-Publicidade-
Edição de arte Oeste | Foto: Shutterstock

Um Supremo que virou partido

O STF atua segundo a linha ideológica do PT, de seus satélites no Congresso e de tudo aquilo que se identifica com a chamada 'esquerda'

Uma das ficções mais prodigiosas da política brasileira de hoje, e que está presente em cada gesto, palavra ou pensamento da mídia, das classes intelectuais e de quem mais acredita que há “instituições democráticas” de verdade em funcionamento no Brasil atual, sustenta o seguinte: o Supremo Tribunal Federal é a entidade que cuida da prestação de justiça no país, garante que a Constituição Federal e as leis sejam cumpridas e faz disso aqui uma nação civilizada, diferente das ditaduras, países governados por gângsteres e repúblicas bananeiras que existem por este mundo afora. É bonito. Ao mesmo tempo, é tão falso como um relógio suíço fabricado em Pedro Juan Caballero.

O STF, de acordo com essa miragem, é uma força imparcial; pode agradar a uns e desagradar a outros, como acontece com os verdadeiros tribunais de Justiça do planeta, mas não tem lado. Pode errar neste ou naquele caso, como é próprio das organizações humanas, mas também pode acertar. Toma decisões que são disparates integrais, é verdade, mas cada disparate é independente do outro; não têm nada em comum entre si, não vão sempre na mesma direção e não chegam a formar uma tendência. Seus juízes, segundo o credo vigente em nossa elite, não têm nenhum interesse político, ideológico ou pessoal nas sentenças que assinam; jamais, aliás, dão qualquer opinião política. Não interferem em nada que seja atribuição óbvia dos outros dois poderes, Legislativo e Executivo. Não mantêm relações de amizade com advogados, empresários ou políticos — nem acham que possa haver alguma coisa de errado quando julgam causas patrocinadas por escritórios de advocacia nos quais trabalham pessoas de sua família. Não conversam com jornalistas, não dão entrevistas e não mantêm assessorias de imprensa. Em suma: parecem, por fora e pelo jeito da toga, com os magistrados supremos dos países que deram certo no resto do mundo.

Nenhuma das afirmações feitas ao longo do parágrafo anterior tem a mais remota relação com a realidade. De todas essas fantasias, porém, nenhuma chega perto, em matéria de credulidade em estágio terminal, de algo que é dado como verdade científica pelo Brasil considerado “bem-pensante”. Segundo esse teorema, é impossível que os onze ministros do STF atual, algum dia ou em algum caso, tomem qualquer decisão em obediência ou por fidelidade à orientação do presidente da República que lhes deu o cargo. Isso não, indignam-se os vigilantes das instituições — digam o que quiserem, mas, na hora de dar um despacho, ninguém no Supremo sequer se lembra de quem o indicou para a função. Estamos, aí, diante da imaginação em estado puro. Acreditar nisso é o equivalente a dizer que os cinco evangelistas eram três — Esaó e Jacu.

No caso, os ministros do STF que temos no momento formam um partido político de “A” a “Z” — partido que até tem as suas alas, rivalidades e facções internas, mas é partido, sim, na cabeça, corpo e membros. É muito simples. O STF, na vida real, é um grupo de pessoas que agem na mesma direção de forma intencional, clara e constante. Têm os mesmos objetivos gerais. Dividem os mesmos interesses. É assim que se comporta um partido — e é assim que se comporta o Supremo. No caso do STF atual, a atividade em comum é a linha ideológica, política e partidária que se vê no PT, nos seus satélites no Congresso e em tudo aquilo que, de forma geral, se identifica com a chamada “esquerda”. O tribunal, em suas sentenças, atende de forma quase automática a tudo o que lhe pedem o Psol, as “organizações sociais” e o universo contido no “campo progressista”. Decide, também de maneira praticamente sistemática, contra o governo. Anula leis e outras decisões do Poder Legislativo quando a esquerda, derrotada no plenário e no resto da ação parlamentar, pede que suas derrotas sejam convertidas em vitórias; diz quem ganha o jogo num campeonato disputado o tempo todo no tapetão. Prende um deputado e um jornalista, militantes de direita, por terem dito e escrito coisas que desagradaram os ministros. Conduz há quase dois anos um inquérito inteiramente ilegal contra adversários políticos. Tem um candidato à Presidência da República nas eleições de 2022 — o ex-presidente Lula. Falta alguma coisa?

