Presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, e o jornalista Heraldo Pereira cantam juntos em casamento | Foto: Reprodução
Presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, e o jornalista Heraldo Pereira cantam juntos em casamento | Foto: Reprodução

A tela e a toga

O poder é deles e eles fazem com isso o que bem entenderem — inclusive atravessar o samba da promiscuidade

Luís Roberto Barroso e Heraldo Pereira subiram ao palco para um duo musical. Luís Roberto Barroso é ministro do Supremo Tribunal Federal e Heraldo Pereira é jornalista da TV Globo.

Vamos começar com uma ressalva. A TV Globo tem um papel importante em mais de meio século de jornalismo, entretenimento e principalmente dramaturgia. Quem tem apreço pela cultura só pode desejar que ela supere diretrizes equivocadas e siga prestando serviços relevantes nessas áreas.

Feita a ressalva, voltemos à pantomima. Ela contém muitos significados. O mais expressivo deles está relacionado à questão da imunização: Barroso e Heraldo mostraram a certeza de estarem imunes ao público, aos cidadãos e às instituições. O poder é deles e eles fazem com isso o que bem entenderem — inclusive atravessar o samba da promiscuidade.

Barroso está sempre bem na tela que Heraldo ocupa. Ou mais que isso: nos últimos dois governos, essa tela dispara diariamente contra o ocupante da cadeira presidencial — e nos últimos dois governos Barroso se dedica com afinco à mesmíssima atividade. Por mais de um ano, essa tela bombardeou sem parar o então presidente da República Michel Temer, baseando-se na delação imprestável do criminoso confesso Joesley Batista — delação que inclusive acabou suspensa.

Barroso virou uma espécie de palestrante antibolsonarista, um onipresente e inveterado personagem de lives colegiais

Esse cerco regido de forma rudimentar pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, cujo ex-braço direito na Procuradoria foi o instrutor de Joesley na manobra, contava com a ação diligente de Luís Roberto Barroso. O ministro do STF fez a sua parte prorrogando indefinida e artificialmente as investigações contra o então presidente da República, sem qualquer inibição diante dos indícios comprometedores que insistiam em não aparecer.

Manter o cerco a Temer era um ato singelo, como subir num palco e cantar. Cada um na sua.

O governo mudou, entrou no palácio outro presidente, mas a tela e a toga mantiveram a mira na mesma direção. Barroso virou uma espécie de palestrante antibolsonarista, um onipresente e inveterado personagem de lives colegiais, cheias de construções filosóficas indigentes sobre aspirações iluministas contra o espectro do fascismo imaginário. Um numerão patético.

Esse numerão patético ficaria relegado à sua condição bastarda se não fosse, fiel e invariavelmente, envernizado na poderosa tela ancorada pelo companheiro Heraldo. Afinação é tudo.

Por outro lado, se coloque no lugar do Barroso. O que você faria se o mais poderoso dos holofotes te buscasse no fundo da sua mediocridade e te transformasse em oráculo? Você subiria num palco e soltaria a voz, certo? Pois é, foi exatamente o que ele fez.

E o mais comovente na cena do supremo caraoquê foi o seguro de vida. Estava lá o Heraldo, o representante da seguradora, rosto e voz da alquimia oracular que ungiu o felizardo Barroso, lado a lado com ele, validando a apólice ao vivo, confiança na veia, rosto colado e sem máscara — porque quem está imune a tudo e a todos não precisa de máscara. Nem para esconder o vexame.

Barroso — logo ele que falou tanto em ameaça totalitária — manda demitir por justa causa não vacinados, se lixando para o fato de que as vacinas não bloqueiam contágio e não têm estudos conclusivos sobre riscos. Ele não precisa de nada disso. Com o holofote do Heraldo, ele pode reescrever a ciência inteira se quiser, entre um refrão e outro. Você está indignado porque não fez as amizades certas.

Subo nesse palco, minha alma cheira a talco, como bumbum de bebê. Quero mil bolsonaros para eternizar o meu humanismo de fachada empoderado pela tela mais vista do continente. Com a minha fala mole o céu é o limite, porque a alquimia eletrônica transforma afetação em erudição e quase ninguém diz. Pelo menos aqui do gabinete não dá pra ouvir. E criar uma conjunção de poder particular fingindo prestar serviços ao público é gostoso demais.

