Cidadania vai ao STF e tenta derrubar decisão de Nunes Marques sobre cultos e missas

Segundo o presidente nacional da legenda, ex-deputado Roberto Freire, a decisão do magistrado foi 'equivocada e irresponsável'
-Publicidade-
Decisão do ministro Nunes Marques, do STF, que liberou cultos e missas é contestada pelo Cidadania
Decisão do ministro Nunes Marques, do STF, que liberou cultos e missas é contestada pelo Cidadania | Foto: Felipe Sampaio/STF

O Cidadania entrou neste domingo, 4, com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar derrubar a decisão do ministro Nunes Marques, que no sábado 3 liberou a realização de missas e cultos em todo o país. Segundo o presidente nacional da legenda, ex-deputado Roberto Freire, a decisão do magistrado foi “equivocada e irresponsável”.

Leia mais: “Nunes Marques libera realização de cultos e missas em todo o país”

-Publicidade-

Nunes Marques tomou a decisão em caráter liminar e determinou que Estados, municípios e o Distrito Federal não podem editar normas de combate à pandemia de covid-19 que proíbam celebrações religiosas presenciais. A decisão do ministro atende a uma ação movida pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), que alegou violação ao direito à liberdade religiosa e ao princípio da laicidade do Estado.

Leia também: “Após negativa de Kalil, Nunes Marques intima prefeito de BH a permitir missas presenciais”

O magistrado também determinou que sejam adotadas medidas de distanciamento social dentro das igrejas e templos religiosos, com ocupação dos assentos de forma espaçada, obrigatoriedade do uso de máscaras, distribuição de álcool em gel para os fiéis e medição de temperatura do público.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

13 comentários

  1. Tinha que ter um comuna de carteirinha a se manifestar. Não prestam para nada, tem vergonha de ostentar o verdadeiro nome do partido: Partido Comunista Brasileiro.

  2. É impressionante como o diabo se levanta quando ver os cristão adorarem ao nosso pai e criador de tudo! Só tenho a certeza que o inferno existe quando vejo criaturas repugnantes tomarem atitudes contrários à nossa fé cristã! Cristo em nós esperança da glória! Aleluia

  3. Esse Roberto Freire se superou no que se refere ao que não presta. Outrora, apesar de comunista, teve momentos de lucidez no plenário. Mas, esperar o quê de comunistas?

  4. Enquanto os CAMINHONEIROS se empenham, desde o começo da pandemia, para abastecer o País de alimentos e medicamentos, há pessoas vivendo às custas do Estado, incomodadas com as portas portas de Igrejas. Se estão abertas ou fechadas. É demais…E por falar em caminhoneiros, eles merecem os nossos parabéns e uma GRANDE HOMENAGEM.

  5. Passada a Páscoa, Freire deve ter percebido que botou o stf de saia justa. Fucks et caterva JAMAIS vão revogar a decisão do Marques. Será o último prego no caixão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.