Uso das palavras ‘leite e queijo’ está em debate

Indústria quer restrição da nomenclatura apenas para produtos de origem mamífera e não vegetal
-Publicidade-
Foto: Divulgação/CNA
Foto: Divulgação/CNA

O Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul quer providências do governo federal acerca do uso dos termos “leite”, “queijo” e de derivados como “requeijão” e “manteiga” em produtos alimentícios de origem vegetal, a exemplo do leite de soja. Eles pedem que apenas os itens originários de mamíferos tenham o direito a utilização das palavras. A solicitação de mudança foi entregue por meio de um ofício à ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, no domingo 12.

Leia mais: “Azeites brasileiros conquistam premiação internacional”

No documento, o setor defende que enquanto o Brasil não tem uma regulamentação aprovada para itens fabricados à base vegetal, a restrição se faz necessária para evitar confusão por parte dos consumidores. Além disso, protege um trabalho construído ao longo de décadas pelo setor lácteo. “As indústrias de laticínios por nós representadas não aceitam que o termo “leite” seja utilizado por bebidas de origem vegetal, nem que se usem denominações como “queijo vegano”, “manteiga vegetal”, “requeijão vegano” para produtos derivados de quaisquer outras matérias-primas que não seja o leite”, argumentam.

-Publicidade-

Leia também: “Indústria brasileira de aves contesta crítica de ministro francês”

Discussão no Congresso

O uso das nomenclaturas “leite”, “queijo” e derivados também está em avaliação na Câmara dos Deputados. O Projeto de Lei 10556/18 (PL), de autoria da deputada federal Tereza Cristina, atual ministra da Agricultura, foi o primeiro a solicitar restrição das palavras somente para os produtos originários de mamíferos. Desde então, outros seis PLs foram anexados e tramitam de forma conjunta. As propostas ainda aguardam o parecer final das Comissões para avançar e serem analisadas em plenário.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários

  1. Eu sou favorável a esta proposta. Apesar do respeito a quem não consome produtos de origem animal, a gente não pode “desnaturar” a identidade das coisas para agradar a um ou a outro.
    Na área de lácteos nem é tão discrepante. Mas na de produtos cárneos, dia desses eu vi no mercado: Carne Moída Vegetal !?!?!?!?!?!?!?!?!?

  2. PERFEITO. a ‘moda’ de ser saudável, só para aparecer e parecer virtuoso, faz essas loucuras. LEITE de vegetal, CARNE de vegetal e outras baboseiras qualquer
    quer fazer churrasdo de cebola, alface e pimentão? ok. mas ‘churrasco de carne de soja’?
    por que precisam dessas coisas, com nomes errados? para enganar o cérebro? e já vi pessoas apresentando uma ‘carne vegetal perfeita’, que era carne bovina mesmo, eheheh
    faça um lanche de cenoura em pão de hamburguer, simples assim.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro