O robô e as peças de teatro

Dagomir Marquezi mostra como os sistemas de inteligência artificial já são capazes de produzir obras de ficção
-Publicidade-
'Computadores estão aprendendo a escrever. Um dia, vão nos ensinar', escreve Dagomir Marquezi
'Computadores estão aprendendo a escrever. Um dia, vão nos ensinar', escreve Dagomir Marquezi | Foto: Shutterstock

Em seu artigo publicado na Edição 82 da Revista Oeste, Dagomir Marquezi mostra como os sistemas de inteligência artificial já são capazes de produzir obras de ficção.

“Pouca gente sabe, mas a palavra ‘robô’ nasceu numa peça de teatro escrita pelo tcheco Karel Capek, com o título RUR. Que significava ‘Os Robôs Universais de Rossumovi’. Na peça, autômatos humanoides são criados para obedecer aos humanos, mas se rebelam e extinguem seus criadores”, escreve Marquezi.

Leia outro trecho

-Publicidade-

“Exatamente um século após a estreia de RUR, um grupo de teatro tcheco homenageou a obra pioneira com um grande passo além: montou a primeira peça escrita por um computador. O projeto foi batizado de TheAItre — um trocadilho misturando ‘teatro’ com a sigla de inteligência artificial. Os produtores deixaram claro que a obra é mais um conjunto de diálogos do que uma narrativa propriamente dita. Mesmo assim, a perspectiva que levanta é de dar vertigem.

O processo consistiu em entregar ao computador (atuando com um sistema de inteligência artificial GPT-2, da empresa OpenAI) um prompt. Uma espécie de gatilho da narrativa. O primeiro prompt dizia: “Olá, sou um robô e é um prazer convidar você a assistir a uma peça escrita por mim”. A partir daí, o programa escreveu mil palavras por conta própria.

Segundo reportagem da revista Science, o programa escreveu a peça inteira de uma vez. Os produtores então quebraram esse texto em oito cenas curtas. Cada cena continha o diálogo entre apenas dois personagens, com pequenas correções técnicas. Mesmo assim, essas intervenções representam apenas 10% da peça. E 90% do script final foi concebido pelo computador.”

Revista Oeste

Além do artigo de Dagomir Marquezi, a Edição 82 da Revista Oeste traz reportagens especiais e textos de J.R. Guzzo, Augusto Nunes, Guilherme Fiuza, Rodrigo Constantino, Ana Paula Henkel, Ubiratan Jorge Iorio, entre outros.

Startup de jornalismo on-line, a Revista Oeste está no ar desde março de 2020. Sem aceitar anúncios de órgãos públicos, o projeto é financiado diretamente por seus assinantes. Para fazer parte da comunidade que apoia a publicação digital que defende a liberdade e o liberalismo econômico, basta clicar aqui, escolher o plano e seguir os passos indicados.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.