Índia impõe restrições ao Facebook, Twitter e YouTube

Novas regras exigem que qualquer empresa de mídia social crie três funções no país
-Publicidade-
Facebook, Twitter e YouTube terão de se adequar às regras da Índia
Facebook, Twitter e YouTube terão de se adequar às regras da Índia | Foto: Reprodução/Mídias Sociais

Na quinta-feira 25, a Índia emitiu novas regras ao Facebook, Twitter, YouTube e outras plataformas, semanas depois que o governo indiano tentou pressionar o Twitter a retirar do ar contas que considerava “incendiárias”. As regras exigem que qualquer empresa de mídia social crie três funções na Índia: um “responsável pela conformidade”, que garantirá o cumprimento das leis locais; um “oficial de reclamações”, que tratará das reclamações dos usuários indianos sobre suas plataformas; e uma “pessoa para contato” disponível para as autoridades indianas 24 horas e 7 dias por semana.

As empresas também terão que publicar um relatório todos os meses, detalhando quantas reclamações receberam e que medidas tomaram. As plataformas de mídia social também serão obrigadas a remover alguns tipos de conteúdo, incluindo postagens que apresentam “nudez total ou parcial”, um “ato sexual” ou “falsificação de identidade incluindo imagens modificadas”. As grandes mídias sociais, que a Índia definirá em breve com base no número de usuários, terão três meses para cumprir as mudanças de política, enquanto as menores devem cumprir imediatamente, comunicou o governo.

-Publicidade-

Leia também: “Austrália aprova lei que obriga Facebook e Google a pagar por notícias”

Com informações da CNN Brasil

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. há milhares de anos apareceu o ser humano e sempre se desenvolveu sem essas empresas que se acham “deuses”. quando teremos uma ação dessas, colocando as tais big techs em seu devido lugar, empresas comerciais que dependem das pessoas e países e não são definidoras de modo de vida/costumes/ideologias e qualquer outra coisa que eles pensem

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site