O STF transformou-se numa vara penal para absolver acusados de ladroagem

Dos onze ministros atuais do STF, sete foram indicados por Lula e Dilma Rousseff: Ricardo Lewandowski, Antonio Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Rosa Weber, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso e Luiz Fux. A ficção, em seu modo mais extremado, pede que você acredite no seguinte: o fato de três deles terem sido colocados nos seus cargos por Lula e outros quatro por Dilma não tem nada a ver com nada. Sim, estão lá por causa deles, mas na hora de darem uma liminar esquecem quem os nomeou e decidem puramente de acordo “com os autos”, segundo manda a lei. Chegam, até mesmo, ao extremo de se convencer — e convencer uma multidão de advogados criminais, professores de ciência política e jornalistas — que estão lá pelos próprios méritos como juristas. A militância política e partidária de cada um deles pode ser vista em público, por meio de suas decisões. De qualquer forma, seu histórico é o que é. Lewandowski é ligado a Lula desde os tempos de São Bernardo. Toffoli foi advogado privado do PT e advogado-geral da União durante seu governo. Fachin foi advogado do MST e trabalhou na campanha eleitoral de Dilma; ainda há pouco, disse que a última eleição presidencial teria sido mais justa se Lula, que na ocasião estava na cadeia, estivesse entre os candidatos. Luís Roberto Barroso foi advogado do terrorista italiano Cesare Battisti, herói do PT e da esquerda brasileiro-europeia. Enfim: um dos quatro que não foram nomeados por Lula-Dilma é, justamente, o ministro Gilmar Mendes — o construtor número 1 da destruição da Lava Jato e autor principal da candidatura Lula. Dizer mais o que, depois disso?

O STF anula as quatro ações penais que Lula tinha nas costas, inclusive a que o condenou em terceira e última instância pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro — condenação assinada por nove juízes diferentes, um depois do outro. Declara legalmente “suspeito” o magistrado que comandou a maior operação anticorrupção da história do Brasil. Transformou-se numa vara penal para absolver acusados de ladroagem e para perseguir “a direita”. Proíbe a construção de uma estrada de ferro entre Mato Grosso e Pará. Dá ordens para que o Exército, ou ministros de Estado, ou o presidente da República, “se expliquem” em tantos dias e horas — chega até a ameaçar de prisão, só para ameaçar, os que são convocados para dar as explicações. Impede que entre em vigor uma lei aprovada legitimamente pelo Congresso que estabelece o voto impresso e auditável nas eleições de 2022. Manda o governo federal entregar vacinas que não fabrica nem controla. Em seu último surto, suspendeu todas as operações de reintegração de posse, legalmente decididas na Justiça, enquanto durar “a pandemia” — negando com isso a aplicação da lei em sua manifestação mais elementar. Nem Lula e Dilma, que foram eleitos para os seus cargos, conseguiram sequer uma parcela de tudo o que o STF tem imposto ao Brasil.

A sociedade brasileira tem uma extraordinária capacidade de dizer mentiras para si mesma. Está fazendo isso, mais uma vez, ao considerar que o STF é um tribunal de Justiça.

Leia também “A mágica e os milhões dos grandes escritórios de advocacia”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

66 comments

  1. Se vocês já leram qualquer sobre cartéis de drogas e suas influências sobre o estado e política, não se assustem ao encontrarem semelhanças em relação a nossa suprema corte de justiça.Vao sempre em direção ao dinheiro e a seus interesses pessoais.Nao existe saber jurídico algum e votam sempre de acordo com suas vantagens do momento.Ganham muito bem e nós pagamos seus salários,ponto final.

      1. Esses ministros são na essência IMPOSICIONISTAS e não Juristas.

      2. Mais uma vez, brilhante na apresentação dos desmandos do STF. Entretanto, essa Corte continuará agindo da mesma forma, enquanto as demais instituições do Estado brasileiro continuarem submissas ao STF. Assim, já não adianta mais criticar o STF pelo seu comportamento político, ideológico e imoral. Chegou a hora de cobrar uma atitude firme e corajosa das demais instituições, inclusive militares.

