Chuvas na Bahia afetam mais de 430 mil pessoas; mortes chegam a 18

São 72 municípios em situação de emergência, de acordo com decreto estadual
-Publicidade-
Até domingo 26, as prefeituras registraram 16 mil desabrigados e quase 20 mil desalojados
Até domingo 26, as prefeituras registraram 16 mil desabrigados e quase 20 mil desalojados | Foto: Reprodução/Twitter

O número de mortes causadas pelas fortes chuvas na Bahia chegou a 18 neste fim de semana. Duas pessoas ainda estão desaparecidas.

O último óbito foi um idoso de 60 anos, dono de uma balsa que virou em Aurelino Leal, na região sul do Estado. No total, 72 municípios estão em situação de emergência. Desses, 58 também estão em situação de crise por causa das enchentes.

O decreto foi publicado pelo governo no domingo 26 na versão digital do Diário Oficial do Estado e tem validade de 90 dias.

-Publicidade-

Com a publicação, fica autorizada a mobilização de todos os órgãos estaduais para apoiar as ações de resposta ao desastre, reabilitação do cenário e reconstrução das cidades.

Enchentes

Até domingo 26, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado e as prefeituras dos municípios atingidos registraram 16 mil desabrigados e quase 20 mil desalojados.

O número de feridos era de 286, e a população total atingida chegava a quase 430 mil pessoas.

Ajuda federal

O ministro da Cidadania, João Roma, contou que o Ministério da Saúde vai enviar mais de 90 médicos para a Bahia nesta segunda-feira, 27.

“Desta vez, a área é muito abrangente. Isso gera uma calamidade de grande proporção. Muitos locais estão totalmente ilhados, sem contato terrestre, ausência de água potável, queda de energia, sem sinal de telefone. Estamos fazendo uma grande mobilização em conjunto com o governo do Estado e voluntários para socorrer a população”, disse o ministro, em entrevista ao Jornal da Manhã, da Rádio Jovem Pan.

Causas

As fortes chuvas que atingiram diversas cidades na Bahia foram causadas pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Esse sistema é formado por uma faixa de nuvens que se estende do sul da região amazônica até a área central do Atlântico Sul. Com isso, a umidade da Amazônia é canalizada para a Bahia.

Segundo o Inmet, a ZCAS é muito comum no verão e dura de três a quatro dias.

O temporal deve perder a intensidade a partir de hoje e se concentrar na região oeste do Estado.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Já tem petista bahiano culpando o Bolsonaro por conta dessas chuvas abundantes em seu estado. Segundo eles, isso se dá pela devastação da floresta amazônica que está desviando toda a água para a Bahia, só para prejudicar o Ruim Bosta do PT. O Bolsonaro está controlando até o clima, vejam só como ele está tão poderoso!

  2. Já tem petista bahiano culpando o Bolsonaro por conta dessas chuvas abundantes em seu estado. Segundo eles, isso se dá pela devastação da floresta amazônica q

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.