo da desconfiança de milhões de pessoas? E não tendo feito absolutamente nada além de se locupletar e enriquecer seus familiares, amigos, correligionários e cúmplices com o produto do roubo progressista e democrático? Que país é este?

Exija reparação, Lula! E não só você. Também o Bumlai, o Vaccari, o Dirceu, o Delúbio, o Cerveró, o Paulinho do Lula, o Duque, o Silvinho, o Valério, o Valdomiro, a Rose, a Erenice, enfim, o bando todo. O Fachin certamente vai se sensibilizar com a perseguição raivosa sofrida por vocês. E andem logo, porque, se isso aqui não tiver virado um bordel, daqui a pouco a polícia estará voltando a conversar com vocês sobre as suas obras completas. Nem 200 milhões de Fachins poderão apagá-las.

Leia também a reportagem de capa desta edição, “Farra na republiqueta”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

49 comentários Ver comentários

  1. Um de cada vez! O abaixo assinado do cabeça de ovo já tem 1,5 milhão de assinaturas. O do Fachin deve chegar a 3 milhões em tempo recorde. Vamos ver o que corre nas veias desses senadores: dinheiro ou dignidade!

  2. A resposta toma corpo nas ruas e praças de todo o Brasil, pois foi maravilhoso e até surpreendente a quantidade de cidadãos que se juntaram às manifestações.
    Aquí em BH, infelizmente uma parte do pessoal acampou, e está lá até agora neste 15/03, faltando 15 dias para as comemorações do 31/03, dia da REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA DE 1.964.
    Infelizmente porque a nossa prestação de contas é com o Congresso Nacional que nos trai criminosamente, sorrateiramente, boicotando as nossas pautas mais urgentes, e então deveríamos nos reunir na Praça da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, do Poder Legislativo em direto recado aos Senadores, de que A BATATA ESTÁ ASSANDO.
    Nós Mineiros escolhemos Rodrigo Pacheco como Senador da República, agora cmte “in chefe” do Congresso Nacional, e esperamos agilidade em nossas questões mais urgentes:
    PEC DA BENGALA, como forma de sanear um pouco esse STF soltador de marginais, traficantes, políticos corruptos, e gente da pior espécie!!! passando às gerações de brasileiros a total sensação de impunidade.
    PEC DA PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA, para que marginais como luladasilva#omaiorbandidodarepública, não sejam “canonizados” sob os nossos olhos!!!
    VOTO IMPRESSO EM URNA ELETRÔNICA. Em razão da confiança 0 (ZERO) no STF, não poderemos chegar nas eleições do ano que vem sem um BKP do nosso voto.
    Precisamos de urgentes respostas, antes que se instale o caos social agravado pela pandemia.
    Não podemos tergiversar a fatos gravíssimos que vêm ocorrendo. Contudo, devemos “mirar” fundamentalmente ao que pode mudar os absurdos que aí estão. A sociedade brasileira está cansada, esgotada, triste por ter uma imprensa cooptada pelo establishment que ludibriou este País pós revolução comunista de 1.988. Basta!!! Se não querem aceitar a derrota, imporemos em 22 a maior vitória que um conservador de direita possa impor a essa marginalidade.

  3. Esse pessoal do STF não causa náuseas, causa vómitos mesmo! E é pessoal mesmo, “pessoalzinho”, “pessoinhas escrotas” que não merecem respeito algum, pois não se fazem por respeitar!

  4. Fiuza mas o que fazer? quem tem o poder de reverter esta afronta? Cara estou de saco cheio de tanta impunidade, quando é que o jogo vira? Ou é o artigo 142 em prática ou o povo com arma na mão pra defender o pão de cada dia. Diz aí??

  5. Brilhante como sempre, mestre Fiúza. Se o pleno do STF confirmar esta decisão monocrática, poderemos até mudar o slogan: “Brasil, ame-o ou deixe-o” para “Brasil, se conforme ou deixe-o prá lá”

  6. Começo a desconfiar do que está escrito na constituição, de que “todo poder emana do povo”. O poder que vejo ser emanado sai das canetas dos ministros do STF, e contra suas decisões, geralmente, não há o que fazer. Por mais absurda que seja a decisão, eles recebem de bate-pronto a blindagem da velha imprensa, militante e partidária. Quando o povo sai às ruas para demonstrar seu descontentamento, logo é rotulado de antidemocrático, radical e outras bobagens ditas por quem não tem o menor interesse em ver o Brasil mudar para melhor. Os representantes do povo, deputados e senadores, em sua maioria se calam. O senado, de forma específica, que é a Casa que poderia exercer o controle contra decisões arbitrárias de magistrados do supremo, fica inerte. A Câmara, ao ver um colega deputado ser preso por expressar opinião, referenda uma prisão absurda e ilegal. É, amigos, precisamos urgentemente mudar esse cenário. A eleição do presidente é importante, mas enquanto não tivermos deputados e senadores suficientes para formar uma base grande e sólida no Legislativo, ficaremos à mercê do radicalismo judicial de ministros do STF, que avança a passos largos de destruir a nossa democracia.