    1. Tereza, já notamos que notável saber jurídico e ilibada reputação é duvidável em nossos notáveis, todavia entendo que sabendo ler e interpretar a língua portuguesa utilizada na CONSTITUIÇÃO FEDERAL, melhor seria termos na Corte Suprema brasileiros com notável saber econômico, administrativo e estrutural do pais e ilibada seriedade. Tudo poderia ser constatado por curriculum profissional para ser indicado pelo Presidente, e rigorosamente sabatinado pelo Senado Federal na INTERPRETAÇÃO do texto Constitucional especialmente como interpreta o art. 142. Essas interpretações passarão a ser obrigatórias no exercício do seu mandato e caso descumpra sofrerá automaticamente processo de impeachment.
      Não é mais possível ter nessa Corte, cidadãos que se sintam superiores aos demais, e que sequer sabem o que é orçamento, déficit fiscal, balanço patrimonial e raciocínio lógico para estabelecer prioridades e urgências da sociedade como saneamento básico, educação, saúde, transportes, etc.
      Basta lembrar que a ministra Carmem Lúcia decidiu ser CONSTITUCIONAL, REDUÇÃO da jornada de trabalho, sem REDUÇÃO do salários dos servidores públicos.
      Então alguém consegue entender para que reduzir jornada de trabalho?

    2. Faltou mencionar o tal Foro Privilegiado mofando nas prateleiras da Câmara desde o ano passado, o que é conveniente para muitos congressistas porque dispõem de juizes para chamar de seus. Isso os coloca “na mão” do STF e o protagonismo que advém é mera consequência

    3. Lá no comecinho de 2020 eu postei no meu Face que já vivíamos debaixo duma ditadura comunista via STF. Naquele mesmo período Caio Copola postava seu vídeo lamentando as decisões do Supremo mas afirmando que ainda éramos um democracia. Foi o bastante para me confirmar o que eu sempre achei dele, Caio, um ingênuo, um tolinho, de quem os conservadores (eu sou) tentam tirar alguma coisa concretamente útil.

  2. Algo mais a acrescentar? Há, sim, claro, claro, claro! E todo o Brasil sabe, todo o Brasil vê: de tão extenso, o ‘rosário’ que o Guzzo magistralmente resume acima aproxima-se do infindável. Os fatos são notórios! A realidade está aí! Só não vê quem não quer: por interesses inconfessáveis indefensáveis; ou por já se achar tomado em contágio ideológico terminal. A questão é: como/quando reverter tamanho estado de degradação? Mesmo amedrontada ante a pandemia, a população parece cada vez mais disposta a arriscar-se às ruas para demonstrar indignação: vide as manifestações do último sábado, 01. Parece a única saída.

    1. A atual composição do STF enoja, dá ânsia de vômito. Juízes militantes partidários que se incomodam com um presidente que supõem truculento, não afeito às liturgias do cargo. Falam diuturnamente em ataque a democracia e suas instituições num joguete de palavras jurídicas para verem se enganam. E o pior é que encontram ressonância em políticos com rabo preso e na imprensa anti-bolsonaro.

  3. Uma coisa que pouca gente tem coragem de dizer é que, além de tudo isso que o Guzzo aponta, os ministros do STF são tão ou mais corruptos que os corruptos que eles não se cansam de inocentar. E mesmo que se consiga provar com vídeos e áudios e testemunhas que eles vendem seus votos por dinheiro, muito dinheiro (dólares e bitcoins, provavelmente) de que adiantaria? Os onze iriam anular todas as provas e ainda condenar o acusador, como tem feito com os componentes da Lava-Jato. Ou alguém acredita que o Gilmar Mendes se transformou em ferrenho defensor da inocência do Lula por seus lindos olhos vermelhos de cachaça? No fundo, infelizmente, a maioria dos eleitores brasileiros é corrupta, por opção ou por interesse, e elege políticos corruptos, que nomeiam juizes corruptos e vai continuar assim.