A diferença entre um doutrinador e um farsante está no nível de distração da plateia. Até aqui, tudo bem.

Leia também “O candidato”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

36 comentários Ver comentários

  1. Fiúza, antes de mais nada, meus parabéns, vejo-o diariamente no Pingo nos is. Não só vejo, como admiro e aprendo contigo a raciocinar melhor. Um, o Heraldo Pereira, um jornalista que eu admirava pela seriedade aparente de boa conduta profissional, hoje, decepcionado, vejo que ele extrapolou ao fazer parceria com um paraquedista que caiu onde não tem noção de onde está. Ou o paraquedista ao cair bateu com a cabeça em uma árvore e perdeu completamente a noção ou já nasceu sem noção mesmo. Um sujeito simplesmente ridículo, um farsante profissional, um narcisista que só engana a si mesmo, ou seja, um péssimo farsante que faz parte de um time de péssimos farsantes que envergonham o país.

  2. As matérias do Sr. Guzzo, Fiuza e Augusto Nunes são excelentes. No entanto, vejo que nutrem o que mais importa para os personagens mencionados: VAIDADE. Dinheiro (que todos já têm para várias gerações) + poder = caminho para nutrir a vaidade. Talvez, dar menos espaço, exposição para esta corja. Não são pessoas honradas e a crítica sequer lhes tira o sono. Importante é estar na mídia, especialmente quando ela é qualificada como a Revista Oeste. Mostrem o Brasil descente, o que pode e deve ser valorizado. Deem descarga nesta podridão.

  3. A empáfia de Barroso, com seu discurso melífluo donde muito acima do conteúdo cintila uma vaidade ofuscante, é de dar náuseas. Homem da Ciência – apóstolo de João de Deus; e da Justiça – defensor de Cesare Battisti, de sua lavra, uma obra-prima: a diatribe endereçada a seu colega de toga, Gilmar Mendes. Ali, só verdades em carne viva, reconheçamos.

  4. Essa b1xa l0uc4… saudades dos tempos em que ministo das cortes superiores só se pronunciavam nos autos…
    O l4drã0 de 9 dedos e a anta do cérebro baldio trouxeram essa ralé para o centro do poder e agora não temos como desinfetar nada…

    1. Eu não Fontenelle. Antevejo um final ruim prá esses vaiidosos crápulas, que nunca deixaram de comandar o xadrez da política suja, justamente porque estamos desnudando seus valores, enquanto nós tratam com escárnio.
      O senado federal nunca nos foi útil e por isto salvo raríssimas exceções, é Omã instituição que temos de expurgar mais velozmente.
      Tiramos o executivo do conluio entre osc3 poderes, com apenas 5 anos de atitudes programadas dentro da lei, quando em 2013 combinamos tudo nas ruas e praças de toda a Nação.
      Em 31/03/22, voltaremos às ruas para, em definitivo, tirar também o legislativo da trama sórdida, que já perdura há mais de 30 anos.
      Não chegamos nas próximas eleições sem o avanço de nossas famigeradas pautas anticorrupção. E te asseguro, o nome de Lula não será objeto das urnas eletrônicas.
      Os togados passados, Nelson Jobim, Joaquim Barbosa e quantos queiram lembrar, participavam dos mesmos covis.
      PEC DA BENGALA
      PEC DA PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA
      FIM DO FORO PRIVILEGIADO
      URNAS ELETRÔNICAS COM RESPEITO AO VOTO POPULAR, COM COMPROVANTE EM URNA
      O prazo dado aos senadores está acabando.
      Não temos nada que nos interessa com esse STF; e nem com a globolixo!

  5. Estamos todos enjoados de tanta hipocrisia.
    O limite já foi ultrapassado a muito tempo.
    Meu Deus até quando vamos suportar isso?
    Até virarmos uma China? Ou, será que já não viramos?

  6. A última frase resume tudo: “A diferença entre um doutrinador e um farsante está no nível de distração da plateia. Até aqui, tudo bem.”

  7. É importantíssimo não nos desanimarmos!!! Critério para escolhermos em que vamos votar. Precisamos eleger políticos que não se ajoelhem ao Supremo (ou que “não precisem”). Lutar, dentro da lei e da ordem, para por fim ao tácito conluio onde os políticos sabidamente corruptos não são julgados, deixando os crimes serem alcançados pela prescrição, e, apesar de milhões de assinaturas, nenhum ministro do Egrégio Supremo de Deuses ser submetido a impedimento, fazendo, do Olimpo, o que querem, quando quiserem….

