Ativista explica a ‘linguagem neutra’: em vez de ‘ela’ e ‘ele’, ‘ile’

Rosa Laura afirma que a língua portuguesa é sexista e que deveria estar a serviço das pessoas e não da Academia Brasileira de Letras
-Publicidade-
A ativista Rosa Laura
A ativista Rosa Laura | Foto: Reprodução/YouTube

Circula nas redes sociais um vídeo em que a ativista “transexual não-bináris” (como ela mesma se identifica) Rosa Laura explica o funcionamento da linguagem neutra. Segundo Rosa, o objetivo é “dar evidência às múltiplas identidades de gênero”. De acordo com ela, o português é “sexista”. Além disso, a língua tem de estar a serviço das pessoas “e não da Academia Brasileira de Letras”.

Entre outras mudanças, Laura propõe que os pronomes pessoais “ela” e “ele” sejam substituídos por “ile”. Já os pronomes demonstrativos “daquela” e “daquele” mudariam para “daquile”.

Oeste noticiou na quinta-feira 10 que uma escola particular do Recife (PE), o Colégio Apoio, teve uma aula sobre o emprego da linguagem neutra. No slide projetado na lousa, é possível ver o neologismo “obrigade”, em vez de “obrigado” ou “obrigada”.

-Publicidade-

Assista ao vídeo

Leia também: “A pandemia do politicamente correto”, artigo de Selma Santa Cruz publicado na edição n° 16 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.