-Publicidade-

Venda direta de etanol deve ser pautada pela Câmara

No Estado de São Paulo, medida traria uma economia de 30% em logística
Atualmente, o etanol tem de passar pelas distribuidoras antes de chegar aos pontos de combustível
Atualmente, o etanol tem de passar pelas distribuidoras antes de chegar aos pontos de combustível | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Na semana passada, o presidente da República, Jair Bolsonaro, disse que a Câmara dos Deputados deve colocar em pauta a proposta para que usinas possam vender etanol diretamente aos postos de combustível — atualmente, o produto tem de passar pelas distribuidoras primeiro.

Leia também: “Raízen pretende construir três usinas de etanol feito com bagaço e palha de cana”

“Desde que cheguei [à presidência] estou brigando”, afirmou Bolsonaro a apoiadores em frente ao palácio do Planalto. “Falei com o Arthur Lira [presidente da Câmara], ele deve botar [o projeto] em pauta”.

Alexandre Lima, que preside a Federação dos Plantadores de Cana do Brasil, também acredita que o político deve pautar a proposta em Brasília. Assim como Lira e Bolsonaro, o executivo defende que, uma vez aprovada, a medida deve deixar o setor mais competitivo e vai melhorar o preço do produto.

“Tivemos a informação da ligação de Bolsonaro. Acredito que a proposta será pautada, pois o Lira sempre nos apoiou”, disse Lima ao jornal Valor Econômico. “Haverá concorrência com as distribuidoras [caso a venda direta seja aprovada], que continuarão vendendo também. A medida não as exclui do processo. Com a venda direta, não haverá o passeio do etanol para as bases das distribuidoras e, consequentemente, haverá um melhor preço”.

Cálculos feitos pela Universidade de São Paulo em 2019 corroboram a visão de Lima. Segundo a instituição, em território paulista, a venda direta das usinas para os postos de combustível traria uma economia de 30% em logística.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. O pessoal está tão habituado a trairagens que estão até confundindo o verbo trair com o verbo trazer: No estado de São Paulo, medida TRAIRIA uma economia de até 30% em logística. É isso…

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.