  8. Qualquer um que escreva qualquer bobagem anti-bolsonaro é ungido pela telinha a categoria de intelectual. A esperança é que, dado o naipe dos novos intelequituais, não demore muito para que quem tiver um mínimo de vergonha na cara e auto-estima queira ficar fora desse elenco.

  9. Seu artigo define muito bem essa corja, mas por outro lado mostra o lado negro da luta das pessoas de bem. Os caras têm canais de comunicação, tempo, dinheiro e a ignorância de um povo sofrido como armas para aniquilar o bem. Quando vejo isso me sinto derrotado

  10. Hipócritas ; Tiranos nas suas interpretações jurídicas ou jornalísticas. “Façam o que mando, não façam o que eu faço” ; “eu posso PQ meu sustento tá garantido”. PEC da bengala lá. Única forma de abreviar esses absurdos.

  11. MAIS UM BRINDE À HIPOCRISIA. EXEMPLO LAMENTÁVEL DE UM MINISTRO HIPÓCRITA, CUJA INDICAÇÃO À SUPREMA CORTE NÃO FOI POR MÉRITO, NEM POR NOTÁVEL SABER JURÍDICO E MUITO MENOS POR UMA REPUTAÇÃO ILIBADA. MAS SIM, POR UMA IDENTIFICAÇÃO E CUMPLICIDADE IDEOLÓGICA COM UM PARTIDO CORRUPTO, CUJO MEMBROS PARTIDÁRIOS SÃO, EM SUA MAIORIA, EX- PRESIDIÁRIOS. ESSE MINISTRO NÃO REPRESENTA A NOSSA PÁTRIA, A NOSSA FAMÍLIA, A NOSSA BANDEIRA, A NOSSA LIBERDADE E NOSSOS BONS COSTUMES. ESSE MINISTRO É UM EXEMPLO VIL E ABOMINÁVEL DE TIRANIA E FALTA DE RESPEITO PARA COM O CIDADÃO BRASILEIRO DE BEM, INSULTA NOSSA INTELIGÊNCIA. COMO EXPLICAREI ESSA ATITUDE DO MINISTRO DA SUPREMA CORTE PARA MINHAS FILHAS? COMO EXPLICAREI QUE A JUSTIÇA NÃO É IGUAL PARA TODOS? COMO EXPLICAREI QUE O CRIME, A CORRUPÇÃO, AS MÁS COMPANHIAS E A TIRANIA NÃO COMPENSAM? NOSSO PAÍS CARECE DE BONS EXEMPLOS DE PESSOAS PÚBLICAS. FAÇO VOTOS QUE POSSAMOS SER CIDADÃOS DE BEM E EXEMPLO PARA NOSSOS FILHOS E PARA AS NOVAS GERAÇÕES. QUE DEUS ABENÇOE À TODOS. QUE POSSAMOS SEMPRE PODER EXERCER NOSSA LIBERDADE.

  12. Muito bom Fiuza teus esclarecimentos sobre alguns atos de Barroso mas vale citar outros como aquele que, no exterior comete o ato antidemocrático de denegrir o STF, quando sugeriu: “o momento de descredito do tribunal esta relacionado à percepção da sociedade que os ministros por vezes protegem uma elite corrupta. A sociedade tem percepção de que alguns ministros demonstram mais raiva de promotores e juízes que estão fazendo um bom trabalho do que dos criminosos que saquearam o pais”. E mais, “Bem, o que acho que esta acontecendo é que uma grande parte da sociedade brasileira e da imprensa percebem a Suprema Corte como um obstáculo à luta contra a corrupção no Brasil. Sentem que a Corte por vezes protege a elite corrupta”. E ai alivia, “são fatos e não minha opinião”.
    Algum outro cidadão brasileiro poderia dizer isso do STF?.
    Tem mais Fiuza, você lembra quando Barroso disse aos seus alunos no tribunal “Meu Deus do céu, essa é nossa alternativa de poder”, quando observara foto de lideranças do PMDB comemorando a saída do partido do governo Dilma, demonstrando com clareza a simpatia a Dilma e o ódio ao PMDB. Pois é, mesmo assim não se sentiu suspeito e tampouco afastado pelo STF de relatar o “inquérito dos portos”, clara perseguição ao PMDB e especialmente ao então presidente Temer, prorrogando 4 vezes as investigações da PF sempre exigindo o mesmo delegado de estimação.
    Ficou clara também a defesa ardorosa que fez no plenário do STF da delação premiadíssima da JBS, com todas aquelas regalias oferecidas ao criminoso, simplesmente porque pretendia atingir o presidente Temer durante seu curto mandato. Vale lembrar que a tal delação fajuta e forjada, foi homologada precipitadamente por seu parceiro FACHIN, outro Dilmista, para ser levada com exclusividade à Globo que diariamente mostrava o homem da mala com 500 mil correndo da pizzaria.
    Lamento que Temer depois de tudo isso, esteja tão calado com os procedimentos atuais desse ministro Barroso e do seu indicado Alexandre Moraes na perseguição ao governo Bolsonaro, quando ele como ex presidente é o que mais respeita o trabalho do governo.

