Tite e os Jogadores da Seleção Brasileira de Futebol, no jogo entre Brasil e o Equador, disputado em Porto Alegre
Tite e os Jogadores da Seleção Brasileira de Futebol, no jogo entre Brasil e o Equador, disputado em Porto Alegre | Foto: Divulgação Twitter

Manifesto dos jogadores: a emenda saiu pior que o soneto

A maior parte da imprensa esportiva estava esperando do tal texto hashtags como #ForaBolsonaro, #VoltaLula ou #NoTempoDoPTQueEraBom. Quebraram a cara

O tal manifesto prometido pelos jogadores da seleção brasileira ainda na semana passada causou grande expectativa na imprensa esportiva brasileira. Afinal, será que, enfim, os principais atletas do país iriam fazer críticas que fossem de encontro ao que pensa a maioria das redações de esporte no país?

Primeiramente, gostaria de deixar claro que, diferentemente de muitos, acho que os jogadores têm, sim, todo o direito — e não o dever — do mundo de manifestar suas preferências políticas. E seja de qual lado for! Direita, esquerda, centro… Enfim, são cidadãos como todos nós.

Digo isso porque a turma da imprensa esportiva, que tanto cobra engajamento político dos futebolistas mais importantes do nosso país, acaba se revoltando quando os jogadores apoiam aqueles que eles (mídia) detestam. Por exemplo, Raí é constantemente exaltado por suas falas contra o governo federal. E, convenhamos, justamente, já que o “Terror do Morumbi” é mesmo uma pessoa admirável, muito sensata e tem todo o direito de falar. Mas, quando o posicionamento vem de Felipe Melo, o “mundo acaba” e muita gente tenta até calar o “Pitbull” palmeirense. Por que os dois recebem tratamento tão desigual?

Logo, é óbvio que a maior parte da imprensa esportiva estava esperando do tal manifesto hashtags como #ForaBolsonaro, #BolsonaroGenocida, #VoltaLula ou #NoTempoDoPTQueEraBom. Quebraram a cara, já que, percebendo que se falassem realmente o que pensam seriam ainda mais massacrados, os jogadores publicaram um manifesto bem medroso e vasilinístico, com um discurso que não levava a lugar algum e que parece até ter sido escrito por um robô.

Bem feito!

Mas acontece agora que, por causa disso tudo, os jogadores acabaram se queimando por todos os lados. A turma da direita já estava torcendo o nariz para o escrete canarinho por também imaginar que os atletas se posicionariam contra o presidente Jair Bolsonaro. Enquanto o pessoal da esquerda, como eu já disse, ficou frustrado pelo medroso manifesto de terça-feira. E a pergunta agora que não quer calar é: será que alguém ainda torcerá pela seleção brasileira na Copa América que começará no próximo domingo?

No frigir dos ovos, a emenda saiu pior que o soneto.

Copa América no Brasil

Bem, e todo mundo, assim como Mauro “Cabeleira” Beting, está careca de saber o meu posicionamento político. E o mantenho firme mesmo sofrendo constantes ataques de coleguinhas que se dizem “democratas”. Ainda assim, achei extremamente inoportuna a vinda da Copa América para o Brasil.

A realização da Copa América, rejeitada por Colômbia e Argentina, passa um sinal de que aqui se pode fazer de tudo

Sim, objetivamente, a realização do torneio em nosso país não causará grande impacto na nossa luta contra a covid-19. Temos, sim, diversos outros torneios sendo realizados concomitantemente Brasil afora e vale lembrar que as delegações são constantemente testadas. Aliás, os nossos vizinhos deveriam estar muito mais preocupados do que a gente. Afinal, quem corre mais risco de contaminação nesse vai e vem todo?

Mas acontece que penso, sim, que a realização da Copa América, rejeitada por Colômbia e Argentina, passa um sinal de que aqui se pode fazer de tudo, de que virou a “casa da mãe joana”. E passa também, aí não só para a população, mas como para o mundo todo, a sensação de que está “tudo normal” por aqui. Francamente, não está!

A vacinação de nossa população, que anda a passos de tartaruga, deveria ser a prioridade de nossa sociedade como um todo no momento. Só assim conseguiremos voltar à vida normal, como temos visto que já está acontecendo nos Estados Unidos e na Europa, onde boa parte da população já foi imunizada.