  4. Bastaria termos um Congresso Nacional integrado por políticos decentes e toda esta atuação política dos supostos juízes do supremo (com s minúsculo mesmo, do tamanho da envergadura deles) cairia por terra. Mas esperar algo da classe política eleita pelo povo que faz questão a cada eleição de dar mandato aos semianalfabetos releeitos de sempre, é muita ilusão. Triste nação que tem uma suprema corte desta, que nos enoja e enodoa a imagem do poder judiciário.

  5. Mestre Guzzo, este artigo é retrato fiel da ditadura do judiciário, instruída por inúteis parlamentares Randolfes, que tudo fazem para detonar Bolsonaro, não se importando que estão destruindo o pais. Já insisti em vários comentários que se não tivermos o VOTO IMPRESSO, tão temido pelo STF, ai sim, haverá graves conflitos sociais. Não serão confiáveis as urnas eletrônicas em 2022, e o VOTO IMPRESSO impedirá a mão boba de malfeitores e evitará argumentos de fraudes por perdedores.
    Guzzo, o bom jornalismo deveria contribuir com o governo nessa CPI ELEITORAL DO SENADO, levando a senadores sérios, matéria que compare a letalidade por COVID, nas internações hospitalares de hospitais privados e públicos. Assisti entrevista recente na BandNews com o dir. geral do hosp. Sírio Libanês dr. Paulo Chap Chap, que para tratar dos mais de 3500 pacientes internados, aumentou mais de 100 leitos, contratou e treinou mais de 700 profissionais de saúde e obteve a baixa letalidade de 4% para o total e 12% para os casos graves em UTI dos internados. É um dado importante que entendo se aproxima nas demais instituições privadas incluindo PREVENT tão desprezada pelo MANDETTA, e portanto muito útil ser comparada a média letalidade nas instituções públicas que receberam aportes financeiros do governo federal para tratamento da COVID. Vale lembrar que São Paulo tem altos índices de letalidade mesmo sendo o centro de referência médica e hospitalar do País. Ai sim, identificaremos os genocidas do pais que destruíram o sistema de saúde pública.

  6. Meu Deus!!! A atividade partidária do STF é impossível de ser escondida É que o escândalo de participação de advogadas, mulheres de ministros dando lhes mesadas é tão obscena que até eles acreditam no que dizem para esconder o crime q só não é punido porque os senadores tb são criminosos.

    1. Sim , Sr. Guzzo e tudo isto com mais de 2.000 funcionários , gente só prá arrumar a cadeira e colocar a toga , fora a lagosta e vinhos com mais de 3 prêmios internacionais , até quando?!

  7. ESTE PRIMOROSO TEXTO, do Jornalista J. R. Guzzo, EXIBE a realidade brasileira como se fosse uma FOTO ESPECIAL (de tecnologia ET) TRIDIMENSIONAL que merece uma conversão em BRILE ( ULTRA TÁCTIL), para que até os deficientes visuais possam “enxergar” a GRAVIDADE e a iminência do PERIGO DE EXTINÇÃO da HUMANIDADE INTELIGENTE, que nos espreita a poucos passos. URGE UMA REAÇÃO DECISIVA E PROPORCIONAL. Cabendo enfatizar que se TRATA DE UM “MOVIMENTO MUNDIAL” orquestrado por SOCIOPATAS PROFISSIONAIS que fariam HITLER parecer angelical ficção onírica – uma ESCÓRIA liderada por EUGENISTAS (Bill Gates à frente) que pretendem converter o Planeta num Resort privativo com, NO MÁXIMO UM BILHÃO DE HABITANTES (o que implica no “expurgo” de 85% dos viventes, hoje). Isto não é ilação, até bem pouco tempo havia vídeos no You Tube com palestras e entrevistas dessa caterva (camuflados como preservacionistas e ecologistas) em que os planos são colocados fria e calculadamente, como se TODOS NÓS FOSSEMOS MEROS SEMOVENTES, numa fazenda em que o proprietário decidiu reduzir a pecuária e expandir o plantio.

