O risco do coletivismo antiliberal

“O coletivismo de direita está crescendo em todo o mundo, tanto na Europa como nos Estados Unidos — e, na América Latina, como resposta aos fracassos da extrema esquerda. O…
-Publicidade-

“O coletivismo de direita está crescendo em todo o mundo, tanto na Europa como nos Estados Unidos — e, na América Latina, como resposta aos fracassos da extrema esquerda. O que as pessoas não entendem é que o coletivismo de direita é de fato uma ideologia coerente. Não é apenas puramente reativo, não é apenas antiesquerdista. É também, e eu acho muito crucial e crítico, antiliberal. E muitas pessoas não entendem isso. O que acontece normalmente é que você recebe pessoas bem-intencionadas que decidem que não gostam do socialismo de esquerda e estão procurando movimentos em que possam se unir para se opor a eles. E alguns deles podem ter impulsos libertários, ou podem simplesmente querer liberdade. Eles não entendem com o que estão se envolvendo com esses movimentos fascistas de direita que têm uma agenda antiliberal profunda e rica que remonta ao início do século XIX.”

JEFFREY TUCKER

Economista americano, defensor da Escola Austríaca e do libertarianismo, associado do Action Institute e autor do livro Coletivismo de Direita (2017), publicado no Brasil LVM Editora.

-Publicidade-
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.