A Indy 500, por exemplo, tradicionalíssima corrida realizada no circuito Indianapolis Motor Speedway, já contou no final do mês passado com 135 mil pessoas nas arquibancadas. No mesmo fim de semana, a final da Liga dos Campeões, vencida pelo Chelsea, em Portugal, contou com mais de 14 mil pagantes.

Portanto, há esperança e a luz indica que o fim do túnel não está tão longe assim. Só que, se continuarmos colocando a carroça na frente dos bois, ficará cada dia mais difícil sair desta imensa crise.

Palpite para a Copa América

Bem, e mesmo com tanta gente torcendo contra, creio que o Brasil de Tite tenha tudo para levar mais essa taça. É que, considerando apenas a visão “resultadista” do futebol, o escrete canarinho ainda sobra diante de nossos fraquíssimos vizinhos. Nem mesmo Argentina e Uruguai andam dando trabalho.

Mas, de verdade, o povo espera da seleção muito mais que resultado. O escrete canarinho tem de ser sinônimo de futebol bonito, envolvente e para a frente. E não ser apenas uma equipe que entra em campo para fazer o mínimo possível para sair vitoriosa, como tem acontecido com o time de Tite nos últimos tempos.

Leia também “A Copa América da discórdia”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

59 comentários

  1. Ledo engano do ” passo de tartaruga” da vacinação no Brasil. Se o país não fabrica vacina, se depende (ainda) de outros países, se o mundo todo corre atrás de vacina, exceto os produtores, como, insano, vacinar mais rápido? Sugiro; consiga as vacinas e veja como vacinaremos “mais rápido que imediatamente”.

      1. Vacinar 1.000.000,00. de pessoas por dia. Isto é passo de tartaruga? Competição sem público, com risco zero de contaminação. Qualquer débil mental sabe que se esta competição fosse televisionada pela Globo esta polêmica não existiria.

    1. Bom artigo, Milton. E muito respeito pela sua coragem em defender seus pontos de vista. E sei que é assim há muito tempo. Nos conhecemos em Tel-Aviv na Macabíada de 1985. Conversamos algumas vezes no saguão do Hilton, junto com Osmar Santos e Samuel Ferro. Você se lembra? Grande abraço!

      1. Você não deve estar à vontade tendo de mandar inserções pra sua amiga comunista Carla e o Oinegue.
        Seu patrão chinês não é o dos calçados, que você vendeu tanto!!
        Franca e Nova Serrana te adoram!!!

    1. Perfeito resumo. Texto mto mais “vasilinistico” que o manifesto dos jogadores. E sim, “aqui pode tudo”, como desviar recursos da saúde nos estados e municípios e ser blindado pelo STF e pela CPI. Se pode isso, pode sim ser realizada uma simples competição esportiva.

  2. A realidade Neves, é que nós brasileiros temos uma tendencia tortuosa de sermos VIRA-LATAS. Os EUA com 32% de vacinados liberaram praticamente tudo, mas no Brasil da Coronavac que está matando gente no Chile, no Uruguai e no Brasil não podemos fazer nada.

  3. Parabéns aos atletas que representaram o BRASIL no pan-americano. Parabéns às seleções BRASILEIRAS de vôlei, basquete, handebol, atletismo, ciclismo etc. que apesar de não serem valorizados nesse país, enche essa PÁTRIA de ORGULHO!
    A felicidade não viria de uma vitória de um bando de jogadores mimados, mas sim da recuperação da estima e cultura de um país onde os “iluminados” do STF detêm mais poder que o presidente eleito; onde vale mais a opinião (e “sertezas”) de uma corja de bandidos a favor da “chiência”, do que a busca de soluções por cientistas reconhecidos nacional e mundialmente.
    Não querem jogar, peçam para sair!

  4. Tava demorando para entrar um colunista errado , argumentos fraco e sem estudo. Todos os comentários ótimos , tirando o seu ne Antonio, kkkk

    1. Milton, prazer te ler aqui na Oeste, que é a melhor revista do Brasil desde sua fundação. Seja muito bem vindo! Alguns comentários: acho que no começo era para ser dito ao encontro do pensamento da maioria bovina. Saiu o contrário. Concordo com você em todo o resto, inclusive com a sensação de “casa da mãe joana”, mas discordo que a vacinação esteja lenta. Dados demonstram que somos o quinto país do mundo que mais vacinou. À nossa frente, somente inventores de vacinas em uso. Isso não quer dizer que não devamos cobrar para acelerar mais ainda o ritmo, mas temos que ser realistas com nossos limites e possibilidades. Abraço!