    A partir desta magnÍfica “FOTO” do Guzzo, fica impossível a alguém FINGIR QUE O BRASIL NÃO ESTÁ SENDO EMPURRADO PARA O ABISMO POR um deplorável e (teoricamente) IMPENSÁVEL TRIO de sádicos, psicopatas e/ou megalo-clepto-maníacos, ESQUERDISTA, narcisistas esquizóides, liderados por um grupo delirante de ADVOGADOS DE-PORTA-DE-XADREZ, malintencionadamente recrutados e infiltrados no STF.

  8. OU CONSOLIDAMOS E OBRIGAMOS A IMPLANTAÇÃO DO VOTO IMPRESSO AUDITÁVEL JÁ – PARA APLICAÇÃO NA PRÓXIMA ELEIÇÃO DE 2022 – OU VEREMOS UM “REPETECO” DA FRAUDE AMERICANA QUE EMPURROU A AMERICA PARA A LATA DO LIXO DO MUNDO. Nunca é demais lembrar que a estrutura institucional Americana é muito mais madura que a nossa e as Leis – por lá – sempre foram muito respeitadas. Até isso, foi usado contra eles, vez que as legislações ELEITORAIS estaduais INDEPENDENTES, foi inteligente e maliciosamente manipuladas ao ponto de neutralizar qualquer ação judicial da Suprema Corte Americana. Vê-se o quanto essa CORJA NEFASTA é bem preparada e dotada de profissionalismo altamente desenvolvido. MUITO POUCO ESTÁ SENDO FEITO para impedí-los de alcançar o OBJETIVO FINAL DE DOMINAR O MUNDO INTEIRO, porque a imensa maioria ESTÁ EM SONO PROFUNDO e, além disso, por se tratar de um PROJETO GIGANTESCAMENTE AMBICIOSO, quase todo o mundo PREFERE ACHAR QUE TUDO NÃO PASSA DE TEORIAS CONSPIRATÓRIAS. Oxalá seja esse o caso.

    1. Ney, você resumiu muito bem o que queria colocar aqui…Esse é o projeto mais importante que deve ser aprovado esse ano (até setembro/outubro, ou não valerá para as próximas eleições). Arvoro-me a dizer que é mais importante até que as reformas tributárias e administrativa. A lisura das eleições é a coisa mais importante que temos que preservar. Já não basta esse sistema eleitoral perverso, em que um eleitor de Roraima vale 7 vezes mais que um paulista na hora de eleger um deputado federal e que só cerca de 30 dos deputados federais dos 513 foram eleitos por méritos próprios. Ainda ter que conviver com fraude!! e ela será gigantesca nas próximas eleições…não só elegerá um corrupto, como sua base eleitoral…eles vão descer até os deputados federais na fraude, não tenham dúvidas

  9. Como sempre o comentário é perspicaz e retrata a realidade do STF, que de uma Corte de Justiça passou a covil de facínoras. Se o ministro Fux tivesse autoridade como tem de topete, enquadrava seus colegas, pois, fazem questão absoluta de ignorar o seu discurso de poss
    e. Convém relembrar que o ministro Fachin, proibiu a Policia Carioca de combater o tráfico de drogas e de armas nas favelas do Rio de Janeiro. Que mais se pode esperar desses “caras”.

  10. Parabéns ao Sr. Guzzo, de cujos artigos sou leitor há muito tempo. Que bom ler textos como este! Faz crer que nem tudo está perdido… Há pouco espaço para a lucidez e o equilíbrio no mundo (infelizmente, não é só no Brasil – se fosse, ainda poderíamos ter esperança de alguma influência intelectual externa que nos favorecesse…). Deus nos ajude, e que esta militância desvairada por causas erradas passe.

  11. Leio o artigo e não acredito como deixamos chegar a este ponto, no fundo do poço. Uma limpeza geral é necessária e levará uma geração com trabalho árduo, muita determinação e inteligência.

  12. A verdade é uma só: uma enorme parcela das pessoas nascidas nesse País, não tem o mínimo sentimento de amor à Pátria; preocupam-se tão somente com suas causas ideológicas e, se possível, com seus próprios bolsos porque ninguém é de ferro.