  13. Fiuza
    Argumentos sem restrições. Somente,a unica forma de tentarmos algo e votar decentemente.
    O voto será sempre a inica forma de derrubar os vendilhões da classe que pensa nos brasileiros menos favorecidos derrubando Lula e caterva

  14. Fiuza, infelizmente, essa desbundada, de ambos, Barros e Heraldo, se deu em Santa Gertudes (27 mil hab.), pequenina cidade, contígua às fronteiras de Rio Claro (210 mil hab.), distante 180 km de São Paulo, quase formando um núcleo populacional só, como existe em São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas. Feitas essas considerações geográficas, vamos aos fatos. A imprensa local ficou omissa. Não falou nada. Absoluta nada sobre os fatos. No caso o casamento. talvez no próximo final de semana publiquem alguma coisa, maquiada é claro. A festa era de casamento de um advogado, coisa noiva, teria parentes em Rio Claro. Até aqui, tudo bem. Agora, não pense o “karaokeistas” não serão objetos de fiscalização do povo. Sair de um grande centro para uma pequena e anônima – na verdade é o maior polo cerâmico de estado de São Paulo, quiçá do Brasil – cidade do interior, não garante anonimato e impunidade.

  15. A afetação do Barroso, que apesar da afetação, talvez deva ser pai ou marido ou ambos ou nenhum, não me preocupa e nem é de minha conta. Não conheço a vida intima desse homem. Talvez a vida privada do Barroso seja de um bom homem, porque a vida pública e profissional desse cidadão é tão deplorável quanto a de Lula ou de um Marcola. Quando um cidadão acredita e admira um João de Deus, estuprador e pedófilo e um Batisti, terrorista e assassino esse cidadão é um lixo humano não importando se ele é um ministro do STF ou um vagabundo traficante da favela. Só espero que NO STF não tenha cidadãos tão repugnantes quanto esses lixos.

    1. Perfeitas as colocações! No mais resta a vergonha perante as pessoas de bem por termos uma suprema corte com esta envergadura…inexistente!

  16. ESTES ABUTRES DO ESSETEEFI SÃO UMA VERGONHA, SÃO RESTOS MORTAIS DE GOVERNOS FRACASSADOS DEIXADOS PARA NOS LEMBRAR TODOS OS DIAS DAS NOSSAS PÉSSIMAS ESCOLHAS. O PROBLEMA É QUE, EM NOME DA DEMOCRACIA, TEMOS QUE AGUARDAR OUTROS GOVERNANTES SUBSTITUÍREM ESSES ESTORVOS A MEDIDA QUE VÃO ENVELHECENDO E SE APOSENTANDO. MAS COMO DIZIA O OUTRO, “DAS FORMAS DE GOVERNO POSSÍVEIS, A DEMOCRACIA
    É A MENOS PIOR”.

  17. A TURMA DO STF SE SENTE SEGURA. SABEM QUE NADA OS ATINGIRÁ? POR QUAL RAZÃO SERÁ????? PARECE QUE HÁ MAIS MISTÉRIOS ENTRE OS CÉUS E O SUPREMO ALÉM DAQUILO QUE POSSA ALCANÇAR NOSSA VÃ FILOSOFIA….

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.