  5. Seja bem-vindo, Milton! Muito bom tê-lo por aqui com suas opiniões inteligentes e independentes. Não ligue pra maioria de bolsonaristas míopes que circulam por aqui. Hoje está difícil de achar um veículo para se informar sobre a realidade do país. Felizmente a Oeste, com Guzzo & cia. conseguem representar a direita verdadeira, autêntica, que sabe distinguir o certo do errado, doa a quem doer.

  6. Milton, não tem nada em ritmo de tartaruga. Somos o 4º país que mais vacina e isso com desafios logísticos inigualáveis. Outra coisa, pode fazer vários campeonatos menos Copa América? Pq??? Sobre o Raí, ele deve ser desses que têm saudade de estocar o vento, saudar a mandioca e roubar a PETROBRAS. Ou então gosta de gente que fala manso, fala bonito e ferra o país.

  7. “Afinal, será que, enfim, os principais atletas do país iriam fazer críticas que fossem de encontro ao que pensa a maioria das redações de esporte no país?”
    Acho que o Miltão quis dizer “ao encontro de”, ou seja, “de acordo com”, e não “de encontro a”, ou seja, “contra”, “em oposição a”.

    1. Texto fraco ! Realmente o Brasil é um país que pode tudo com uma suprema corte descaradamente fazendo militância política e com Renan Calheiros e Omar Aziz (dois canalhas) na direção de uma cpi.Tais conversando besteira Milton Neves . Pede para sair!

  8. Um esquerdista embutido, deve se informar mais, somos o quarto país do mundo que mais vacina, acho que a revista oeste tá começando a ficar igual a Jovem Pan, se entupindo de petralhas.

  9. Impossível que alguém com a extensa carreira como a do M.N. não tenha feito um amigo sequer em Portugal ou Espanha que possa contar a ele como têm sido a vacinação por lá. E como é a dependência dos países em relação à União Europeia nesse assunto. Lamentável que esteja tão mal informado.

  10. Gosto do Mílton Neves, que nunca é politicamente correto e fala o que pensa.
    Discordo só de ele tachar o Brasil de casa da mãe joana por sediar a Copa América; achei bom trazermos a competição para cá, mesmo porque temos uma infinidade de outros torneios e competições em andamento por aqui e ninguém da grande mídia questionou o prosseguimento delas, sendo que coincidentemente todas essas competições são transmitidas pelo Grupo Globo, diferentemente da Copa América.
    Mas aprovei a vinda do Mílton Neves; seja bem-vindo e escreva outras vezes !

  11. Passos de tartaruga na vacinação. O quarto país no mundo em termos de numero de vacinados. Qualquer um pode ter opinião, mas distorcer os fatos faz com que a “torcida” fique evidente.
    Porque o sr. Milton não defende a paralisação de todos os jogos do campeonato brasileiro séries A-B-C, o abandono de todos os times brasileiros da Sul Americana e Libertadores, e logicamente o time do Brasil nas eliminatórias da Copa de 2022 ?
    Porquê não ? Será que ele vai ficar desempregado se isso acontecer ?
    Ou então é só torcida contra o governo mesmo, e a Revista Oeste pode encontrar um outro “analista de futebol” que não se enrole entre os parágrafos de um artigo curto.
    Sugiro que seja entrevistado pelos Pingos nos Is – e vamos ver em quantos minutos ele se contradiz ao vivo. Vai ser muito interessante ele defender sua “posição”.

  12. Você não é o rei da cocada, mas poderá ser o senhor da selva. Aqui no Sul não tem muita audiência, mas faz parte. Numa nota de 1 a 10 o teu comentário pode ganhar um 9. É que, como a CPI, deixa muitas lacunas e omite detalhes técnico-científicos. Um deles, e acho que você sabe, é que a maioria dos torcedores brasileiros está cansado do nosso calendário futebolístico. Faz muito tempo que são requeridas mudanças estruturais na cartolagem, como se deseja no parlamento e no judiciário. Os jogadores milionários nem sabem que existem colegas pobres e que jogam por aí pelo sertão profundo (no caso aqui, no pampa profundo) e são quase escravos. Nos times grandes as viagens com jogos pra lá e pra cá com times que nem se sabe de onde são, 2 ou 3 partidas por semana é um terror. Assim, o que os jogadores famosos deveriam fazer é protestar contra esse calendário de louco. Por que uma Copa do Brasil do tamanho que tem? Quantas competições são realizadas ao mesmo tempo? Quanta lavagem de dinheiro existe nessa jogatina, com combinações várias que participam “empresários”, agentes, jornalistas e um exército de pessoas armados com barganhas, manipulações e comissões gordas por organizarem campeonatos, torneios e contrato com atletas que, às vezes, são idolatrados sem merecer. Seu Milton: vamos pra frente que atrás vem gente. Enquanto isto a manada de elefantes passa e só o cego vê.