  13. Agora os ministros do STF estão aterrorizados com a matança dos seus súditos no Jacarezinho afirmando que foi execução. Que eu lembre execução é fuzilamento de adversários políticos ou de racismo puro no peredón sem que as vítimas tivessem uma única faca, desfilados em frente ao pelotão com vendas nos olhos. Então, o STF também é um aparelhamento de destruição de nosso idioma e de nossos dicionários.

  14. se a maioria dos nossos parlamentares não fossem prontuário ambulante já teriam cortado as asas do Supremo Tribunal da Canalhice, mas apelar para quem? para o Papa (também esquerdista de carteirinha) logo, logo, vamos ter que pensar que 2+2 =5

  15. O espírito de rapina, o mau caratismo, o menosprezo pelo povo e pelos tratados mais solenes, a índole bardeneira e a intransigência têm desacreditado o petismo. Cabe ao Supremo reabilitá-lo, forjando uma realidade absurda que impõe a cada magistrado identificar -se com aquelas “virtudes”.

  16. Brilhante texto do Mestre Guzzo, como sempre.
    Disse tudo o que as pessoas de bom senso e equilibradas, no Brasil, pensam sobre a atuação do STF, devendo ser excluídos deste grupo aqueles que têm interesse em manter o “status quo ante”, ou seja, advogados de bandidos do colarinho branco, a maior parte da velha imprensa e, claro, a maioria dos parlamentares.
    O que pensa do STF tenho medo de dizer, porque vivemos em um Estado policialesco, não por parte do Executivo Federal, mas do Judiciário, mais especificamente da Suprema Corte, como demonstrado brilhantemente pelo gênio J.R. Guzzo.
    Parabéns, Mestre, por mais esta joia !

  17. O STF, com essa formação, virou um antro de arbitrariedades, tipo aquelas cortes de países subdesenvolvidos. A palavra ‘democracia’ na boca desses elementos não vale nada. Temos que promover, em 2022, uma mudança drástica no Senado, elegendo o maior número possível de senadores dispostos a enfrentarem o Timão da Toga. Na Câmara dos Deputados não é diferente, precisamos eleger uma base forte. Só assim, começaremos a mudar de fato esse país.

    1. Caro Natan, as forças populares que somam alguns bytes estão aí. Vc, eu tlvz.
      Bases fortes são as militares, neste Brasil que vive, a 30 anos, sob a ditadura da revolução comunista de 1.988.
      A democracia exala do povo, e as ruas, como em 2.013, apressará, “AINDA QUE TARDIA “, a iminente prestação de contas com o congresso Nacional que nos trai criminosamente, acintosamente.
      Rodrigo Pacheco, o crápula, nos traiu como Alcolumbre e seus antecessores:
      PEC DA BENGALA
      PEC DA PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA
      VOTO IMPRESSO EM URNA ELETRÔNICA
      IMPEACHEMENT DE CONTRÁRIOS AA CONSTITUIÇÃO, ainda que a mesma, a cidadã, seja comunista, por gerada por Genuíno, Lula, e nossos algozes de longo tempo.

  18. Sentimento de repugnância e nojo só de ler estes nomes todos. Quanta aberração junta, quanta miséria moral num local só. Ô nojo !!!

  19. Sr. Guzzo: fala um pouquinho sobre a devolução do dinheiro confiscado dos brasileiros pelo Plano Collor, míseros centavos! Quem decidiu sobre quando e quanto devolver?

  20. Calma aí, todos ministros indicados por Lula e Dilma, estão lá por seus próprios méritos. Fachin, por ter feito o serviço sujo no MST; Barroso, por ter feito aquele serviço sujo para Tarso Genro, defendendo o Battisti; Toffoli, por ter feito serviço sujo defendendo as maracutaias do PT; Lewandowski porque a mãe o recomendou para a então chifruda de Lula; Fuxs, por ter beijado os sapatos da primeira dama de um bandido do Rio de Janeiro, ou seja todos tiveram seu momento baixo nível que os alçou voo mais alto cargo da justiça, porque conhecimento jurídicos e reputação ilibada passa longe, nem sabem o que isto significa.

