Google anuncia demissão de 12 mil funcionários

Setor de tecnologia cortou quase 38 mil vagas de trabalho nos últimos meses
-Publicidade-
Demissões representam 6% do quadro de funcionários do Google | Foto: Reprodução/Unsplash
Demissões representam 6% do quadro de funcionários do Google | Foto: Reprodução/Unsplash

A Alphabet, dona do Google e do YouTube, anunciou nesta sexta-feira, 20, um plano global para a demissão de 12 mil funcionários. O número representa uma redução de 6% no quadro de funcionários. É o maior corte na história, segundo informações da agência de notícias France-Presse.

A companhia afirmou que os cortes vão ocorrer em todas as unidades e regiões em que a Alphabet atua, mas algumas áreas, como recrutamento e projetos não essenciais, serão mais afetadas.

“Nos últimos dois anos, vimos um período de crescimento dramático. Para conseguir acompanhar esse movimento, fizemos contratações que não condizem com a realidade econômica atual”, disse o diretor-presidente, Sundar Pichai, em carta aos funcionários.

-Publicidade-

As principais empresas de tecnologia tiveram um crescimento acentuado na pandemia. Agora, as companhias enfrentam a desaceleração da economia mundial.

No início da semana, a Microsoft havia anunciado o corte de 10 mil funcionários. Nos últimos meses, outras grandes empresas, como Amazon e Meta, também demitiram. No total, são quase 38 mil cortes, segundo a plataforma Layoffs.fyi, que monitora as demissões do setor globalmente. Em média, foram 2 mil por dia.

O número é bem superior ao de janeiro de 2022, quando as empresas de tecnologia demitiram 755 colaboradores, ou seja, 25 por dia.

Em conjunto, as big techs perderam quase US$ 5 trilhões em valor de mercado, no ano passado. O montante equivale a quase três vezes o Produto Interno Bruno (PIB) do Brasil em 2021 ou quase seis vezes o capital da Bolsa de Valores brasileira.

Em dezembro de 2021, Apple, Microsoft, Alphabet, Amazon, Tesla, Meta e Netflix valiam aproximadamente US$ 11,3 trilhões. Já em dezembro do ano passado, as companhias somavam pouco mais de US$ de 6,6 trilhões em valor de mercado.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Eles devem ter a mente tão lavada que podem ter concordado com a demissão. O papai deles ajuda, paitrocínio para os adolescentes de até 35 anos.

  2. Será que uma ‘cervejada da preservação de empregos’ reunindo empresários e representantes dos funcionários não resolveria imediatamente o problema?

  3. As ‘bigfarmas’ também estão demitindo? Os grandes investidores costumam diversificar suas aplicações, inclusive nas bigfarmas. Nunca perdem em qualquer cenário, seja de guerra ou paz.

  4. Quais empresas vcs acham que apoiaram com todas as forças o “fique em casa que a economia depois a gente vê”? Sim , eles mesmos, além , é claro, das redes de tvs. Agora vem a conta, mas não para eles, mas sim para os demitidos. E por aqui eu acho é muito bom ,porque esses caras estão servindo á ditadura do judiciário sem sequer questionar. faz o L aí.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.