  13. Agora no SportTv jogam Bélgica e Rússia em São Petersburgo com público presente. Temos 27 minutos do segundo tempo e a Bélgica vai vencendo por 2 a 0 A propósito do ti ti ti do Tite, a Rússia, segundo dados de agora no site paho.org, a país do Putin vacinou 9,7% dos seus habitantes e por isso pode ter público no estádio. Já o Brasil, com 11,2% de vacinados não pode ter jogos em estádios SEM público, segundo o famoso cienti$ta que atende pelo vulgo de Tite, especialista em Covid 19. Isso tem nome e sobrenome que todos conhecem na terra de Pelé. A coerência de Tite é igual à da Globo e tão honesta quanto o Lula. Ah!, Milton. Segundo o seu xará que narra a partida, segue o jogo…

    1. Milton, avise ao Gabigol que estava embaixo da mesa no cassino clandestino ele já pode sair e jogar futebol. Sem público, segundo a sua ética falsa de meia pataca.

  14. O Presidente Bolsonaro recebeu a Copa América para mostrar seu zelo pelo futebol. Na verdade poucos estão atentos em assustir. O técnico e oa jogadores ainda não entenderam que o país mudou, e que há preocupações mais importates pricipalmente quando a maioria está atenada na política. As manifestações em apoio ao predidente Bolsonaro mostram que essa seleção recheada de medíocres possui pouca importancia.

  15. “Afinal, será que, enfim, os principais atletas do país iriam fazer críticas que fossem de encontro ao que pensa a maioria das redações de esporte no país?” Sua citação!
    É isto mesmo? Vai de encontro? Pelo conteúdo, suponho que sua intenção seria escrever “vai ao encontro”. Se for mesmo “de encontro”, há desencontros na sua análise, ou na minha capacidade de compreensão. É possível….

  16. A Copa América não deveria ser realizada este mês, pois outra emissora está transmitindo a Copa Uefa e a diferença da qualidade do futebol jogado pelas seleções da Europa em relação ao jogado pelas seleções sulamericanas, sem exceção, é quilométrica é de cavalo pra burro. Paciência, de uma seleção comandada pelo amigo do ex-condenado não pode se esperar nada.

  17. Na minha opinião, o sinal passado é justamente o contrário. O Brasil não é os outros países. O Brasil está em muito melhor situação que esses outros.

  18. Você estava indo bem! Contudo não se trata de passar a idéia de que tudo esta indo bem por aqui, mas de deixar de lado essa aberração do politicamente correto norteando tudo. A questão é: que mal há em uma dúzia de jogos a mais, disputados dentro das mesmas regras de milhares de outros que vem acontecendo, sendo ainda um benefício enorme ao psico emocional de milhões de amantes do futebol? Para com isso! esse negócio faz até com que as pessoas digam: “eu penso diferente”em vez de: “eu apoio Bolsonaro”. Eta povo acovardado! (pior que é no mundo todo essa m…..)

  19. Independentemente de quem vença a Copa América, está mais que na hora de oxigenar a Seleção Brasileira. Começando pelo técnico, que não consegue montar um time que jogue pra frente com futebol bonito. Arrisco em sugerir uma “Seleção de Brasileiros”, formada só por jogadores que jogam no Brasil. Certamente honrariam muito mais a camisa canarinho!

  20. Milton, discordo que aceitar a Copa América aqui no Brasil é passar a imagem da “casa da mãe Joana”. Colômbia e Argentina não devem estar em condições de sediar um grande torneio, por isso o convite foi feito ao Brasil. O mundo inteiro sabe que temos a estrutura da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016 em bom estado para atender a mais de um torneio como a Copa América, simultaneamente, ainda que alguns Estados tenham rejeitado o evento. Além da estrutura, os protocolos são impecáveis e as delegações passam por um rigoroso crivo sanitário.
    Bem-vindo ao novo normal!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site