“Veleiro espacial” LightSail 2 está navegando há 30 meses

Nave é impulsionada pelos raios do sol e pode possibilitar longas viagens sem necessidade de combustível
-Publicidade-
Concepção artística do LightSail 2 (Divulgação The Planetary Society)
Concepção artística do LightSail 2 (Divulgação The Planetary Society)

A nave LightSail 2 navega desde 2019 usando a luz do sol como propulsora. É um veleiro espacial projetado pela Planetary Society que pode abrir as portas para viagens muito mais longas do que as imaginadas para missões com combustível convencional.

O princípio da navegação espacial a vela não é nenhuma novidade:  foi concebido pelo astrônomo alemão Johannes Kepler no século 17.  Esse princípio parte da descoberta, no início do século 20, que a luz solar age como um “vento” através dos fótons. Tanto que existem tempestades solares que podem provocar sérios problemas nas telecomunicações terrestres. Sem atmosfera para oferecer resistência, o veleiro solar pode mudar de direção e navegar em alta velocidade pelo espaço.

-Publicidade-

Este foi o momento do lançamento do LightSail 2, a bordo de um foguete Falcon Heavy da SpaceX. A foto foi altamente distorcida por causa da lente “olho de peixe” usada no veleiro:

Missão deve durar pelo menos mais um ano

A LightSail 2 em si é minúscula, do tamanho de um pão de forma. Um mês depois de lançada, foram abertas suas velas Mylar ultra-finas, com 32 metros quadrados. A missão custou 7 milhões de dólares. O CEO da Planetary Society, Bill Nye, declarou após o lançamento: ““Essa ideia de que você poderia pilotar uma nave espacial e obter propulsão no espaço com nada além de fótons, é surpreendente. Para mim, é muito romântico que você navegue com raios de sol.”

Este vídeo (em inglês) ilustra os detalhes da missão do LightSail2:

A LightSail 2 atualmente está localizada numa órbita razoavelmente estável de 687 quilômetros acima da superfície da Terra. Mas o Sol está entrando num período de maior atividade em suas emissões, o que poderá provocar uma queda na sua altitude. Mesmo assim, os engenheiros da missão calculam que a nave poderá continuar sua missão por pelo menos mais um ano.

Uma réplica da LightSail 2 desde ontem faz parte do acervo do Museu de Aeronáutica e Espaço do Instituto Smithsonian, em Washington. A partir de fevereiro de 2022, três novas naves movidas a luz solar vão ser lançadas pela NASA:  NEA Scout, Solar Cruiser, e ACS3. O NEA Scout deverá seguir para a Lua e daí para o asteroide Itokawa, testando a habilidade de um “veleiro espacial” navegar para um corpo relativamente pequeno no espaço.

Asteroide Itakawa, visto pela nave japonesa Hayabusa em 2005. (Foto: divulgação JAXA)

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. No Brasil, e principalmente no nordeste, a energia solar seria o caminho para muitas crises! Infelizmente, existe interesses outros.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.