  7. Brilhante, Fiuza.
    A escrita leve e irônica deixa a desgraça toda mais palatável, mas tudo isso seria cômico se não fosse trágico.
    Parabéns !

  8. Se os advogados do condenado Lula (no momento ex-condenado) tem certeza de sua iinocência, penso q o recurso correto a ser manejado seria uma REVISÂO CRIMINAL e não Embargo de declaração c alegações faturas invocando “foro incompetente”. Por terem “provas novas” q ensejassem uma REVISAO , só restam esses malabarismos e pq tinham a garantia q o Fachin aceitaria o Embargo até só fosse escrito num papel higiênico. Será q ele esqueceu q MORO era o ‘juiz Prevento’ nós processos em curso?

  9. Só falta o Fachin sair ás ruas , incorporado daqueles antigos policiais de bairros procurando eleitor contrário ao Lula e ao PT , e exigindo : “circulando, circulando, desfaçam o bolinho Se não eu prendo por esobediencia e desacata a autoridade”.

  10. Manejam-se embargos em decisões que contenham omissões, obscuridades ou contradições. Raramente ensejam efeitos modificativos nos julgados. Mas na mão dos canalhas do stf é mais um recurso da cartilha chicaneira. Vagabundos.

  11. Meu caro jornalista e escritor Guilherme Fiuza,
    Sarcástico e hilário o seu texto, mas corremos o risco de ser levado a sério pelo petralhas que poderão dar outra conotação e não duvido que alguns deles citem seu artigo como defesa do ministro. Seria cômico se não fosse triste!

  12. Kkkkkkkkkkkkkkkk….., Quando o bagulho passa dos limites… só com IRONIA é possível analizar..!

    Valeu Fiúza…..! Nossa sorte é que a mãe natureza criou uma grande arapuca para a mentira…, que é a VERDADE…. que são os FATOS…! Se não fosse essa bondade da natureza, não poderíamos estar aqui nos divertindo com as brilhantes ironias do “Mestre Fiúza…..!

    1. O tico-tico lá o tico-tico cá o tico-tico tá comendo o meu fubá.
      Vejam só a letra de uma singela canção de uma artista luso brasileira que fez tremendo sucesso no passado e que persiste ainda no inconsciente coletivo.

  13. Fiuza, você resume bem o que todos nós gostaríamos de dizer, mas, dada a grave pandemia, não temos o mais importante veículo nacional, que são aquelas pacíficas, ordeiras, aos domingos, familiares e gigantescas manifestações verde amarelas pelo impeachment e combate a corrupção, em todo o pais.
    Será que Fachin teria o mesmo procedimento?
    Agora, Fachin é aquele que homologou a mais estranha delação PREMIADISSIMA da JBS que liberou os criminosos da JBS para sair do pais levando família e pertences, sem sequer ter auditado a forjada gravação contra Temer, que posteriormente a PF levou 30 dias analisando.
    Assistimos durante meses o quarteto Janot/Joesley/Fachin e Globo querendo parecer combatentes da corrupção. Diariamente a Globo mostrava segmentos da gravação e o cara saindo correndo da pizzaria com aquela pasta com R$ 500 mil que seriam pagos semanalmente à Temer durante 25 anos ou seja com mais de 100 anos de idade. Cabe perguntar a Globo como comprovar tamanha façanha?
    Fachin admirador da Dilma, não conseguiu seu intento até porque o tal PGR JANOT envergonhado ou arrependido pediu a anulação, mas conseguiu impedir a aprovação da reforma da previdência em Maio/17 no governo Temer.
    Curiosamente, o notável Barroso defendeu ardorosamente no plenário do STF essa forjada delação que envolveu até procuradores atuando com o criminoso delator.
    Essa dupla até recentemente era admirada como severos combatentes da corrupção em seus julgamentos, mas não esqueçamos que Barroso com o dissimulado Fachin, inovaram o regimento interno do Congresso para dificultar o impeachment da Dilma, impondo também ao Senado Federal a autorização para abertura do processo, que até então bastava a Câmara Federal fazê-lo.
    Creio que Fiuza saberá destrinchar tudo isso em futuros artigos.

      1. O texto reflete a indignação de todos os brasileiros de bem.

  14. Só na base da ironia mesmo para não pirarmos com esses absurdos do STF. Só fico pensando se eles têm capacidade de entendimento dessa ironia. Acho que não. Todo bom idiota perde primeiro a capacidade de rir de si mesmo! Obrigado Fiuza por nos trazer um pouco de alento no meio de uma mídia totalmente idiotizada, com raras e importantes exceções!

      1. Fiuza está para a imprensa marrom d’agora assim como o Pasquim esteve para o jornalismo jabaculado d’antanho. Longa vida, mestre Guilherme !

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.