-Publicidade-

Após negativa de Kalil, Nunes Marques intima prefeito de BH a permitir missas presenciais

Ministro reforçou sua decisão de liberar atividades religiosas após o prefeito de Belo Horizonte afirmar que não acataria a determinação
Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil | Foto: Amira Hissa
Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil | Foto: Amira Hissa

O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal, intimou na madrugada deste domingo de Páscoa, 4, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), a cumprir “com máxima urgência” a decisão que permite celebrações religiosas presenciais, como cultos e missas.

Nunes Marques reforçou sua decisão de liberar atividades religiosas presenciais após uma publicação de Kalil nas redes sociais afirmar que BH não acataria a determinação do ministro. “Em Belo Horizonte, acompanhamos o Plenário do Supremo Tribunal Federal. O que vale é o decreto do Prefeito. Estão proibidos os cultos e missas presenciais”.

Leia mais: “Bolsonaro critica fechamento de praias e fala em ‘infrutífera busca de diálogo’”

Além do cumprimento imediato, a intimação dá 24 horas para que Kalil esclareça “as providências tomadas, sob pena de responsabilização, inclusive no âmbito criminal, nos termos da lei”. A Superintendência da Polícia Federal em Minas foi intimada a garantir o cumprimento da liminar em caso de “resistência da autoridade municipal ou de seus funcionários”.

No despacho, Nunes Marques entende que é grave uma “declaração pública de uma autoridade de que não pretende cumprir uma decisão” do Supremo Tribunal Federal.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.