Anvisa simplifica importação de produtos derivados da maconha para tratamentos de saúde

Importação de medicamentos à base de canabidiol está liberada no Brasil desde 2015
-Publicidade-
Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Anvisa publicou na quarta-feira 6 uma resolução que acelera a importação de produtos à base de canabidiol (substância extraída da maconha) para tratamentos de saúde.

Segundo a agência, a crescente demanda pela importação destas drogas tem resultado em tempo longo para a manifestação da vigilância sanitária, o que pode impactar em prejuízo à saúde dos pacientes.

Leia mais: “Saúde foca em Pfizer e AstraZeneca e projeta 300 milhões de doses em 2022”

-Publicidade-

A importação de medicamentos à base de canabidiol está liberada no Brasil desde 2015 para o tratamento de dezenas de doenças, como epilepsia, mal de parkinson, esclerose múltipla e artrite. As drogas são fornecidas apenas com pedido médico.

Em seis anos, a Anvisa observou um aumento de mais de 2.400% (média de 400% ao ano) nos pedidos de importação destes produtos, as solicitações passaram de 896 em 2015 para 19.074 em 2020. Até setembro deste ano, já foram 22.028.

A expectativa é reduzir a espera por uma autorização de importação. Antes, o prazo já chegou a 75 dias, hoje está em 15 dias úteis e, em um mês, deve ficar em cinco.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.