  21. Como a sociedade pode confiar em uma eleição conduzida por Ministros do Supremo militantes políticos sem a necessária isenção?

    Hoje, não existem instrumentos de auditoria independente que permitam ao TSE e à sociedade garantir a integridade dos resultados das eleições brasileiras.

    Qualquer sistema eletrônico controlado por um pequeno grupo de funcionários está sujeito a fraudes.

    Estatísticas comprovam que 70% das quebras de segurança de sistemas de informação tem origem interna às organizações.

    A integridade dos resultados da eleição será 100% garantida quando houver:

    1. A auditoria independente do sistema eletrônico de votação, após a eleição.

    2. O voto registrado em um documento eletrônico legalmente válido com a assinatura digital da ICP-BRASIL, e protegido contra alteração.

    3. Os equipamentos e os programas certificados por laboratórios independentes credenciados pelo INMETRO.

    4. Totalização dos votos distribuída pelos TREs nós Estados e auditada localmente.

  22. O STF foi bastante longe, esticou a corda demais e destruiu valores de nossa Nação com consequências imensamente danosas para a sua população e comprometendo nossa democracia. Portanto, tornou-se urgente uma intervenção radical para virar essa página no menor prazo possível, incluindo a anulação dos atos que rasgaram a nossa Constituição.

  23. A culpa não é deles não, Guzzo, é nossa. Nós é que permitimos tudo isso. Parece história da carochinha, uma banca de menos de uma dúzia de impetrantes ditar e editar o que quiser e bem entender a milhões de cidadãos indignados, mas submissos. Esse pessoal não deve dormir à noite de tanta felicidade. Não dá pra pegar no sono, penso eu.

  24. O livro “Um Estudo Em Vermelho” de Arthur Conan Fotos, que relata o primeiro caso de Sherlock Holmes em parceria com o Dr. Watson, tem uma citação em latim que expressa com minúcias a realidade dos ministros do STF:

    “Populus me sibilat, at mihi plaudo ipse domi simul ac nummos contemplor in arca. (O povo me vaia, mas eu me alegro quando em casa contemplo as moedas na arca)”

  25. Congresso e Executivo devem, em conjunto, acionar o art. 142 da consituição contra o Poder Judiciário, no caso o STF, obiviamente incapaz de continuar a exercer sua atividadades de forma imparcial com sua atual composição. Destituam-se o 11 e imediatamente promulag-se uma lei alterando a forma de escolha desses ministros e limitando-se aum mandato de 12 anos. E todos, TODOS, que almejem uma posição devem, necessariamente, terem atuado como juizes CONCURSADOS (nada desse lixo de 5o. constituciona) e jamais terem tido vinculos com partidos politicos ou entidades sindicais. Obrigado, por nada.

  26. A muito tempo não consideramos o STF um tribunal de justiça.
    Proibir a construção da estrada de ferro entre Mato Grosso e Pará é deixar claro o quanto “joga” contra o país.
    E o nosso maior pesadelo é a real intenção para Impedirem que entre em vigor uma lei aprovada legitimamente pelo Congresso que estabelece o voto impresso e auditável nas eleições de 2022.
    Isto está ficando perigoso,

  27. Parabéns pelo excelente artigo. A soma da politização do STF e o ativismo da velha imprensa conduzirá este País ao caos e ao domínio das organizações criminosas que ceifaram a vida de mais de 60.0000 brasileiros.

  28. Mais uma vez, Guzzo foi preciso , cirúrgico. Só faltou um detalhe: como consertar estas excrecência, uma vez que lá ficarão até completarem 75 anos de idade. A democracia brasileira aguentará ?

  29. Este artigo do mestre J R Guzzo deveria ser matéria de leitura de todo estudante de Direito. Há muito tempo o nosso STF desmoraliza a justiça brasileira – que de justiça só mantém o nome.

  30. Este STF é narcolulopetista. Se o país sobreviver, daqui a alguns anos o STF vai sentir vergonha de sua historia pregressa. Nós já sentimos.

  31. Triste realidade, é um tribunal notadamente enviesado por questões ideológicas e, por que não dizer, financeiras. Um nojo, uma excrescência !!!

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site