Em cinco anos, Brasil será maior exportador de grãos do mundo

Projeção foi feita pela Embrapa, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, ligada ao Ministério da Agricultura
-Publicidade-
Plantação de soja em Alto Paraíso, Goiás
Plantação de soja em Alto Paraíso, Goiás | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Embrapa projeta que o Brasil deve continuar ampliando sua contribuição para o abastecimento mundial a ponto de se tornar, nos próximos cinco anos, o maior exportador de grãos do planeta, superando os Estados Unidos. Hoje o agronegócio brasileiro é responsável por produzir uma quantidade de alimentos que atende a 800 milhões de pessoas em todo o mundo.

De acordo com a Embrapa, em apenas dez anos a participação do Brasil no mercado mundial de alimentos saltou de US$ 20,6 bilhões para US$ 100 bilhões, tendo como destaque carne, soja, milho, algodão e produtos florestais.

-Publicidade-

Leia mais: “PEC Emergencial é a maior reforma fiscal em 22 anos, afirma Ministério da Economia”

O Brasil é o quarto produtor mundial, mas o segundo exportador de grãos, basicamente de soja e milho. O maior exportador em 2020 foram os Estados Unidos, com 138 milhões de toneladas. O Brasil está em segundo lugar, com 122 milhões de toneladas.

“Até 2050, a produção brasileira de grãos poderá superar os 500 milhões de toneladas, sendo ainda mais importante para a segurança alimentar do mundo”, disse o pesquisador Científico e Gerente de Inteligência da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa, Elisio Contini, à Agência Brasil.

Contini lembra que a contribuição brasileira para a alimentação das pessoas é expressa de forma direta e indireta, uma vez que parte da produção de soja e milho tem como destino a alimentação de gado e, consequentemente, a produção de carnes e leite.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.