Anvisa registra casos suspeitos de doença autoimune pós-vacinação

Ao menos três imunizantes podem ter provocado síndrome
-Publicidade-
Os fabricantes terão de incluir alerta na bula dos produtos
Os fabricantes terão de incluir alerta na bula dos produtos | Foto: Evandro Leal/Enquadrar/Estadão Conteúdo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que o Brasil totaliza 34 casos suspeitos da síndrome autoimune de Guillain-Barré (SGB), que causa paralisia. Os casos ocorreram depois da vacinação contra a covid-19. Até a quarta-feira 28, a Anvisa recebera 27 notificações de SGB após a imunização com a AstraZeneca, além de três casos com a Janssen e outros quatro com a CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac. Os fabricantes terão de incluir o alerta na bula dos produtos.

Distúrbio neurológico raro, a SGB faz com que o sistema imunológico da pessoa danifique suas células nervosas. “A maioria das pessoas se recupera totalmente do distúrbio”, salientou a Anvisa, em nota divulgada na quinta-feira 29. “O principal risco provocado pela síndrome é quando ocorre o acometimento dos músculos respiratórios. Nesse último caso, a SGB pode levar à morte, caso não sejam adotadas as medidas adequadas”, acrescentou a agência reguladora, no documento.

Leia também: “Vacina da Janssen: ‘Anvisa dos EUA’ põe alerta para advertir sobre síndrome autoimune”

-Publicidade-
Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

17 comentários

  1. Quatro.dias após tomar a 2a dose da Coronavac meu cunhado começou a sentir os primeiros sintomas da Síndrome de Guillain Barré, Em poucos dias ele estava tetraplégico. Os médicos suspeitavam que era AVC.

    1. Saúde e paz a seu cunhado.
      Eu já tive Guilhain Barré nos anos 90. É uma doença muito dolorosa, não podemos fazer nada, dói tudo, não temos forças para segurar uma folha de papel entre os dedos. Não tomaria a vacina e muito menos agora em saber da possível ativação ou re-ativação da síndrome.

  2. A SGB, eu já tive o nível médio. Não tem níveis leve, médio e grave.
    Sempre é médio e grave.
    O médio pode evoluir ao grave se voltar um dia. O grave tem risco de morte pois os músculos respiratórios não funcionam, necessário é de ventilação forçada ou entubamento.
    É como se um fio descascado não deixasse a energia chegar totalmente à lâmpada por exemplo.
    Os nervos ficam desencapados deixando os sinais motores fracos, não chegando totalmente do cérebro aos membros receptores.
    Dói tudo, ossos, dedos etc…não temos força para segurar uma folha de papel entre os dedos. Se cair no chão, não levanta sozinho.
    Em quase tudo precisamos de ajuda.
    Muito ruim.
    Agradeço aos meu pais pela ajuda de sempre.
    Meu saudoso pai foi primordial em meu restabelecimento pelo apoio moral, físico e mental.
    Saúde e paz a todos.

    1. muitos, quando com 55 anos ou mais. Jamais se recuperam. É o meu caso. por oportuno, vacina servir de gatilho para o desenvolvimento dessa doença é coisa conhecida. No presente, temos que lembrar que mais de cem milhões já foram vacinados no Brasil. É normal que tenhamos um conjunto de afetados que venha a gerar notícia. Gostei do seu resumo sobre a doença. Saber resumir é muito difícil. Pena eu não saber como entrar com os diretores da OESTE. Gostaria de sugerir um debate sobre VACINA X GUILLAIN-BARRÉ.

  3. “(…) Os fabricantes terão de incluir o alerta na bula dos produtos (…)”. E de quê isso importa, se o cidadão está sendo coagido a tomar vacina para não ser penalizado? Já há sentença de demissão por justa causa por recusa da vacina. As “otoridades” precisam entender que as vacinas existentes não impedem o contágio e nem a transmissão. Apenas reduzem os sintomas. Acho até que não deveriam ser chamadas de “vacina”. Eu, como a maioria, tomei a “vacina” por livre e espontânea vontade. Mas ninguém deve ser considerado um inimigo público por não se vacinar. Aliás, o vacinado se sentirá mais seguro para se expor ao contágio do que o não vacinado, e por isso irá transmitir ainda mais, se não houver testagem sistemática e isolamento dos infectados. No fim, teremos a demonizada imunidade de rebanho. E começam a surgir afirmações de que o declínio atual é indício de que chegamos nesse estágio.

    1. Perfeito Davi, você só esqueceu de dizer que todas as vacinas existentes são experimentais e nós somos os cobaias, cobaias que pagam pelas vacinas e pela vacinação.

  4. É uma temeridade, vacinar crianças e adolescentes, onde o risco de desenvolver a doença e 0/006% . Minha neta não irá se vacinar.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro